Lua Nova

Lua Nova - Stephenie Meyer
Lua Nova – Stephenie Meyer

Se você ficar, não preciso do Paraíso.
Bella Swan

Quando um produto faz muito sucesso é comum que seus derivados sigam o mesmo caminho. No caso de séries de livros, o primeiro volume é o responsável por atrair a atenção do leitor para suas seqüencias. É possível visualizar isso quando olhamos para o sucesso inexplicável e repentino de Crepúsculo e suas continuações, nesse caso Lua Nova. O segundo livro da série escrita pela americana Stephenie Meyer segue a mesma linha de talento do primeiro volume, com uma pequena melhora no enredo e na narração.

Em Lua Nova temos um pouquinho mais de ação que no primeiro livro, o que o faz ser melhor que seu predecessor. É normal e obrigação de um escritor melhorar a cada obra, pois na escrita a prática também trás a experiência, mesmo que se cresça pouco entre uma obra e outra, faz-se necessário subir pelo menos um degrau. Nesse livro o amor impossível e meloso demais entre Edward e Bella é deixado um pouco de lado para dá lugar a uma pequena perturbação no romance utópico.

Outra coisa notável é o fato de Meyer trabalhar outros personagens que no primeiro eram meros figurantes. O desenvolvimento de Jacob Black é um ponto positivo, porém poderia ter sido mais bem feito. A saída de cena de Edward faz Bella ficar imparcial entre os dois, e desejá-los ao mesmo tempo. Uma personagem com um caráter já duvidoso torna-se de certa forma promiscua diante de uma situação dessas.

A história é cheia de extremos, um amor totalmente fantasioso que contracena com uma amizade bem elaborada e verossímil, pelo menos da parte de um dos personagens. Na redação temos ainda metáforas sem sentido e mal feitas, contudo vemos uma melhora na concordância, tradução e edição. Outro fato legal e facilmente notável é a citação do Brasil, mais precisamente do Rio de Janeiro, como um dos cenários indiretos da história.

Em relação às referências, Meyer faz analogia explicita à obra Romeu e Julieta de Shakespeare, sem contar que nesse volume temos a impressão de que há uma mistura de vampirismo com séries de mutantes, no estilo X-Men. A versão cinematográfica do livro está previsto para estrear dia 20 de Novembro desse ano, o trailer já está disponível, mas é difícil fazer um comentário prévio, deseja-se que não siga o fracasso de produção de Crepúsculo. O filme já é muito aguardado, pois a série já conquistou inúmeros fãs, o que é bom por atrair jovens ao mundo da leitura.

Autora:

Stephenie Meyer

Trailer do Filme:

Anúncios

8 comentários

  1. Hum, eu estava ansiando esta crítica ja fazia tempo. Eu particulamente axei que você foi bastante bondoso em relação ao livro. Sim, é um fenômeno mas isso não garante que seja uma obra prima. Sim, o ponto alto do livro é o desenvolvimento do personagem Jacob, mas que acaba ficando morno ao longo do livro que é bem previsível. Eu tive as mesmas impressões que você, de que o livro começa a se perder entre as suas próprias influências… Como eu disse, o sucesso não é a garantia de qualidade e tenho certeza de que você também sabe disso muito bem 🙂

    Curtir

    • Oi Guh…
      Obrigado por mais uma ilustre visita…
      Pois eh fui bem generoso, mas acho que vc entende o porque de ser asim [acho que te expliquei por email]…
      o Jacob é legal, e eu tenho um fascínio por lobos, e acho que foi esse o motivo que fez com que eu criasse uma simpatia pelo personagem… mas mesmo assim vc tá certo ele é meio esquecido no final.
      Uma das coisas que mais me irritam ao ler Meyer são as metafóras sem sentido e fora de contexto, as vezes eu rir lendo esse livro.
      Vc disse tudo: Sucesso não é garantia de qualidade…

      Abraços [;)]

      Curtir

  2. [cuidado spoilers no post!]

    Da Série ( eu já li todos) esse é meu livro preferido, com é claro meu personagem favorito ( Jacob), em minha opinião é o personagem mais “real´´ do livro, instintivo e inteligente, bonito e poderoso!Mesmo assim é um adolescente q como os outros tem suas duvidas e tem que amadureçer muito em pouco tempo.
    Quanto a qualidade do Livro ( e aqui falo só do lua nova) continua a mesma droga viciante, o fato é que mesmo se for mal redigido e mal traduzido, poucos vão notar, adolescentes apaixonadinhas querem melosidade mesmo, amores impossiveis como os que elas sonham, e caras gostos que gostam de meninas “feias´´..è pecado ela dar essa fantasia a elas?

    Eu mesmo, viajo legal!

    na obra (agora analizando a saga)existem varias sitações ao brasil, e eles até vão (vem) para lá ( aqui) ehehehhehehe….Mas como sempre, pintam o brasil como uma selva cheia de macacos e favelados.

    Voltando ao Lua Nova, eu gosto de ver o lado “humano´´ de bela, que era tão perfeitinha no Crepusculo, humanos são isso!Confusos, que sofrem e tem um grau de pervessão!
    è valido repetir seu comentário de que esse tipo de livro atrai jovens a leitura, e isso meu amigo é muito importante…Quem é que começa a pegar gosto por ler lendo enciclopedias?
    #fato

    A fantasia, é o portal para leitura, farei assim com meus filhos..

