O Óleo de Lorenzo (Lorenzo’s Oil, 1992)

Dramas e mais dramas são típicos cinematográficos. Trazer algo novo é tarefa árdua, mas que se feito de forma verossímil e tocante chama atenção mesmo se for algo já usado anteriormente. Histórias reais muitas vezes servem de base para a construção de filmes, dramas são pratos cheios. O Óleo de Lorenzo é baseado em fatos reais e retrata a história de Lorenzo Odone, um garoto com adrenoleucodistrofia (ALD), uma rara doença genética que causa dano à bainha de mielina dos neurônios e pode levar à morte em poucos anos.

Com roteiro e direção de George Miller, que usa de um foco muito especifico e apesar de atuações conjuntas, ainda assim é muito concentrado, embora se note uma boa justificativa, além de ser algo encantador no sentido de mostrar que na maioria das vezes lutar vale a pena. No elenco tem-se os excelentes Susan Sarandon e Nick Nolte, no papel dos pais do menino enfermo, são eles que correm em busca da cura para salvar o próprio filho.

O filme conta o drama do menino Lorenzo que levava uma vida normal até os 6 anos de idade, quando passou a ter diversos problemas de ordem mental diagnosticados como uma doença extremamente rara, adrenoleucodistrofia, que provoca uma incurável degeneração no cérebro e leva o paciente à morte em pouco tempo. Essa doença se dar pelos níveis extremamente elevados de ácidos graxos de cadeia muito longa no sangue, isso faz com que esses ácidos degenerem a mielina das células nervosas, principalmente da massa branca do cérebro. Desesperados com o fracasso da medicina diante da doença, os pais de Lorenzo começam a estudar e a pesquisar sozinhos, na esperança de descobrir algo que detenha o avanço da enfermidade. Tornam-se autodidatas, mas as autoridades científicas e os pais cujos filhos sofrem da mesma doença relutam em aceitar os resultados obtidos nas pesquisas realizadas fora da academia.

Como o pai do menino não encontra cura ou apoio com o médicos ele decide procurar por contra própria uma cura para a doença, já que seu filho começa a apresentar diversos sintomas entre eles mudança de comportamento, perca da fala, audição, visão, movimentos e capacidade de glutição, sendo necessário o uso de sonda nasogástrica. Ele e sua mulher procuram estudos sobre manipulação de ácidos graxos de cadeias muito longas e descobrem que há estudos apenas com animais usando ácido oléico, que por ser sintetizado pela mesma enzima dos ácidos graxos prejudiciais faz com que a enzima se ocupe de sua síntese e reduza os níveis do ácidos de cadeia muito longa. Porém o efeito não acontece por completo impulsionando-os a buscar uma explicação e solução para esse fato.

O filme em questão apesar de ser baseado em fatos reais não se trata de um documentário, e são acrescentados ao filme elementos de caráter artístico podendo ter momentos exacerbados ou diminuídos para se adequar ao propósito do filme. È notável que esse filme não é apenas para entreter, apesar de ser exageradamente, e sim para gritar aos ouvidos de profissionais de saúde a necessidade e importância da pesquisa e estudo científico.

Um leigo conseguindo por esforço próprio desenvolver um estudo de nível superior é algo pode até envergonhar os profissionais não produtivos, mas é também um apelo à consciência de que mais importante que o estudo é preocupação humanitária com pessoas. Os motivos que levam o pai a buscar a cura pro filho chegam a ser supérfluos quando ele descobre que seu estudo vai além de uma única vida. Constata-se assim que os estudos científicos não são apenas para engrandecimento profissional do autor nem para servir de fundamento teórico para estudos universitários, mas sim para a população em geral, desde leigos e desesperançados até profissionais ou quem em algum momento se incluir em situações que necessite de seu uso.

Trailer:

Anúncios

2 comentários

  1. Em que pese não seja um documentário, ainda que tenha um ‘quê’ de, o filme relata com muita propriedade a busca desesperada dos pais pelo cura da doença que aflige o filho e, assim, a todos.
    Certamente, como falaste Ademar, muito mais que isso: é um apelo ao cientificismo-academicista que, por vezes, impede e emperra, ao menos dificulta, a descoberta, o desvelamento, de métodos capazes de curar o enfermo, amenizar a dor da família.
    Uma verdadeira lição há de ser tirada pelos que o assistem.
    Ademais, com a força e perseverança dos pais, já agora na vida real, Lorenzo viveu até os trinta anos. Uma vitória, indubitavelmente.

    Parabéns pelo blog. 🙂

    Abraço,
    JK.

    Curtir

    • Olá Jones, desculpe pela demora em responder.
      Realmente, pelo fato do filme ser baseado em fatos reais, dá pra dizer que ele tbm funciona como documentário, apesar de não ser esse o formato.
      Nos dá sim uma grande lição e isso sempre é válido, há quem não goste, mas que é válido isso é.

      Obrigado pelo comentário e pelo elogio, volte sempre.
      Abraços

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s