Lançamentos #05

Olá amigos leitores. O tempo vai passando (rápido) e a cada mês vão chegando coisas novas e interessantes no nosso mercado editorial. Sejam elas vindas de fora ou fruto de nossa própria safra de novos (e antigos) autores. Assim vamos aumentando o consumo, aumentando as listas de leituras, as estantes e outras coisas mais. É por isso que trouxe algumas novidades interessantes para que aumente também a curiosidade de vocês. Começo com um que promete virá clássico, e depois parto pra outros curiosos, interessantes e divertidos. Espero que gostem das sinopses, e talvez um dia eu resenhe alguns deles por aqui.

Queda de Gigantes
Ken Follett (Sextante, 912 pág.)
Queda de gigantes é o novo épico de Ken Follett. O primeiro romance desta trilogia segue o destino de cinco famílias durante a Primeira Guerra Mundial e a Revolução Russa.
Aos 13 anos de idade, Billy Williams entra em um mundo de homens nos poços de mineração da Gália. Gus Dewar, um estudante de direito norte-americano sem sorte no amor, encontra uma carreira nova e surpreendente. Dois irmãos órfãos russos, Grigori e Lev Peshkov, embarcam em caminhos radicalmente diferentes separados por metade do mundo quando seus planos de emigrar para os Estados Unidos falham por causa da guerra e da revolução.
Estes e muitos outros personagens têm suas vidas intimamente entrelaçadas em uma saga que se desdobra em drama intrigante e complexo. Queda de gigantes vai de Washington à São Petersburgo, da sujeira e do perigo de uma mina de carvão aos candelabros brilhantes de um palácio, dos corredores do poder para os quartos dos poderosos. Como sempre acontece com Ken Follett, o contexto histórico pesquisado é brilhante e a ação processada em movimentos rápidos. Os personagens são ricos em nuances e emoção. Está nascendo um novo clássico.
Em volumes futuros, esta trilogia irá percorrer os grandes acontecimentos do restante do século XX. Com paixão e com mão de mestre, Follett nos leva a um mundo que pensávamos que conhecíamos, mas agora nunca mais será o mesmo.
Queda de gigantes será publicado simultaneamente em 14 países no próximo dia 28 de setembro. Neste primeiro volume, o autor segue o destino de cinco famílias que têm as suas vidas entrelaçadas – uma americana, outra russa, outra alemã, outra inglesa e a última galesa – através dos turbulentos eventos mundiais que foram a Primeira Guerra Mundial e a Revolução Russa.
O segundo livro, previsto para ser publicado em 2012, irá acompanhar os filhos dos personagens de Queda de gigantes, de como sobreviveram à Depressão e à Segunda Guerra Mundial. O terceiro livro, previsto para 2014, será sobre a geração seguinte durante a Guerra Fria.

A Memória Vegetal: e outros escritos de bibliofilia
Umberto Eco (Record, 272 pág.)
Neste trabalho, Eco fala da importância do livro para a evolução das civilizações e para o nascimento das grandes religiões monoteístas. Com humor e competência, Eco nos guia, amantes do livro ou aqueles que o são mas ainda não sabem, pelo mundo mágico da bibliofilia.

Criatura Selvagem
Steve Jackson (Jambô, 302 pág.)
O mal triunfa no Passo do Dente de Troll. O necromante Zharradan Marr está prestes a roubar os segredos da magia élfica que irão torná-lo invencível. Nada poderá evitar que suas legiões dominem toda Allansia.
Mas por que você iria se importar com isso? Nesta aventura, você é a criatura selvagem, uma fera monstruosa governada por sua fome e fúria. Se sobreviver, poderá controlar sua natureza bestial e descobrir seu verdadeiro propósito. Mas o sucesso não é certo, pois os horrores do Passo do Dente de Troll são muitos…
Parte história, parte jogo, este é um tipo diferente de livro — aqui, você é o herói! Você precisa apenas de um lápis, uma borracha e dois dados para embarcar nesta fantástica aventura.

Contato Visual
Cammie McGovern (Novo Conceito, 312 pág.)
Enquanto as crianças brincam no playground de Woodside Elementary School, dois alunos, uma garotinha e um garoto, desaparecem, sendo vistos pela última vez atravessando o campo de futebol em direção ao bosque atrás da escola. As horas passam e então apenas um deles, Adam, um garoto de nove anos com autismo, é encontrado vivo, a única testemunha de um assassinato incompreensível. Verbal apenas nos melhores dias, Adam recua em seu mundo silencioso que Cara, sua mãe, conhece muito bem. Com a comunidade em choque e seu filho incapaz de ajudar na investigação policial, Cara tenta decifrar os enigmáticos acontecimentos.
Um romance excitante de suspense psicológico sobre um crime que golpeia o centro de uma comunidade pequena, a comovente trama de Cammie McGovern é, sobretudo, uma história poderosa sobre a delicada e complexa ligação entre uma mãe e seu filho autista.

