Para Um Soldado Perdido (Voor een verloren soldaat, 1992)

Der verlorene Soldat DVD VK.indd

Temas polêmicos são sempre um chamativo, queiram ou não, que levam os telespectadores a assistirem alguns filmes, mesmo que isso dependa de um ponto de vista cultural. É assim que se pode começar a falar desse filme holandês. Tem-se em mente a idéia que os holandeses são liberais demais e talvez por isso esse filme tenha sido produzido, mas deve-se ressaltar que nessa história quase poética há muito mais que liberalismo. Para um Soldado Perdido, que chegou aqui no Brasil apenas em DVD ano passado, narra um romance pederasta, que causa comoção de uns e a aversão de outros.

Apesar de não se usar mais o termo pederastia, ele se encaixa muito bem para designar o relacionamento presente nesse filme. Alguns o veem como pedofilia, mas fazendo uma análise epistemológica notar-se-á a diferença. No Brasil a pederastia é crime, mas em muitas culturas, antigas e atuais, não é, então por isso não se pode ter algo como insano apenas por analisá-lo fora do seu contexto.

O filme conta a história de Jereon Boman, interpretado por Jereon Krabbé (quando adulto) e Maarten Smit (na fase criança), um coreógrafo que começa a relembrar momentos de sua infância que o marcaram (e muito). Somos então transportados para 1944, ao final da Segunda Guerra Mundial, Jereon aos 12 anos é mandado por sua mãe para longe do inferno que se instalou em Amsterdã. E esse ato da mãe do garoto nos remete aos romances A Menina que Roubava Livros e O Menino do Pijama Listrado.

No vilarejo que Jereon vai se instalar predomina uma paisagem extremamente bucólica. Ele se ver em uma vida totalmente diferente, com pessoas, idioma, hábitos tudo diferente do seu costume. Jereon é acolhido na casa de um senhor austero e religioso. Uma casa repleta de filhos (típico da época), e mesmo se sentindo um estranho no ninho é interessante a forma como o garoto interage com as pessoas, mesmo falando um idioma diferente daquele falado por quem ele gosta. Em meio a isso ele conhece um amigo do seu país de origem, mas é na figura do soldado canadense Walt que ele encontra o carinho e o acolhimento que tanto faz falta para um adolescente tido como abandonado.

Além de descobrir um mundo novo, o pequeno Jereon começa a conhecer seu próprio mundo interior, no começo de sua puberdade sua sexualidade começa a aflorar e trás consigo as dúvidas características da fase, e para isso note as caras do excelente desempenho do ator que o interpreta. E é aqui que surge a grande (e talvez polêmica questão): Jereon com 12 anos e Walt com idade entre 20 e 30 anos ambos apaixonados, um experiente, outro conhecendo o mundo e a si mesmo. O caso poderia sim ser encarado com mais polêmica não fosse a carga poética em cima da narrativa, e a dramaticidade que nos incita a torcer pelo casal.

A fotografia do filme é perfeita, e nos remete aos artistas mais clássicos, citando um que vem logo a mente, Van Gogh, diga se pelas cenas internas na casa que Jereon vai morar. A trilha sonora melosa demais e repetitiva é o ponto negativo mais gritante. Há que se ressaltar também que a direção de Roeland Kerbosch é excelente com tomadas certeiras, que dão ao filme um ar delicado que combina com a poesia do roteiro de Don Bloch. Devo dizer também que o roteiro é uma adaptação do romance da coreógrafa Rudi Van Dantzig, romance este tido com autobiográfico.

O gênero e o início do filme dão a quem assiste a noção do que irá acontecer, não há muitos mistérios, com exceção do fato de a versão adulta de Jereon dialogar vez ou outra com seu passado e vice-versa. Como a proposta do filme já sugere, pode-se concluir que tudo que de fato com valor nos resta são as lembranças. Lembranças de um passado que poderia ter se tornado um futuro feliz para o personagem e lembranças de um filme diferente para quem o assista.

