Rabbits (2002)

Rabbits

Muitas pessoas estão fadadas a verem e repetirem sempre as mesmas coisas. Quando essas pessoas entram em contato com algo diferente, encaram isso de forma negativa fazendo julgamentos prévios e se privando de idéias que muitas vezes podem ser geniais. Algo parecido acontece com aqueles que se dispõe a assistir alguma das obras do americano David Lynch, que já possui um vasto currículo no mundo cinematográfico, entre seus trabalhos temos a série Twin Peaks e filmes como Veludo Azul, Coração Selvagem, A Estrada Perdida e Cidade dos Sonhos.

Rabbits é uma série de curtas com 08 episódios que totalizam aproximadamente 43 minutos de duração, e que foi inicialmente exibida no site do autor. É quase impossível classificar essa obra em único gênero, Lynch faz uma bem sucedida mistura de comédia, drama, fantasia, horror e mistério. Como personagens temos três coelhos humanóides – Jack, Jane e Suzie – que vivem na mesma casa, onde a sala é o único local em que ocorre a encenação, que não passa de diálogos e movimentos dos personagens. Nas vozes dos personagens temos Scott Coffey (Jack), Laura Harring (Jane) e Naomi Watts (Suzie).

A série pode ser facilmente confundida com uma peça de teatro filmada, devido à falta de cortes de câmera, com exceção de um no sexto episódio. Os diálogos são aleatórios e a princípio não possuem nenhum nexo, porém se o telespectador atentar bem vai notar que trata-se de um “quebra-cabeça” e que os diálogos se complementam a intervalos de falas sobrepostas, isso pode ser notado quando se ver uma pergunta simples ser respondida bem depois e logo após algumas falas, que por sua vez serão respondidas ou argumentadas depois, e assim se segue.

A série conta com palmas e risadas de uma platéia que não se sabe se está presente, fazendo lembrar as sitcoms norte-americanas, esse recurso auditivo é usado de forma excêntrica sendo aplicada em momentos em que não há nenhuma piada aparente. E ainda temos uma trilha sonora sinistra composta por sons indecifráveis que se intercalam com barulhos de chuva e trovões.

Apresentada sob o seguinte slogan: “Em uma cidade sem nome inundada por uma chuva contínua… três coelhos vivem com um mistério terrível”, é difícil tirar conclusões sobre o sentido da série. Muitos sites foram criados onde os fãs mais ávidos escrevem e debatem as mais diversas interpretações que vão desde uma hipótese de vidas passadas até um suposto e sinistro reality show. Essa ausência de sentido é o ponto chave e um êxito de Lynch, pois fica a cargo de quem assiste criar sua própria interpretação, e isso não só contribui para fazer com que as pessoas pensem, mas também para que essas pessoas adquiram a capacidade de criar, mesmo que sejam meras interpretações.

Recomendo a série, e os que se interessarem podem fazer o download em TORRENT dos episódios compactados em um só, clicando AQUI, e para legendas em Português AQUI.

Assista ao 1° Episódio:

Um comentário

  1. Essa obra é bem estranha mas achei muito interessante. Realmente também acho que temos um quebra-cabeça com relação aos diálogos, mas a mensagem que o Lynch quis passar acho que fica a critério de cada um.

    Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s