Esse Homem Vai Morrer – Um Faroeste Caboclo (Idem, 2008)

Esse Homem Vai Morrer

O Herói morre apenas uma vez, e o covarde morre a todo instante.
Shakespeare

Documentários são um gênero que dificilmente se vê nos cinemas nacionais, a não ser que sejam muito famosos como é o caso do recém estreado This Is It, que aborda o tão aclamado e falecido rei do pop, Michael Jackson. Mesmo com essa dificuldade de divulgação os documentários são excelentes fontes de conhecimento e estudo, por ser de caráter real, é algo muito utilizado nos meios de ensino.

Esse Homem Vai Morrer – Um Faroeste Caboclo é um documentário investigativo que revela como um sonho, que atraiu uma quantidade de brasileiros até o município de Rio Maria, no sul do Pará, se tornou a história de uma sentença: 14 pessoas marcadas para morrer. Com roteiro de Luciana Lopes, direção de Emilio Gallo e participação da atriz Dira Paes, o documentário reconstrói a história de chacina desse município que foi assolado por disputas entre fazendeiros e posseiros de terra.

Com entrevistas e depoimentos de ambas as partes daqueles que ainda estão no município vemos como ainda existe impunidade e falta de justiça. Argumentos tão pouco fundamentados para justificar disputas políticas e de propriedades, são presentes na maioria dos depoimentos. Pessoas que viviam com a constante presença do medo gerado de ameaças, muitas delas cumpridas, resolvem denunciar e reivindicar justiça, de um assunto que pode ser visto de interesse nacional.

O documentário de 75 minutos mostra também a estratégia que incluiu muitas celebridades e atores globais num manifesto contra essa violência explicita e desumana. Mas o que há de mais chocante é que segundo o vídeo ainda há muitas pessoas que morrem lá atualmente e que são ameaçadas por simplesmente exercerem seu papel social como é o caso da presidente do sindicato dos trabalhadores rurais do município.

Exibido na 4ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, em uma sessão que visava abordar direito à terra, segurança pública cidadã, à vida e à integridade física. O documentário foi introduzido com a exibição de dois curtas: Contra Corrente (Contra Corriente, 2007) um argentino de 9 minutos, escrito e dirigido por Agostina Guala, que narra a história de Felipe um menino de nove anos que mora numa zona rural e que sofre mal tratos dos pais e busca na água de um rio seu refugio; e Partida (2008) um curta com 14 minutos de ficção do Paraguai, com roteiro e direção de Marcelo Martinessi, que mostra o sofrimento de muitas mulheres paraguaias que pelo fato de terem pouca instrução e viverem em condições precárias buscam emprego de domésticas, que participam de um sistema de exploração aceito pela sociedade e legitimado pelas leis paraguaias.

Imagem:

Esse Homem Vai Morrer

5 comentários

  1. Esse documentário realmente mexe comigo.
    Acabo de ver ele pela segunda vez, mas isso não diminuiu nem um pouco do efeito causado por ele na primeira vez que vi.
    Acho inaceitável que isso realmente exista.

    Indico!

    Curtir

    • Olá,

      Não disponibilizamos links para download, no entanto, os comentários são de responsabilidade de quem os escreve.

      Att.

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s