Orações Para Bobby (Prayers for Bobby, 2009)

Antes de fazer eco de “Amém” na sua casa ou no seu lugar de adoração, pense e lembre-se: “Uma criança está ouvindo”. –Mary Griffith

Assuntos religiosos geralmente são os mais delicados para serem discutidos, devido ao fato de que, segundo os religiosos, eles não devem ser questionados, apenas seguidos. Entre eles talvez o mais delicado de todos seja o contraponto que há entre a religião e a homossexualidade. Os homossexuais vão para o céu, ou são imediatamente descartados da seleção divina? Para os que seguem a risca o que a Bíblia diz todos irão para o lago de fogo, mas parece não ser bem por ai a melhor forma de encarar e lidar com a situação, até porque a Bíblia não é o melhor código de normas sociais para se seguir vivendo. O cantor Ricky Martin fala exatamente disso em alguma parte de sua recém-lançada autobiografia. Mas isso já havia sido discutido muito antes, como acontece nesse filme, Orações Para Bobby.

Esse é um dos poucos filmes que tem a audácia de falar disso de uma forma tão aberta e explícita, questionando diretamente e confrontando muito do que a Bíblia conta. Aqui somos apresentados à família Griffith, uma família americana tipicamente religiosa num recorte de tempo entre 1979 e 1982, não necessariamente nessa ordem. Com uma fé fervorosa, a mãe tenta aos trancos e barrancos deixar toda a família na retidão para garantir que todos estejam juntos de novo no céu. E assim abomina qualquer forma de pecado, seja ele o mais leve que for. Porém Bobby teve o (des)prazer de nascer nessa família rigorosa, apesar de amar a todos. Bobby tem 20 anos, mas no fundo é ainda um adolescente. Sofre muita pressão por ser homossexual, o que gera muito conflitos internos, que culminam em sua ruína.

Sabe aquela de que “Deus o ama, mas não ama o que você faz”? Bom, isso não funciona. A homossexualidade não é doença, nem possessão, nem qualquer que seja outra coisa sobrenatural, porque ela é natural, intrínseca. Deus poderia até mudar as pessoas, mas não o faz, e de quem é a culpa? Bom, não é minha intenção discutir ou determinar verdades, o que digo é que Bobby é um exemplo disso. Se ele não pode ser aceito como é nem por sua família, nem por seu deus, o que fazer? Bobby toma a pior das decisões, o suicídio. Poderia até ser muito dramático não fosse o fato de essa ser uma história real, e que acontece muitas vezes ainda hoje em dia, então o que parece drama passa a ser trágico.

Após a morte de Bobby sua mãe, Mary, parte em busca de respostas. E é quando finalmente resolve questionar a Bíblia, é que ela encontra as respostas de que procura. Seu filho nunca havia sido doente, nem tão pouco era um pecador “nojento” como ela mesma havia nomeado. Porém a resposta meio que chega tarde demais, pois isso não trará mais Bobby de volta. Mas a pergunta que ela mesma se faz é que define o rumo de sua vida “Quantos Bobbies não estão passando por isso diariamente?”. É a partir dai que ela se torna uma lutadora pelos direitos de gays, lésbicas e demais inseridos no grupo LGBT. Seu trabalho teve visibilidade maior sendo um dos nomes mais importantes na luta pelos Direitos Humanos. Lembrando que Mary e Bobby realmente existiram.

Engana-se quem pensa que o filme conta a história de Bobby, ele é apenas um fio condutor, a personagem principal é sua mãe, Mary. É dela todo o foco narrativo e é dela uma das melhores interpretações (por Sigourney Weaver) nesse filme para TV, que não deixa em nada a desejar comparado com os filmes feitos para telona. Lógico que por ser veiculado em outra mídia ele possui características próprias, como a fotografia de Thom Best, que possui mais enquadramentos em closer e outros detalhes característicos. A atuação de Ryan Kelley (Bobby) também não deixa a desejar, e é dele parte de toda a dramaticidade do filme.

A direção é de Russel Mulcahy, apesar dos pequenos deslizes, não se compromete em nada, nos dando um resultado final digno. O roteiro de Orações Para Bobby é de Katie Ford, adaptado do livro de Leroy Aarons, que primeiro narrou essa história exemplar, que nos incita a abrir os olhos para imposições sociais e religiosas. Ter olhos críticos para com o mundo em que vivemos é o que mais se precisa nos dias atuais, e só por isso o filme já vale a pena, deixando de escanteio qualquer crítica negativa que venha a receber. Recomendo (principalmente aos que vivem um dilema como esse)!