    O Jacob Mahmud kkkkkkkkkkkkkk

    Curtir

    • Yuri mais uma vez obrigado por seu comentário (sempre excelente)…
      O Jacob desempenha um papel de amizade quase verossimil. Pena que ele é um pouco deixado de lado mais ao final da série.
      Tipo nem sempre o Brasil é visto assim, mas os poucos que vêem dessa forma são apenas ignorantes que quebram a cara quando vêm por aqui.
      Bella evolui de perfeita pra babaca infantil, convenhamos que faz papel de idiota pensando bobagens que não convém com a idade dela, aff, o que me incomoda é isso, se o livro fosse narrado em 3ª pessoa seria mil vezes melhor.
      A saga de Crepúsculo é o tipo de livro que não darei pros meus filhos lerem, a não ser que leiam escondido ou comprem por conta própria.
      Amo fantasia mas desse tipo já é por demais deturpadora.

      Abraços

      Curtir

  3. Oi!

    Minha estréia por aqui, e aproveitando para relatar, adorei o que vi e o que li também. De todo modo, amo cinema, amo livros e música de qualidade.

    Bem, sobre a obra em questão. Estou no último livro da série, e se, por um lado, fica aquela coisa de “obras para venda” (eu quis dizer, recordes de venda no mundo!), o que me desagrada. Por outro, há uma melhora substancial da trama, pelo menos, no que diz respeito ao livro.
    Eu abominei a adaptação a telona de Crepúsculo (escrevi um post sobre isso, não sei se chegou a ler!). Mas, de todo modo, vou conferir a seqüência na telona…(nada como o conhecimento de causa, né?).
    Um abraço!

    Parabéns!

    Inté!

    Curtir

    • Pois é Sil temos mais isso em comum, ^^ também amo cinema, livros, teatro, música enfim…

      É exatamente, nota-se uma pequena diferença na narrativa de Crepúsculo para Lua Nova, pretendo ler os demais livros e espero que evolua significativamente, se vc diz eu acredito.

      O Filme de Crepúsculo foi extremamente ridículo, mas vendo o Trailer de Lua Nova, parece que a coisa melhora um pouco, temos que assistir pra comprovar. Uma coisa que gostei foi do visual do lobo no filme, eu tenho uma fascinação por lobos [prontofalei]… rsrs…

      Obrigado pela Visita e pelo comentário…

      PS: Vi seu post sim, esse e outros, amei os contos…

      Curtir

  4. Assim, em comparação a Crepúsculo, a narrativa de Lua Nova tem melhoras consideráveis, mas o livro é chato. Horrendo de se ler. O principal motivo é, mais uma vez, a narradora. Bella parece ter 12 anos. Meyer é louca de pintar uma adolescente tão ingênua e… Chata. Adolescentes chatos existem, por isso perdoo a escritora nesse sentido. Quem não leu ainda Amanhecer vai se surpreender com Jacob Black. Negativamente. Terrível. Terrível. E terrível. Um dos livros é narrado por ele. E digo que ele consegue ser PIOR e MAIS chato do que Bella. Mas retornando a Lua Nova, a narrativa é melhor, sim. Mas cansativa. Discordo um pouco de você, Ademar, porque acho o livro parado. Há todo um suspense(malfeito) criado em torno de Jacob Black para que descubramos a sua natureza fantástica durante 90% do livro e é apenas isso. Não existe um conflito(a não ser o já conflito interno de Bella que vem desde Crepúsculo), uma trama, uma história em si. Nas últimas páginas do livro tem aquela palhaçada. Sim, chamo de palhaçada. Jogar todas as ações do livro nas últimas, sei lá, acho que menos de 100 páginas. E uma coisa totalmente absurda: me digam que lógica há naquelas últimas ações na Itália? Meyer repete o mesmo argumento de Crepúsculo. Ainda não sei como o pai da Bella a perdoa. Enfim, é como se ela quisesse dar um desfecho emocionante pro livro e escrevesse a primeira bobagem que viesse à cabeça. Desconfio que Meyer ainda seja uma adolescente. Quando tinha 12 anos meus textos eram razoavelmente melhores que os dela. Fico pensando em como eu seria rica se os tivesse publicado. Inferno, mas hoje sou metida demais pra publicar porcaria.

    Curtir

    • Eh amiga sei o quanto vc ama essa série.
      Como vc deve ter lido, o que mais me incomoda é a narração de Bella, muito chato, nem dá vontade de pegar o livro pra ler.
      Esse foi livro que mais demorei pra ler, com excesão da Bíblia, quase um mês, eu simplesmente não conseguia ultrapassar dois capítulos em um dia, tanto é que resolvir tirar férias de Meyer e ler outras coisas antes de ir pra Eclipse.

      E quanto a seus textos realmente vc escreve melhor que ela.
      Pra quem quiser confirmar isso, e ver ótimas dicas e críticas de filmes, taí o link do seu blog: http://cinemaecenas.wordpress.com/

      Abraços

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s