Gostar ou não desse filme ou do seu conteúdo é uma questão pessoal, mas há que se admitir que ele é muito bem feito e sua delicadeza permite uma experiência cinematográfica impar.

Anúncios

64 comentários

  1. Mais do que polemico, o filme é pura poesia.
    A atuação de Maarten Smit é simplesmente linda. Nosso Jereon sem um super Ego ao qual se apegar e ser dominado, acaba por ver em Walt a pessoa que de tudo prometia protegê-lo e pra sempre ao seu lado ficar.
    Em um momento de dúvidas e projeções simplórias para sua vida, Jereon encontra em Walt toda a sua fortaleza que precisava e talvez o padrão estético ao qual mais se aproxima da sua perfeição idealizada.
    Tempos de guerra, um garotinho de 12 anos sozinho em um lugar desconhecido, um soldado “responsável” pelo fim da guerra e com um passado um tanto obscuro e ainda assim projetado em suas atitudes e gostos, como resultado uma aproximação e um envolvimento profundo em um dos lados e uma realização de um desejo reprimido. Tudo transmitido com a mais linda estética cinematográfica.
    Não apenas apreciei ao filme assistindo-o, mais o vivi junto de Jereon em seu tempo.

    Curtir

    • Oi João,
      Na tentativa de responder todos os comentário do blog, venho revisitar o seu 03 anos depois, desculpe pela demora, rs.
      Então, o filme é realmente muito bom e encantador. Agradeço a você, pois, não sei se lembra, mas assistir a esse filme por indicação sua. É de fato um filme muito marcante.
      Ainda hoje sinto muita vontade de ler o livro, que infelizmente não é de tão fácil acesso.
      Abraços

      Curtir

  2. Acabei de ver, e fiquei meio perplexo. Um filme como esse, creio, jamais poderia ter sido rodado nos Estados Unidos. E pensar que já tem 20 anos! Engraçado é que a todo momento os holandeses parecem querer mostrar o orgulho que sentem de seu liberalismo, como quando, por exemplo, o senhor que abriga o menino chama sua atenção, contra as expectativas mais óbvias, não por sua relação com o soldado, que ele aceita (bem como todo mundo ali), mas por ganhar chocolate e não repartir.

    Curtir

    • Oi Pedro,
      Pois é, a sensação que se tem ao terminar de ver o filme é que ele seja mesmo “chocante”. Isso se olharmos apenas para a disparidade entre a idade deles – fator superficial -, contudo quando se ver no íntimo da relação, o apoio e a cumplicidade de ambos, não há como não se tornar cúmplice também!
      Obrigado pelo sua opinião!

      Curtir

  3. Ah, sim, claro, a cena de um menino de doze anos sendo sodomizado por um adulto, e beijando-o, não é coisa a gente esteja acostumada a ver em romances.

    Curtir

    • Rsrs,
      Isso é verdade, a cena é realmente um pouco “intensa”, mas eu acho que ela foi de certo modo “suavizada”.
      De qualquer forma o diretor foi bem ousado!
      Abraços.

      Curtir

  4. Não, realmente não é de costume. Porque não se espera que fique algo tão… delicado, e como o João faou, poetico. Eu acho o liberalismo bom quando não faz mal a ninguem, e o filme é maravilhoso.

    Curtir

    • Letícia,
      Muito obrigado pelo comentário. O ar poético é um ponto forte do filme, além da fotografia que é linda.
      Concordo com você quanto ao liberalismo, rsrs!
      Forte abraço!

      Curtir

  5. Assisti o filme várias vezes e amei cada cena e detalhe. O amor foi mais forte,mesmo que os dois não tenham ficado juntos…

    Curtir

    • Olá Rodiney,

      Obrigado pelo comentário! Eu também gosto muito desse filme, apesar de toda a polêmica que o envolve! É impossível ignorar os elementos que o compõe, mas ainda assim olhando de um anglo isento de preconceitos e dogmas sociais o filme é lindo!

