Rose Red: A Casa Adormecida (Stephen King’s Rose Red, 2002)

Rose Red A Casa Adormecida

Se há algo que alimenta bastante o mercado cinematográfico são as adaptações de livros, sendo eles dos mais diversos gêneros. Rose Red A Casa Adormecida é de autoria do conhecidíssimo autor americano Stephen King, famoso por seus livros de horror e suspense, ele já teve vários de seus livros adaptados para o cinema e TV, porém nesse caso foi diferente, primeiramente ele escreveu o roteiro e logo após é que adaptou para livro. O trabalho de 2002 foi vendido para ser uma minissérie de televisão (em quatro episódios), produzida pela ABC sendo posteriormente lançada em VHS e DVD, dirigido por Craig R. Baxley, e conta em seu elenco com a participação de Nancy Travis, Matt Keeslar, Kimberly J. Brown, Matt Ross, Julian Sands e Julia Campbell.

Por se tratar de uma obra pra TV, a série torna-se de certo modo cansativa por seus 255 minutos de duração (aproximadamente 4 horas e 25 minutos). É também cheia de excessivas tomadas desnecessárias, repetitivas e falta de síntese. Embora seja muito longo, o trabalho peca um pouco no roteiro.

Na história somos apresentados a uma casa em constante construção e que sofre de uma “perturbação mental”. Segundo a personagem professora de psicologia Joyce, especialista em paranormalidade, as casas são como os humanos, elas têm uma história, guardam segredos, possuem sentimentos e assim como nós humanos algumas casas podem enlouquecer, é o caso de Rose Red, seu maior e obsessivo objeto de estudo.

Estudando os fatos ocorridos no passado Joyce chega à conclusão que a casa está adormecida e precisa de uma chave para despertá-la e assim poder estudá-la a fundo. É movida por esse desejo que ela reúne um grupo de paranormais para auxiliá-la, porém é a personagem Annie a peça chave para essa empreitada. Nessa excursão nada convencional começam acontecer coisas estranhas e chega a tona um segredo a muito tempo guardado, e enfim surge a chance de ele ser revelado.

Com cenas que variam do cômico ao assustador a série pode agradar a muita gente, que curiosamente buscará seu derivado, O Diário de Ellen Rimbauer (2003) também dirigido por Craig R. Baxley, que conta o prelúdio da maldição que assombra a Mansão Rose Red, porém creio que haverá decepção daqueles que buscam algo melhor. Note a aparição do próprio Stephen King no papel do entregador de pizza, chega a ser cômico.

Com um final nada surpreendente a minissérie apenas tenta ser justa, punindo os maus e exaltando os bons. Um dos pontos interessantes é quando esta aborda temas como fé, crenças e diferenças colocando-as cara a cara de forma apaziguadora, e ainda quando põe a prova os limites do psicológico humano. Creio que a obra agrade não apenas aos fãs de Stephen King.

Trailer:

Anúncios

2 comentários

  1. o filme é show , é interessante por mostrar fatos ocorridos no passado da casa que assombra ela
    e que se transformam em cenas inriveis

    Curtir

  2. o filme é show , é interessante por mostrar fatos ocorridos no passado da casa que assombra ela
    e que se transformam em cenas incriveis

    Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s