Paz na Terra Entre os Monstros

Costumo dizer que analisar livros de contos é algo extremamente complicado. Dada a diversidade de gêneros e estruturas narrativas que os contos podem ter. Quando o autor é um artífice para criação de pequenas histórias, isso se torna mais difícil ainda, sendo necessária uma análise profunda de cada conto. Embora esse livro, Paz na Terra Entre os Monstros do goiano André de Leones, se encaixe bem nessa descrição, tentarei abordá-lo como um todo. O livro é composto por oito contos e uma novela intitulada Aneurisma.

Leones é um hábil contista e esse livro é um reflexo disso. O autor consegue encantar e prender o leitor, ao mesmo tempo em que lhe causa aversão e repulsa. Usa de temas profundos, angustiantes e até mesmo poetiza superficialidades, que em dadas situações se tornam importantes e tomam sentidos diferentes. Se fosse pra definir um tema central para o livro seria morte, cercada por sexo e marginalidade. Mas a essência da morte é o ponto de partida, literalmente, que rege a vida dos personagens, alguns que fogem e outros que anseiam por ela.

No primeiro conto homônimo ao título, uma garçonete ciente de sua morte não foge de seu algoz e ainda aproveita para iniciar um adolescente como sua missão derradeira. Em Você não quis dizer nada uma menina conta para seu psicanalista que é abusada sexual por seu pai. Acho que agora não falta ninguém é o relato de um filho que não consegue chorar a morte do pai. As primeiras experiências de um triângulo amoroso são narradas em Notas para quando o mundo explodir. Há outros quatro narrados de forma rápida, mas também cheios de um conteúdo quase visceral.

Abro um parêntese para falar da estrutura narrativa de Marx & Engels, que é de longe um dos contos mais curiosos desse livro. Aqui o autor usa o mesmo método usado por David Lynch em sua minissérie Rabbits. Nenhuma fala ou diálogo se completa de imediato, mas são intercalados com outras falas, numa multiplicidade que exige do leitor bastante atenção e pelo menos cinco releituras para pegar todo o viés do microconto.

Aneurisma, a novela que encerra o livro, condensa todo o desespero dos contos que antecederam. Aqui um jovem descobre ter uma doença terminal e resolve não se tratar, espera pela passagem etérea dividido entre o sexo e a presença antecipada do espectro da morte. A novela é de uma densidade tamanha que chega a sufocar. A solidão, a tristeza, desesperança e fuga são as cores da narrativa. Uma sentença já profetizada em um livro escrito pela mãe do rapaz, livro esse que é lido e analisado durante toda a narrativa.

Em suma André de Leones mostra novamente porque foi merecedor do Prêmio Sesc de Literatura com seu livro de estréia Hoje Está um Dia Morto, que tem uma mesma abordagem. Recentemente o autor lançou pela editora Rocco seu mais novo livro Dentes Negros, um romance pós-apocalíptico onde personagens buscam uma redenção em meio aos destroços do mundo atual, vitimado por uma doença fatal. Os títulos do autor (dos contos e dos livros) são um caso a parte, não há como não despertar a atenção para eles. Me tornei fã e super recomendo!

Título / Título original: Paz na Terra Entre os Monstros
Autor(a): André de Leones
Editora: Record
Edição: 2008 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2008
Páginas: 178

Onde comprar:
Submarino | Saraiva | Cultura

Anúncios

11 comentários

  1. Esse livro me parece ser mesmo muito bom.
    Gosto bastante desse tipo de narrativa.

    É verdade isso que você falou sobre os títulos. São todos muito bons e bate uma curiosidade pra saber sobre o que se trata a história.

    Ótima resenha, como sempre.

    Curtir

    • Enio,
      O livro é bem interessante sim! Até me surpreendeu no que diz respeito ao nível dos contos! Li todo de uma vez!
      Obrigado pelo comentário!
      Abraços

      Curtir

  2. Quando vi o titulo fiquei pensando várias coisas a respeito do que se tratava o livro.
    Fique muito curioso para lê-lo, embora não tenha afinidade com livros de contos, já que quase sempre eu não leio todo! kk

    Pretendo lê-lo em breve!

    Abraços

    Curtir

    • Mailson, antes de ler o que mais me chamava atenção era também o título!
      Eu também tinha certo problema em ler contos, mas depois de algumas doses de Tchekhov e Cortázar acabei me apaixonando pelo gênero!

      Abraços!

      Curtir

    • Raimundo,
      Obrigado! Eu fico muito feliz pelo seu comentário. E mais ainda agradecido por você ter me indicado esse livro tão bom.
      Estou curioso para ler outros livros do autor, principalmente os dois romances!

      Ah sim, eu me apaixonei por Cortázar quando li As Armas Secretas, que inclusive resenhei aqui no blog!
      Abraços!

      Curtir

  3. Não conhecia o autor, mas pela qualidade da descrições que o amigo Ademar colocou em seu artigo, penso que deva ser uma leitura obrigatória.

    Abraços do amigo JGCosta

    Curtir

  4. Ótima resenha! Esse título, que realmente é um caso a parte, me deixou curioso. Desde quando o colocou no post ” Na Estante”. Primeiro pelo seu fundo provocativo, uma citação bíblica e tal… Não sei se é o verdadeiro significado, mas levei pra esse sentido. Segundo pelo o resumo do mesmo post.
    Enfim a ótima resenha.
    Vou dar uma olhada pra ver se encontro esse livro. Fiquei mais tentado depois que comparou uma das histórias com a minisérie de David Lynch; Achei bem estranho ver aqueles coelhos e tudo o que acontece, rs. Parabéns…

    Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s