A Mulher Sem Pecado, de Nelson Rodrigues

Toda mulher deve apanhar, você pode não saber por que está batendo, mas ela sabe por que está apanhando.” (Nelson Rodrigues)

Nelson Rodrigues escreveu A Mulher Sem Pecado, sua primeira peça, em 1941, a qual só estreou no ano seguinte. A aceitação do público não foi à esperada pelo autor, o que significa dizer que chegou a beirar o fracasso. No entanto, por esta peça apresentar grandes valores dramáticos e poéticos, consagrou o autor como o grande renovador do teatro brasileiro.

O teatro psicológico do Nelson é magnífico, mas isso só é possível por conta da sua forma politicamente incorreta de escrevê-lo. O principal assunto encontrado nas suas obras é o “desejo”, seja ele representado por incestos, bofetadas, estupros, pederastia, ou o “simples” ciúme.

Embora Nelson tenha uma vocação gigantesca para o moralismo, visto através de alguns de seus personagens, suas obras nada tem de moralistas. Pelo contrário, suas obras são um tanto quanto revolucionárias, já que elas apresentam as pessoas como elas realmente são, sem minimizar nenhum detalhe, por mais mesquinho ou “vulgar” que sejam. O que significa dizer que ele não se limita apenas a escrever sobre a sociedade e sim, sobre a natureza humana.

A Mulher Sem Pecado é um drama com humor sem igual. Ele conta as agonias de Olegário, um paralítico neurótico que não aprendeu a conviver com os fantasmas e medos de sua imaginação doentia. Suas aflições referem-se principalmente aos ciúmes que ele sente da sua mulher, Lidia, já que ele desconfia de que está sendo traído. Utilizando o poder que ele possui, por ser o dono da casa, ele faz com que Umberto, o chofer, e Inézia, a criada, vigiem sua esposa. Sua mente é tão insana que o faz suspeitar de todos, inclusive de Maurício, irmão de criação de Lídia.

A peça faz uma análise de uma situação transcorrida em plano real, diferente de outras peças dele, como Vestido de Noiva, por exemplo, sendo o espetáculo feito em três atos de contínua e crescente criação de atmosfera. A peça faz com que o espectador se envolva com os personagens, já que ciúme é um sentimento humano e que ele pode ser bonito ou trágico, dependendo da quantidade que se sente e da forma que ele é demonstrado.

Título / Título original: A Mulher Sem Pecado
Autor(a): Nelson Rodrigues
Editora: Nova Fronteira
Edição: 2005 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 1941
Páginas: 107

Onde comprar:
Submarino | Saraiva | Cultura

—————————
by José Mailson
Twitter | Skoob | Facebook 

3 comentários

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s