Novas Aquisições

Olá queridos leitores. Cada vez que faço um post com minhas aquisições, fico feliz em poder mostrar meus queridos livros pra vocês. Além de mostrar minha estante, que felizmente a cada dia cresce mais, esses posts têm como objetivos ainda: dar dicas de leituras, registrar cada nova aquisição, informar quais serão minhas próximas leituras e é ainda um espaço para vocês comentarem o que acharam das novas aquisições, quais já leram e/ou indicam. Trago dessas vez quatro preciosidades que os Correios me trouxeram ultimamente:

Príncipe da Pérsia
Jordan Mechner
, A. B. Sina, Leuyen Pham, Alex Puvilland (Galera Record, 208 pág.)
Agora o sucesso dos videogames foi transposto para um graphic novel que encherá os olhos dos fãs. Capturando o clima exótico e misterioso do jogo, conheceremos as lutas e dificuldades de dois príncipes que, mesmo vivendo em séculos diferentes, seguem trajetórias parecidas na guerra e no amor. Um filme baseado na série de jogos estreia nos cinemas em junho, com produção de Jerry Bruckheimer e Jake Gyllenhaal no elenco.
Leia minha resenha: AQUI

Ubik
Philip K. Dick (Aleph, 240 pág.)
Ubik é uma irreverente história sobre a morte e a salvação escrita pelo consagrado escritor americano Philip K Dick. Foi eleito em 2005 pela revista TIME, um dos cem melhores romances de língua inglesa, publicados a partir de 1923. Em uma sociedade futurista, Glen Runciter é dono de uma empresa responsável por rastrear psis, indivíduos com habilidades especiais, como telepatas e precogs. Ele e seus funcionários caem na armadilha de uma empresa rival, e Runciter morre. Seus funcionários passam a receber estranhas mensagens de Runciter em moedas e embalagens de cigarro. O tempo começa a retroceder e eles terão que lutar contra a degeneração física e mental. A solução pode estar no spray Ubik, mas conforme a trama se desenvolve, menos fica claro quem realmente precisa ser salvo.

O Totem do Lobo
Jiang Rong (Sextante, 512 pág.)
“Ganhador do Man Asian Literary Prize de 2007, O totem do lobo é um fenômeno literário na China, trazendo um vívido retrato da cultura, da espiritualidade, da ética e do estilo de vida dos últimos nômades da Mongólia Interior.” – Los Angeles Times
Na década de 1960, em plena Revolução Cultural da China, o jovem estudante Chen Zhen parte para as estepes do Olonbulag, na Mongólia Interior. Sob a tutela do sábio Bilgee, Chen aprende muito mais do que pastorear ovelhas: ele descobre como superar as dificuldades da vida nômade e a sinergia milenar que une o povo aos lobos selvagens das planícies.
Fascinado pela relação entre os homens e esses animais temidos e idolatrados, Chen compreende a rica relação espiritual que existe entre esses adversários e o que cada um pode aprender com o outro.
No entanto, a paz da existência solitária de Chen é destruída quando membros da República Popular formam multidões nas cidades para levar modernização e produtividade aos campos, interrompendo o delicado equilíbrio entre os habitantes das estepes.
Usando o lobo como metáfora, Jiang Rong constrói uma linda história, que é também uma dura crítica aos ideais da revolução, expondo a grave ferida aberta na cultura milenar que o estudante Chen aprendeu a amar e defender.
Com mais de 5 milhões de exemplares vendidos na China, O totem do lobo é um belo e comovente retrato de uma terra e uma cultura que não existem mais e, ao mesmo tempo, uma revelação fascinante da visão do país sobre si mesmo, sua história e seu povo.
*Como muitos sabem, tenho um fascínio muito grande por lobos. Então não resisti e comprei esse em uma promoção pela internet, faz parte da coleção agora.

Dimensões.BR
Org. Helena Gomes (Andross, 320 pág.)
Este livro traz contos de fantasmas, bruxas, vampiros, curupiras e lobisomens. Mas também de seres mágicos, alienígenas, monstros ainda desconhecidos e muito mais. Uma antologia genérica com liberdade para apresentar histórias que trazem os mais diferentes elementos fantásticos. Há apenas uma única condição – ter como cenário um lugar livre o suficiente para abrigar os estilos mais variados e os tons mais criativos. Um cenário chamado Brasil.

Anúncios

Um comentário

  1. Adorei toas as dicas me atrairam muito. Mas Dimensões.BR me atraiu mais por ser um livro de contos Fantasticos, já que quando se fala em fantasia só se vê séries e mais series de livros enormes (que são muito bons, rs), mas que vc deve seguir uma sequencia. Creio que nos contos os enredos fiquem mais enxutos (até mesmo por causa da estrutura) e mais assessivel.
    Adorei ele MESMO!
    =D

    Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s