Anúncios

14 comentários

  1. Parabéns pelo texto, mostra bem a essência dramática e também sensível do filme! E o retrato dele é bem real, triste e doloroso até, pois mostra o lado “sofrido” do ser humano, homossexual, que não recebe apoio familiar…e, pra fugir da dor, recorre ao suicídio…

    Abraço!
    Você deveria postar mais sobre cinema!!

    Curtir

    • Olá Cristiano,

      Obrigado pelo elogio, devo dizer que você também escreve muito bem, ainda mais falando de cinema e temas como esse.
      Então, o filme tem uma mensagem muito especial, e só por isso já é digno de ser assistido. Não fosse isso suficiente, digo que o filme também é muito bom como um todo, dai não pode mesmo deixar de ser visto.

      Vou tentar escrever mais sobre cinema.
      Abraço e volte sempre

      Curtir

      • Eu tinha que viver o bastante para assistir este filme, poucas vezes me emocionei tanto, obrigado Ademar pela sugestão.
        Sugestoes suas sem duvida não se pode perder, você me parece tão jovem mas muito capaz. Abraços

        Curtir

        • Oi Manoel,
          Quando eu vi Orações para Bobby pela primeira vez fiquei muito encantado e emocionado, tive que ver outras vezes.
          Fico feliz que tenha gostado da sugestão, veja outros arquivos do blog referentes a cinema que você vai encontrar mais sugestões.
          Obrigado pelos elogios.
          Abração

          Curtir

  2. Um filme muito comovente, que nos faz pensar o quanto a sociedade é ignorante com relação à homossexualidade, e que acima de tudo, nos coloca a par do sofrimento vivido por homossexuais, devido ao preconceito e a não aceitação da família para com a orientação sexual.

    Resenhou muito bem o filme Ademar, como sempre.

    Curtir

    • Júnior,

      Primeiramente devo agradecer seu comentário. Eles me ajudam a continuar.
      Quanto ao filme, você colocou algo importante, a ignorância é o motivo de muitas mortes, sejam elas suicídio ou homicídio, de homossexuais.
      O filme trás certa luz sob um certo foco para aqueles que vivem um dilema entre a orientação sexual e a religião.

      Obrigado e volte sempre.
      Abraços

      Curtir

  3. Você escreve divinamente bem…pelas suas palavras já imagino o filme…muito interessante a história essa mistura de religião. lindo!

    Curtir

    • Oi Carlos,
      Obrigado pelo elogio, Orações para Bobby é realmente um filme lindo (e reflexivo), que acho que você deveria assistir!
      Quando tiver a oportunidade de vê-lo comente novamente por aqui com sua opinião!
      Abraços!

      Curtir

  4. Assisti so o trailer e ja me emocionei… Ai li a resenha super-bem-feita do Ademar e isso aumentou ainda mais meu interesse pelo filme. Ja que gosto de filmes polemicos, tristes e baseados em fatos reais, creio que esse seja um “prato cheio”.
    Parabéns pela belissima resenha.

    Curtir

  5. Como dizer que chorei sem que isso me deixe envergonhado?!
    Enfim, esse filme mostra a realidade de um homossexual que cansa de lutar contra o preconceito exterior, o qual também causa um inicio de preconceito interior.
    E isso é o fim… ele não suporta a rejeição de quem ele ama.
    Simplesmente amei!

    Curtir

    • Sabe porque acessei esse post hoje? Porque estava no meu quarto, minha mãe me chamou para me mostrar uma passagem na Bíblia que diz Se um homem dormir com outro homem, como se fosse mulher, ambos cometerão uma coisa abominável. Serão punidos de morte e levarão a sua culpa” (Lv 20,13). Nesse momento me lembrei da internet e busquei algo que fizesse minha mãe refletir sobre o que ela estava fazendo.

      Ótimo post, parabéns.

      Curtir

      • Se você pretende fazer sua mãe refletir sobre o tema, encontrou a forma certa. Este é um filme que trata da homossexualidade, mas não é um filme para homossexuais (ou não só para eles).
        Você deve assistir também, se você ainda não conhecer!
        ;D

        Curtir

      • Caio,
        Fico muito feliz que tenha usado meu post para fazer sua mãe refletir, gosto de saber que o blog contribui com algo para as pessoas. Obrigado por ter acessado e comentado. Isso é muito importante para nós. Sobre o filme o Mailson disse tudo, é um ótimo exemplo para pessoas não homossexuais que usam argumentos religiosos para essa discussão.
        Forte abraço e volte sempre!

        Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s