      Abraços!

      Curtir

    • Boa Noite amigo !

      Amigo, há tempos q venho procurando pelo Filme “FOR A LOST SOLDIER – PARA UM SOLDADO PERDIDO”, …e em alguma pag da Internet, vi uma msg sua q vc assistiu ao filme! ….Como vc o conseguiu??? …Por Favor, Me Ajude a Encontrá-lo !

      Eu ia te add aki no meu Face, mas ainda estou blokeado aki,… Se vc puder me Add, ficarei muito feliz !

      Curtir

  6. Realmente, a liberação só é boa quando não faz mal a ng. O Filme não é assustador, não entendo esse grau de perplexidade que algumas pessoas tentaram ao descrever o filme nos comentários. O filme é para apresentar a empatia do amor com o garoto e o soldado canadense. O Filme é incrível! Realmente! Acabei de encomendar o livro “For a lost soldier” em inglês onde traduzirei para português por passatempo. Rudi Van Dantzing escreveu uma ótima história Autobiográfica.

    Curtir

    • Oi Rafael,

      Você colocou algo importante na discussão acerca desse filme. De fato o filme trata de um amor, embora usem argumentos de que o garoto era muito jovem para discernir. Mas cada um tem o direito de se expressar e se posicionar contra ou a favor, né?
      Que bacana que irá traduzir o livro, gostaria muito de ter acesso a sua tradução depois!
      Abraços!

      Curtir

        • Oi Rafael,
          Nossa que legal!
          Eu fico muito feliz que você vá fazer isso! Estou bem ansioso pra ler o livro também!
          Qualquer coisa entra em contato com quando terminar de ler, e quando traduzir!
          Forte abraço!

          Curtir

  7. Eu nao gosto de pensar que esse filme é uma historia gay, mas sim uma historia de amor e uma linda historia de amor…é legal como no final ele encontra na foto o numero do soldado assim ele vai poder procurar por ele e assim saber o que realmente aconteceu com o walter

    Curtir

    • Olá Marcon,
      Eu penso como você, acho a rotulagem do filme bem desnecessária, eu prefiro pensar que seja uma história de amor não muito convencional, mas que assim como as mais comuns consegue emocionar!
      Você quase solta um spoiller, mas não acho que sua informações estrague o final, que é bem mais que isso!

      Abraços e muito obrigado por sua opinião!

      Curtir

  8. Pessoal, este filme já tem quase 20 anos.

    Penso que vivemos numa época em que a história caminha para atrás.

    Não se passarão mais 20 anos sem que filmes como este ou como o dinarmaquês “Você não está sozinho” de Lasse Nielsen e Ernst Johansen, sejam, a exemplo dos livros de Rousseau no séc. XVIII queimados em praça pública. Ou melhor, serão como os personagens indesejáveis do livro 1984 (de George Orwell), simplesmente “expurgados” (ou deletados), e ninguém nunca mais ousará falar deles.

    Sinto muito se passo uma mensagem pessimista e pouco romântica.

    Mas o mundo caminha para o completo controle da informação e, consequentemente, do pensamento.

    Vale dizer que os canais de TV precisam de uma concessão do governo para funcionar. E no Brasil tramita um projeto de lei para nos proibir de baixar filmes da internet (para “proteger os direitos autorais”).

    Vamos todos assistir “Tela Quente” e calar a boca. Cuidado com a “polícia do pensamento” (vejam bem: estou falando de um livro de ficção de George Orwell). Acho que não corro o risco de ser confundido. Ou será…???

    Curtir

    • Olá “Arthur”
      Então, o filme é um pouco antigo sim, mas eu acredito que isso não venha a acontecer. Embora eu concorde com muito do que você disse, eu prefiro acreditar que no futuro nos aguarda a tolerância e não a fogueira.
      Sobre o controle da informação, você tem certa razão. As coisas tem piorado muito, e a mídia tem sido uma forte formadora de opinião, se é que se pode dizer assim, sendo que o que o mais aparenta é a massificação de ideias comerciais.

