Memória de Minhas Putas Tristes, de Gabriel García Márquez

Olá a todos! Estou aqui para apresentar uma das novidades que eu havia prometido. Bom, a partir de agora o blog Cooltural tem um novo colaborador: José Mailson. Meu amigo, colega de sala, recém-viciado em livros (no qual tenho um pouquinho de culpa) e um resenhista bem promissor! Podem aguardar resenhas bem escritas e com excelentes comentários. Para começar ele escolheu um Nobel, publicado pela editora Record, que acredito que todos que leram gostem. Seja bem-vindo!

Ademar Júnior

Confesso que iniciei a leitura desse livro única e exclusivamente por o título me chamar atenção. Já tinha ouvido alguns comentários quanto a excelência do livro e autor, mas não cheguei ao menos a ler a sinopse para ter conhecimento do que realmente se tratava a estória. Esperava que o livro se tratasse de tema erótico, mas me surpreendi de forma positiva por o tema ser muito mais complexo e completo que só o puro e simples sexo.

O autor fala de ‘amor’ de uma forma tão pura e tão divina que aceitamos que ele é a única coisa ao qual buscamos. O personagem que narra a história é um senhor as vésperas de seu aniversário de 90 anos, decidido que quer ter como presente passar a noite com uma garota virgem. Então ele liga para um bordel e, por fim, consegue a tal menina. A partir dai se inicia um amor incondicional e ao mesmo tempo complicado, já que o tal personagem inicialmente não aceita esse sentimento, embora não consiga lutar contra.

O fato do personagem principal não ser denominado e do texto ser em primeira pessoa nos possibilita colocarmos na posição desta figura enigmática e querida por todos. Podemos perceber que, assim como ele, a maioria das pessoas busca um amor que nos complete, nos compreenda, no entanto, não conseguimos abrir mão do que já temos para que possamos compartilhar uma vida/nossa vida com alguém de quem realmente gostamos.

Com medo de conhecer quem as pessoas realmente são, o narrador acaba por criar um próprio nome para sua amada, de apenas 14 anos. Ele a chama de Delgadinha, por conta do seu corpo ainda pouco formado. Ele a presenteia, se doa por inteiro para a menina, porém é incapaz de olhá-la de frente, de ao menos acordá-la.

Escritor de crônica para um jornal da cidade, e ainda critico de música, o tal personagem é incapaz de aceitar qualquer critica a seu respeito. Fugiu de um casamento, nunca aceitou se relacionar com nenhuma mulher que ele não pudesse pagar, para que ele não se sentisse em dívida com nenhuma delas. Quem nunca foi assim? Incapaz de aceitar que nos fizessem algo sem que digamos: a gente se acerta depois?!

Considero Gabriel García Márquez um gênio, e não sou o único, já que ele já recebeu um Nobel por essa obra, onde encontra-se o mais sublime e o mais podre que pode existir num ser humano. O que nos mostra que todos (não é exagero e sim realidade) somos ambíguos e complicados. Pois, quem diria que um homem que passou a vida se envolvendo apenas por conveniência para suprir suas necessidades poderia um dia sentir o que realmente é amar de verdade?

Egoísmo, mesquinhez, medo, repulsa, são temas discutidos no livro, mas todos eles levam ao que realmente importa: o amor. Seja ele por uma pessoa, por um bem material, por um estado de espírito, estamos sempre em busca do amor sincero, incondicional e incontestável.

Título / Título original: Memória de Minhas Putas Tristes / Memoria de Mis Putas Tristes
Autor(a): Gabriel García Márquez
Editora: Record
Tradução: Eric Nepomuceno
Edição: 2006 (12ª)
Ano da obra / Copyright: 2005
Páginas: 130

Onde comprar:
Submarino | Saraiva | Cultura

—————————
José Mailson
Twitter | Skoob | Facebook 

Anúncios

17 comentários

  1. Concordo plenamente com você, Gabriel García Márquez é um gênio. Ele é um dos meus ecritores favoritos, já li “Do Amor e Outros Demônios”, “Doze Contos Peregrinos”, “Crônica de Uma Morte Anunciada”, “Cem Anos de Solidão” e acabei de comprar “Amor nos tempos do Cólera”. Pretendo, em breve, ler todos os outros livros dele, inclusive “Memória de Minhas Putas Tristes”.

    Ótima resenha!

    Beijos

    ‘Nowhere Girl’
    http://garotadelugarnenhum.blogspot.com/

    Curtir

    • Verdade, Andréia.

      Depois que eu li Memória de Minhas Putas Tristes fiquei com vontade de ler mais alguma coisa dele, mas ainda não me decidi.

      Obrigado pelo elogio!
      Beijos!

      Curtir

  2. Quero muito ler esse livro, benzinho. Naquele dia que a gente se falou você disse que tava devorando ele. xD E eu adorei a frase inicial do livro… hahaha

    Curtir

    • Cássia,
      Acredito que você vai adorar ele.
      Ah, eu li o livro da faculdade, mas dois dias depois que terminei eu ganhei ele! *-*
      Posso lhe emprestar se quiser! 😉

      Curtir

  3. Mailson,
    Adorei sua resenha. Tenho muita vontade de ler esse livro.
    Quero também agradecer por aceitar o convite de contribuir com o blog, espero que esteja gostando de fazer parte dele. Embora você já contribuísse com ele há muito tempo, né?

    Um abraço!

    Curtir

    • Obrigado, Ademar!
      Eu tenho ele, qualquer coisa! rs
      O prazer é meu em contribuir (agora diretamente) com o blog.
      Estou pronto pra tudo!

      Abraço!

      Curtir

  4. Adorei a resenha. Muito bem !!!! Ademar, quero saber quando que será o retorno do Clube de Leitura? Saudades

    Curtir

    • Olá Lanna, que bom que gostou da resenha do Mailson.
      Quanto ao clube, estamos com um hiato por conta da falta de local (e tempo organizacional) para realizá-lo. Mas quero muito retornar com ele. Qualquer coisa te aviso.
      Beijos e saudades.

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s