Rabiscado no Teatro
Stéphane Mallarmé (Autêntica, 288 pág.)
Rabiscado no teatro reúne as crônicas teatrais do poeta francês Stéphane Mallarmé, a maioria delas originalmente publicadas na Revue Indépendante, entre 1886 e 1887, a convite do amigo Édouard Dujardin, editor da revista. Era com certa resistência e a contragosto que Mallarmé ia ver certas peças; e, muito frequentemente, os comentários a uma peça, a uma pantomima ou a um balé não eram mais que pretextos para apresentar suas visões estéticas mais gerais, incluindo sua preferência por seu próprio “teatro íntimo”, o da mente. A presente tradução procura conservar as peculiaridades da sintaxe de Mallarmé, tentando proporcionar ao leitor de língua portuguesa uma estranheza parecida à sentida pelo leitor de língua francesa diante do original. Os mais perplexos podem se socorrer das abundantes “notas de leitura” do tradutor que acompanham esta edição.

Aprendi com Meu Pai
Luís Colombini (Versar, 251 pág.)
Aprendi com meu pai é um livro de memórias, escrito por 54 pessoas consideradas bem-sucedidas ou celebridades, que contam fatos inéditos de seu passado, muitas vezes com nuances de humor, outras vezes com grande emoção, todos mantendo o tom franco do livro. Elas contam a maior lição que receberam de seu pai. O livro foi idealizado e editado pelo jornalista e editor Luís Colombini, publicado pela editora Versar.
Qual foi a lição mais importante que você aprendeu com seu pai? Essa pergunta foi respondida por 54 pessoas de sucesso, entre artistas, cantores, atores, músicos, empresários, executivos, publicitários, jornalistas e diretores de cinema. São grandes nomes como Paulo Autran, Zezé Di Camargo & Luciano, Ivete Sangalo, Cássio Gabus Mendes, Mauricio de Sousa, Lígia Cortez (filha de Raul Cortez), Nuno Cobra, Alice Carta, Nelson Motta, William Bonner, Walcyr Carrasco, Vilfredo Schürmann, Alberto Saraiva (fundador do Habib´s), Antonio Maciel (presidente da Ford), Roberto Lima (presidente da Vivo), Roberto Dualibi (presidente da agência de publicidade DPZ), Fabio Fernandes (F/Nazca) e Fernando Terni (presidente da Nokia), Valdeck Almeida de Jesus (jornalista, escritor e poeta), entre outros.
O resultado é um livro de memórias, ou de histórias, das 54 celebridades que aceitaram revelar cenas inéditas de seu passado, às vezes com bom humor, às vezes emocionados, sempre com uma franqueza desconcertante. Num mundo cada vez mais complicado, Aprendi com meu pai fornece um farto material de reflexão e de orientação na relação entre pais e filhos. Sobre o autor Jornalista há 17 anos, Luís Colombini trabalhou em revistas como Veja, Você s.a., Viagem e Turismo e Forbes. Criou e dirigiu também a Seu Sucesso, especializada em negócios. Hoje se dedica a livros.

Um comentário

  1. Beem, desses lançamentos os que mais me chamaram a atenção foram “Queda de Gigantes”, “Contato Visual” e “Aprendi com meu Pai”.
    O primeiro por me parecer ser uma história intrigante, complexa, cheia de acontecimentos e estes parecem ser muito intensos, cheios de detalhes. Pelo toque romântico que aparenta ter também.
    O Segundo logo por possuir como alguns dos personagens principais duas crianças. Penso que qualquer história que possua seres incocentes como elas, torna-se mais cheia de brilho, mais verdadeira.
    Me deixam encantada. Depois pelo suspense presente. E também pela forma como a mãe se relaciona, entende, sente o seu filho.
    O terceiro, “Aprendi com meu Pai”, pela descrição, mostra o quanto nossos pais nos são importantes. Com eles aprendemos muito, eles nos doam
    muito de si, mesmo que às vezes pareça que não. Na minha opnião acho importante lembrar sempre isso. E como diz num trecho de um texto de William Shakespeare:
    “Depois de um tempo você aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha”. Talvez esteja errada, mas acho que esse livro deve mostrar
    mais ou menos isso.
    Gostei muito das novidades. Como sempre Ademar, você arrasando nas idicações, descrições e detalhes!

    Beijos e Abraços!

    Leilane Freitas Rocha

    Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s