      Muito obrigado por sua opinião!
      Abraços

      Curtir

  9. Mas também penso que é uma grande reducionismo rotular o filme como “temática gay”. O filme transcende a questão meramente sexual. Existe sim a questão do amor pederasta. Mas o filme é muito mais que isto. É a própria vida em sangue e solidão que revela, na forma de arte, suas profundidades escondidas na tela.

    Curtir

    • Então, sobre o filme eu também acho reducionismo taxá-lo de temática gay!
      Acho que em nada pode-se aplicar o reducionismo, muito menos para filmes e livros, sejam quais sejam eles.
      Você faz um boa descrição do filme, embora a parte sexual seja um viés importante na trama!
      Eu vejo que a situação se aplicaria bem a outro contexto e é isso que faz com que não se possa reduzi-lo ao fator pederasta.
      Abraços.

      Curtir

  10. Pederastia? De fato meu amigo, estas muito enganado. Apesar de se tratar de um relacionamento entre pessoas de idades completamente diferente, e de o romance se basear em um interesse – mas acho que até isso não ocorre, se tratar de um amor inocente com um outro que simplesmente é atrapalhdo pela força do destino-, não se pode dizer mais pederastia. Esse termo soa como ofensivo e desnecessário.

    Curtir

    • Oi Alex,
      Muito obrigado pelo comentário e por ter assinado o feed do blog 😉
      Bom, eu também não gosto do termo pederastia, primeiro porque ele está desafado e segundo pelo que você mencionou, o fato dele ter se tornado pejorativo. Mas de qualquer forma, ainda que de forma superficial esse termo epistemologicamente define a relação.
      Eu concordo com você no que tange a inocência da relação, tentei deixar claro no texto o quanto eu gostei do filme e do romance em si, que é antes de tudo muito poético.
      Mais uma vez muito obrigado pelo comentário e pela sua opinião, que para mim é muito importante!
      Abraços!

      Curtir

    • Então, eu também adoro o filme, acho que já o vi umas 5 vezes!
      Estou muito ansioso para ler o livro! Você já leu?
      Estou aguardando a tradução do nosso colega Rafael Claudino, rsrs!
      Abraços! ;D

      Curtir

  11. Olha, a sua resenha foi bastante esclarecedora. Gostaria que esse tipo de filme, incluindo este, passasse em todas as escolas brasileiras, públicas e privadas, bem como para a família dos alunos. Um dos temas do filme, a relação entre um garoto muito jovem e um homem feito, parece ser estranho e pesado para quem vê, mas retrata a realidade de muitos jovens quedesejam isso. Muitos garotos descobrem a homossexualidade cedo e se vêem subjugados pela família, amigos e parentes distantes a começar uma vida sexual que não lhe cabe, ou seja, serem heterossexuais. Isso acontece muitas vezes através de prostitutas, ou são obrigados a serem “machos”, mesmo que virtualmente. Isso é muito comum no Nordeste brasileiro. Voltando ao tema, então, quer dizer que o jovem garoto pode ser “macho” com uma mulher mais velha? Acho que não é a questão de ser uma mulher mais velha ou homem mais experiente, basta se respeitar o direito à sexualidade. Esse “liberalismo holandês” parece bem-vindo nos dias de hoje, em que o “liberalismo sexual/homossexual no Brasil” que está aí ainda não convence.

    Curtir

    • Olá João Pedro,

      Primeiramente devo dizer, que fiquei muito feliz com o seu comentário.
      Eu fiquei conhecendo esse filme através de um amigo. De fato filmes assim não são tão divulgados não.
      Eu concordo com o que você disse, embora vejamos um avanço em se tratando desse assunto, mas ainda estamos muito aquém da aceitação que já se observa em muitos outros países.
      Acho que questões como essa devem ser discutidas sabiamente, sem essa impregnação de juízos de valor que sempre se coloca quando elas acontecem.

