Percy Jackson e O Ladrão de Raios (Percy Jackson & the Olympians: The Lightning Thief, 2010)

Não é de hoje que a fantasia figura o gênero favorito entre adolescentes e jovens. Desde já algum tempo vemos exemplos de séries bem sucedidas, que geralmente começam nos livros, que em seguida ganham uma adaptação para o cinema, popularizando ainda mais essas séries. Os temas são os mais diversos, entre eles, bruxaria (Harry Potter), vampiros (Crepúsculo) ou a religião e mitologia (As Crônicas de Nárnia ou O Senhor dos Anéis). Recentemente chegou ao Brasil a versão cinematográfica do primeiro livro, da mais nova série de fantasia, Percy Jackson e Os Olimpianos: O Ladrão de Raios. Nessa série escrita por Rick Riordan, o tema abordado é a mitologia grega na sua forma mais fiel. Poderia ser classificado como um Hércules moderno.

Infelizmente a adaptação não foi tão bem sucedida como os livros, o que desagradou muitos fãs da série. Há muitos pontos negativos, sem contar que qualquer semelhança com Harry Potter não é mera coincidência. O filme tem um cenário mais moderno, mas carrega a mesma estrutura do mundo potteriano: um mundo mágico escondido do real, um garoto rodeado por um menino e uma menina esperta, sendo o protagonista o mais desinformado de todos, sem mencionar que algumas falas são semelhantes demais. Até o título do filme recebeu uma pequena modificação, tornando-o parecido os de Harry Potter. Talvez todas essas semelhanças sejam de responsabilidade de Chris Columbus, que dirigiu este e os dois primeiros filmes da série Harry Potter. Outra característica do diretor, bem nítida nas duas séries, é a mania que ele tem de dá um ar de infantilidade. Quanto a parte técnica Percy Jackson também segue a mesma linha de Potter, com ótimos atores coadjuvantes e péssimo elenco principal. O roteiro ficou por conta de Craig Titley.

O filme conta a história de Percy Jackson (Logan Lerman), o semideus, filho do deus dos mares Poseidon. Percy é apresentado como um garoto normal, que sofre de dislexia. O mundo olimpiano sofre uma perturbação que promete atingir o mundo real e trás a tona todos os segredos. O conflito começa quando o raio de Zeus é roubado e a culpa cai sobre Percy, projetando assim uma possível guerra entre os deuses. Percy tenta provar que não tem culpa de nada e para isso recebe a ajuda de Annabeth (Alexandra Daddario), a semideusa filha de Atena; e do seu sátiro protetor, Grover (Brandon T. Jackson). Eles partem em direção ao Olimpo para desfazer o mal entendido, nesse ínterim eles enfrentam o minotauro, uma fúria, uma hidra e o maior destaque do filme, a Medusa interpretada por Uma Thurman.

Ao contrário das outras adaptações, O Ladrão de Raios não é bem centrado no gênero, o filme tem um ar cômico. As músicas presentes no filme tornam-no algo bem pop, durante as cenas mais divertidas, em Las Vegas, é possível ouvir Poker Face (de Lady GaGa) e Tik Tok (da Ke$ha, novata da cena pop musical). O que se espera é que a série de livros (que já está no quinto volume) ganhe adaptações para o cinema com uma melhoria progressiva, assim como aconteceu com Harry Potter. Outro problema é que o filme chegou à maioria dos cinemas brasileiros em versão dublada, deixando-o abrasileirado demais, com referência até a Zé Ramalho.

Para os fãs do livro recomendo que vejam e opinem; para os que ainda desconhecem a série, leia primeiro o livro, para que não se crie uma má impressão da série, pela péssima adaptação.

Anúncios

8 comentários

  1. Em relação a adaptação nao posso jungar, pois não li nenhum livro da série ainda. Mas o filme me agradou em termos de efeitos por trazer uma coisa mais atual. O tema tratado é muito interessante, apesar de me desagradar um pouco o fato de ter que me recordar das aulas da ‘Historia Antiga’. Mas no geral ele me agradou muito!!

