Quando Ela se Foi, de Harlan Coben

Nossa lógica nunca é linear. O raciocínio avança, recua, bate nas paredes, faz curvas fechadas e se perde em desvios. Qualquer coisa pode ser um elemento catalisador – e geralmente é algo que à primeira vista não tem nada a ver com o assunto em questão, algo que lança nosso pensamento para uma direção inesperada e fatalmente resulta em uma solução que a lógica linear jamais teria suposto.
Harlan Coben, Quando Ela se Foi, pág. 205

Quando Ela se Foi é um daqueles livros ao qual você se prende freneticamente da primeira à última página. Embora eu nunca tenha lido nada do autor anteriormente, digo que me surpreendi com a forma narrativa que o americano Harlan Coben usa para contar suas histórias. Outros títulos do autor, publicados aqui pelas editoras Arqueiro e Arx, deixam qualquer um no mínimo curioso, diga se por Não Conte a Ninguém, Desaparecido para Sempre ou Cilada. De todos, este ao qual me refiro é o que ao meu ver menos chama atenção, porém nem o título nem a sinopse gigantesca (típica da editora) são capazes de resumir ou aguçar tudo que o livro provoca durante a leitura.

Quem já leu algo do autor deve conhecer bem o protagonista Myron Bolitar, porém o personagem merece certo destaque. Myron é de longe um dos personagens de romances policiais mais divertidos que já vi. Suas cortadas bem humoradas são um dos melhores atrativos do livro e do próprio personagem. Ainda com todo esse bom humor o livro não perde a pose de romance de mistério e é capaz de fisgar o leitor para uma leitura ininterrupta do início ao fim.

Myron já protagonizou outros livros de Coben, que em breve devem ser lançados por aqui, como promete a editora Arqueiro. Dessa vez o ex-atleta, Myron, entra na missão de ajudar uma amante que está em Paris investigando a morte do ex-marido e acaba descobrindo que o caso possui proporções internacionais e de caráter terrorista. Terese tem uma ligação forte com o caso e pede a ajuda de Myron, que retribui a ajuda recebida em outra aventura vivida por ambos 10 anos antes. Além do casal entram também em cena os amigos de Myron, que sempre o auxiliam, e entre eles estão Esperanza, Big Cindy e Win, que é de longe o melhor personagem do livro e não é difícil entender por que. Ele é a solução para qualquer falha na trama.

É nítida a influência de seriados com CSI nos romances policiais contemporâneos. A narrativa eletrizante e toda a trama investigativa, de construção meticulosa é o que mais impressiona e encanta nesse tipo de livro. Ao contrário da fantasia que recria nossa realidade, o romance policial usa do verossímil e crível para mostrar possibilidades. Tudo muito bem construído e ao mesmo tempo frágil, repleto de reviravoltas que de uma página para outra modificam tudo que se tinha como verdade até então. E Harlan Coben me parece um mestre nessa arte.

Quando Ela se Foi, assim como Olhos de Falcão da irlandesa Alex Barclay (que já foi entrevistada pelo blog AQUI), é um ótimo exemplo de que o romance policial, apesar de um pouco diferente das origens é ainda uns dos gêneros que mais agradam. Esse é o tipo de livro que seria um crime soltar qualquer tipo de spoiler, portanto deixo com vocês, leitores, a tarefa de sentirem por si só a adrenalina do mestre das noites em claro, como Harlan é conhecido.

Título / Título original: Quando Ela se Foi / Long Lost
Autor(a): Harlan Coben
Editora: Arqueiro
Tradução: Marcelo Mendes
Edição: 2011 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2009
Páginas: 256

Onde comprar:
Submarino | Saraiva | Cultura

Anúncios

16 comentários

  1. Esse título, assim como dito na resenha, nunca me interessou também. Mas Não Conte a Ninguém já me interessou sim, e muito, uma pena que ainda não tive a oportunidade de ler nenhum livro dele.
    Se ele tiver metade da competência exposta no texto, já estará na minha lista de próximas aquisições e leituras pendentes.

    Belíssima resenha, Ademar!

    Abração!

    Curtir

    • Mailson,
      Eu acredito que você vá gostar sim dos livros do Harlan, eis aí uma dica para suas compras compulsivas no Submarino!
      Cilada acho que é um título desse autor que você poderá gostar!
      Quando ler algo dele me avisa!
      Abraços!

      Curtir

    • Cássia,
      Eu também via muita gente falando do Harlan e por isso tinha curiosidade de ler algum livro dele!
      Quanto à sua pergunta, eu acho que não tem nem como comparar. A Agatha é simplesmente divina, e o Harlan escreve um policial um pouco diferente, faz mais essa linha CSI. Não é aquele suspense pra saber quem é o assassino, mas sim o suspense pra ver se o bandido será preso e/ou vingado!
      Beijos.

      Curtir

    • Tanner,
      Muito obrigado, fico feliz que tenha gostado!
      Depois desse estou muito curioso para ler outros livros do autor, e Não Conte a Ninguém é um dos que quero ler o quanto antes.
      Quando você ler passa aqui pra comentar de novo!
      Confesso que estou ansioso para ler seu livro [5inco Sentidos] também!
      Abraços!

      Curtir

  2. A resenha induz totalmente a pessoa a ler. hehe Romance policial realmente me chama muita atenção e com esse livro não foi diferente. Parabéns Ademar, muito bom.

    Curtir

    • Matheus,
      Fico feliz que eu tenha despertado sua curiosidade para ler o livro!
      Eu também tenho uma queda por romances policiais, é um dos meus três gêneros favoritos (assim como fantasia e ficção-científica).
      Obrigado pelo comentário!
      Abraços

      Curtir

  3. Mais uma excelente resenha, Ademar. Eu não sei se o livro se torna atraente por si mesmo ou pela sua resenha, sempre bem feita e abrangente. Não li nada e desconheço esse autor, por isso me alegro em ler a apresentação que você faz do livro, pois assim ele se torna mais uma opção de leitura.
    A literatura policial é vasta e, além dos clássicos, existe também os autores menos conhecidos. Muitas vezes esquecemos de desvendar os novos nomes dessa área e ficamos somente naqueles já solidificados em nosso hábito de ler.
    Parabéns, seu blog sempre ótimo e vc sempre perfeito.

    Curtir

    • Pois é, Sérgio
      O Harlan é até bem conhecido, mas eu particularmente comecei a ouvir falar dele ano passado, quando a Sextante [atual Arqueiro] começou a publicar alguns livros dele!
      Via resenha resenhas elogiando e fiquei muito curioso.
      Espero que você leia algum dele em breve, se acontecer volta aqui e comenta de novo o que achou!
      Abraço!

      Curtir

    • Oi Álvaro,
      Fico feliz que eu tenha conseguido despertar o seu interesse, se você gostar de livros com muita adrenalina esse é uma boa pedida. Tenho certeza que você vai gostar!
      Muito obrigado pelo comentário!
      Abraços!

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s