      Já que você pede mais divulgação de filmes assim, recomendo que assista (se ainda não tiver visto) o filme Orações para Bobby, que por sinal já resenhei AQUI.
      Abraços!

      Curtir

  12. Bom, eu sei que o filme é muito bom mesmo, se todo mundo amasse com sinceridade o mundo hoje não teria muita violência, porque o amor existe mesmo no ser humano tanto faz masculino ou feminino. Se uma criança gostar de uma pessoa é porque ele tem amor no seu coração

    Curtir

  13. Assisti o filme de forma precaria , pois nao o encontro com legendas em portugues nem dublado
    entendi melhor o filme lendo os comentarios desta resenha, pra mim o filme é muito bom, vi muita ternura e puresa neste filme, e os comentarios são quase sempre de pessoas abalisadas, se alguem puder me informar como faço para adquirir o filme com legendas ou dublado em portugues me informe por favor

    Curtir

    • Oi Manoel, tudo bom?
      Obrigado pelas visitas e pelos comentários,
      Então, o filme Para um Soldado Perdido é de um lirismo ímpar. É um dos meus favoritos.
      Na época que assisti o filme estava com legendas em português, no entanto no arquivo que tenho atualmente está sem legendas. Estou procurando um que se encaixe nele, assim que eu encontrar te aviso, ok?
      Forte abraço!

      Curtir

  14. Oi Cooltura! Gostei muito da foto e dos comentarios sobre esse filme queria muito poder velo, Sera que você pode posta um link pra Download e a Legenda? Obrigado

    Curtir

    • Olá Luiz Felipe,
      Que legal que você gostou do texto sobre o filme. É uma história bem polêmica, mas muito muito interessante. Sobre o download, não costumamos disponibilizar links, mas acredito que você encontre facilmente em torrent, eu mesmo tive dificuldade de achar uma legenda bem sincronizada dele. Qualquer coisa, se você não conseguir, entre em contato por email: ademarpjunior@gmail.com
      Abraços!

      Curtir

  15. Olá Ademar! Assisti ao filme hoje e o achei muito bom, com ótimas interpretações sobretudo do garoto ( excelente!), bela fotografia e direção. Teus comentários e outros apresentados aqui foram muito esclarecedores e trazem uma perspectiva correta sobre a relação do soldado com o menino. Um filme que certamente nos faz repensar nossos conceitos a respeito do amor e da vida e só por aí já vale e muito ser visto ou melhor apreciado. Baixei-o de um torrent e fiz uma sincronia mais correta da legenda. Abraços!

    Curtir

    • Olá Philippe, tudo bem?

      Muitíssimo obrigado pelo comentário. Fiquei muito feliz que tenha gostado do meu texto. O filme é realmente incrível, eu assisti umas 3 vezes e sempre me impressiono em como ele é singelo e delicado, mesmo abordando um tema tão polêmico e forte.
      É muito difícil encontrar legendas adequadas para o filme, poderia me passar a que você sincronizou?
      Volte sempre ao blog!
      Abraços!

      Curtir

    • Olá Wilsinho,

      Estou há um tempo também atrás do livro, mas acredito que só esteja disponível para importação em inglês. Caso tenha alguma novidade, por favor me informe.
      Forte abraço e obrigado pelo comentário!

      Curtir

    • Oi Rui,
      Não sei informar, eu assistir esse filme porque um amigo me emprestou. Ele foi lançado aqui no Brasil diretamente em DVD. Não o encontrei pela internet. O pessoal sempre tá procurando. Se encontrar me avise!
      Abraços!