    Pretendo ler os livros da serie um dia… quem sabe?!?!
    kkkkkkkkk

    Abraçoss

    Curtir

    • Pois é Mailson,
      Eu também não li o livro ainda, mas baseado numa pequena pesquisa empírica sinto no direito de dizer isso, e acho que todo mundo que assistiu também acha isso. Quanto ao tema é realmente muito legal, eu quando era criança tinha vontade de escrever um livro com esse tema, que era um dos meus favoritos na adolescência.

      Quanto ao livro, eu peguei hoje pra ler, em breve faço a resenha aqui no blog!

      Abraços

      Curtir

  2. Ainda não tive a oportunidade de ver esse filme mas, sinceramente? Não pretendo desperdiçar minha chance de ver grandes obras em cartaz como “Preciosa” para tentar achar um lado positivo nesse filme. Acredito que depois de sagas como “Harry Potter” e “Senhor dos Anéis”, a originalidade de sagas literárias fantasiosas se perdeu… Um exemplo clássico foi a má sucedida aventura de “Eragon” nos cinemas. Uma pena que tantos autores permitem prejudicar toda a sua obra literária em nome da ganância trazida pelas adaptações cinematográficas. Não se fazem mais autores como Tolkien que rejeitou diversas adaptações de suas obras com a roteiros medíocres de suas obras… Realmente, uma pena…

    Curtir

    • Gustavo, esse filme é um daqueles que não vale a pena ir ao cinema pra assistir, nesse caso pode-se esperar pelo DVD, rsrs! Vc falou várias verdade no seu comentário, não se fazem mais adaptações de fantasia como antes, mas devo dizer que as de “As Crônicas de Nárnia” estão boas. “Eragon foi mesmo um fracasso incomentável, ainda não li o livro, mas pretendo ler em breve!
      Também acho que os autores de livro, ainda com vida deveria ser mais seletivos quanto aos roteiros adaptados de seus livros.

      Obrigado pelo excelente comentário!

      Abraços

      Curtir

  3. Percy Jackson, como já falei anteriormente para o autor (meu amigo), foi a maior decepção nas telonas nesses primeiros meses de 2010. O filme me pareceu de um amadorismo tão grande que me causou um pouco de vergonha alheia ao ver que não era só eu quem não estava gostando no sessão que o vi.
    Não sei se devo culpar o livro, pois ainda não tive nem tempo e muito menos vontade de ler. Mas os péssimos atores realmente não poderiam fazer nada mais do que a porcaria que fizeram se tudo estava firmado em um roteiro tão clichê. Este mais parecia ter sido escrito por um adolescene viciado nesses filmes infanto/juvenis que o autor do blog citou.
    Não sou nenhum crítico de cinema com formação em belas artes. Porém creio que não se precisa mais do que uma pequena dose de cultura e bom gosto para mandar Percy Jackson para o raio que o parta.
    Espero não ver mais filmes tão ruins assim no cinema.
    Ao amigo Ademar, parabéns pelo blog e pelas ótimas postagens.
    De seu grande amigo e fã.
    Farias Júnior.

    Curtir

    • Pois é Júnior, vc realmente destilou o seu veneno sobre o filme, brincadeira! O filme realmente é ruim, como disse antes, vou ler o livro e já estou com ele em mãos, começo a ler amanhã, espero que me surpreenda, eu o lerei de forma imparcial, sem julgá-lo pelo filme, rsrsrs!

      Na verdade nenhum de nós somos críticos, mas temos voz e podemos opinar quando gostamos ou não de algo, né? E acabamos que assim todos nos tornamos críticos, rsrsr!

      Obrigado pelos elogios, seu comentário está ótimo, e bem filosófico, fazendo jus ao seu curso que vc sabe que eu adoro!

      Abraços

      Curtir

    • Oi Joice,
      Que legal que você curtiu, no entanto espero que tome mais cuidado com o que escreve nos seus comentários, tudo bem?
      Abraço

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s