      Curtir

  16. Oi, tudo bem? O filme é sensacional e pode ser baixado via You Tube, a legenda está em espanhol, mas de fácil entendimento, abração, Joel

    Curtir

    • Oi Joel,
      Obrigado pela dica, eu tenho ele aqui, mas a legenda que tenho não está sincronizada, vou dá uma olhada nessa versão do YouTube.
      Abração!

      Curtir

  17. Sou Cláudio Factum,cineasta independente em Salvador Ba.Tenho esse filme em casa e garanto ,para quem não viu, que é bonito,delicado e sexy.È o tipo de filme que toca em temas presentes em minhas pequenas produções.

    Curtir

    • Olá Claudio,
      Que prazer recebê-lo aqui no blog. Muito bacana saber que você é um cineasta independente, adoraria conhecer alguns dos seus trabalhos. E mais legal ainda saber que seus trabalhos tratam dos temas presentes nesse filme.
      Eu concordo com você o filme é realmente bonito e delicado.
      Forte abraço e obrigado pela visita!

      Curtir

    • Oi Daniel,
      O Filme é realmente muito emocionante. Acho que todo mundo merece alguém que ame de forma recíproca.
      Abraços

      Curtir

  18. Não consegui ver o filme, deixarei para ler a resenha depois, por causa de possíveis spoilers… rssrsrs… Se puder disponibilizar um link, para stream ou mesmo download eu agradeceria!

    Curtir

    • Oi Ítalo,
      Obrigado por comentar. Então, a resenha tá sem spoilers, não se preocupe, rsrs…
      Quanto ao link, há uma versão legendada em português no YouTube, no entanto a imagem não é muito bom, caso queira dá uma olhada, eis o link:

      Abração!

      Curtir

        • Oi Ítalo,
          Uma pena que não tenha gostado tanto do filme. Infelizmente eu discordo de você, isso porque eu o acho muito encantador e não acho que seja fora de foco.
          De qualquer forma, obrigado pela sua opinião.
          Abraços

          Curtir

  19. Olá sou Santiago primeiro quero dizer que gostei tanto do filme que fico emocionado com uma história tão linda, mais também injusta com o fato deles não ficar juntos no fim do filme.
    Mais alguém pode me ajudar a entender uma coisa, durante o filme vemos um senhor falando no ensaio de uma coleografia e novamente falando com o menino joeron e depois no final do filme ele recebe um envelope com fotos, gente vcs podem me ajudar a entender, e ele já velho ou ele é aquele jovem que está dançando, estou muito com essa dúvida pra mim entender o filme por inteiro desde já muito obrigado adora filme muito lindo recomendo a todos!!!

    Curtir

  20. O filme é emocionante, lindíssimo. Não tem nada de pedofilia, pederastia, gay ou coisa semelhante. Sou casado, tenho filhos, netos, heterossexual, 66 anos … o que consigo ver nesses tipos de relação é poesia pura – o cinema é qual uma mágica que nos faz viver, sorrir e chorar. Gostaria de conhecer muitos e muitos títulos como esse para assistir um cada dia.

    Curtir

    • Oi Roberto,
      Sim, o filme é emocionante e lindo, de uma delicadeza ímpar. Quanto aos temas pederastia e homossexualidade (ou coisa semelhante como você citou) há sim, mas abordada de uma forma sadia, sem preconceitos e tabus. E esse é um dos principais pontos positivos do filme tratar de temas polêmicos de forma poética, que tire o peso e o teor pejorativo imposto a eles.
      Há alguns títulos excelentes que abordam temas como esse, posso te indicar ‘Orações para Bobby’ para começar.
      Abraços e obrigado pelo comentário.

      Curtir

  21. Filme realmente lindo, sem tabus ou preconceitos, pura poesia. O diretor do filme conseguiu captar uma delicadeza e uma pureza belíssima, eu descobri o filme agora e wow!
    Passei horas tentando achar o livro, pena que só tem em inglês (bom que coloco o inglês em prática né, rs) o livro é tão encantador quanto o filme, eu sinceramente sugiro que todos assistam.

    Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s