Feche Bem os Olhos, de John Verdon

Feche Bem os Olhos

O que quer que o tivesse atraído no trabalho policial, que o fizera se dedicar ao serviço durante tantos anos, com certeza não fora o apelo de uma arma ou a solução enganosamente simples que ela oferece.
John Verdon, Feche Bem os Olhos, pág. 13.

Quando eu resenhei o primeiro livro de John Verdon, Eu Sei o Que Você Está Pensando, há mais de um ano atrás, eu disse que ele era um escritor de romance policial muito promissor. Hoje, após ter terminado de ler seu segundo romance, reitero com mais veemência o que eu disse. Ele definitivamente possui um dom para isso. Feche Bem os Olhos não só é um excelente livro, como também nos mostra a evolução do autor em seu processo de autoespecialização no gênero.

Um ano após ter solucionado o curioso e enigmático caso Mellery, contado no primeiro livro, o detetive David Gurney se vê mais uma vez desafiado a voltar ao ofício da investigação criminal. Gurney está aposentado há dois anos do Departamento de Polícia de Nova York. Além do distanciamento de seu filho do primeiro casamento, encara diariamente o fantasma da morte do segundo filho de 04 anos, fato pelo qual vive se culpando. Vive numa casa de campo com sua esposa, Madeleine, que é completamente contrária ao envolvimento do marido em investigações criminais. O último caso de Gurney quase destruiu seu casamento e a ele próprio. No entanto, mais uma vez um grande mistério bate à sua porta.

Incitado pelo seu colega Jack Hardwick, Gurney é apresentado aos fatos do assassinato de Jillian Perry, uma jovem de 19 anos que foi decapitada ritualisticamente no dia do seu casamento. O principal suspeito é o jardineiro da casa do noivo, no entanto, muitos detalhes não se encaixam e então Gurney é solicitado para tentar solucionar o mistério. E aqui o autor mostra todo o seu talento para desenvolver uma narrativa eletrizante e bem construída. Novas nuances vão surgindo a medida que o livro vai avançando, há muitas reviravoltas que dão um impulso maior e mais firme a cada página.

Anteriormente, eu havia mencionado o fato de Verdon não aprofundar muito alguns personagens secundários. Nesse há uma melhoria em relação a isso. Temos um contato maior com outros personagens e adentramos mais em suas histórias, personalidades e pensamentos. Gurney é de longe um dos detetives mais bem construídos por escritores de romances policiais, tanto pelo seu instinto investigativo, quanto pela humanidade tão verossímil que ele carrega, e com a qual trata dos seus dramas.

Contar mais detalhes do livro é estragá-lo por completo. É impossível não devorá-lo de uma vez só. Dessa forma, meu foco para a discussão são os personagens e as situações de fundo, na qual o mistério se desenvolve.

A única coisa que ainda me incomoda nos livros de Verdon, lembrando que este ainda é o segundo, é o fato de algumas situações se repetirem muito em relação ao primeiro. A principal são as constantes discussões de Gurney com Madeleine, que de certo modo se torna uma personagem irritante. Mais uma vez, Madeleine enche o marido de ameaças por ele está se envolvendo com mais um crime macabro e novamente o casamento dos dois é posto a prova. O que faz com que eu me pergunte se isso não se tornará algo redundante demais nos próximos livros do autor que venham a ser protagonizados por Gurney.

Verdon aborda muitos temas polêmicos neste livro, e alguns deles de forma visceral demais. A maior parte do mistério gira em torno do comércio sexual, e até mesmo da psicopatia, que inclui abuso sexual de menores e incesto.

O autor já conta com três livros publicados. Os dois primeiros foram lançados aqui no Brasil pela Editora Arqueiro. O terceiro, Let the Devil Sleep, ainda sem tradução, deve chegar por aqui em breve. Atualmente, Verdon está finalizado seu quarto livro protagonizado por David Gurney, ainda sem título definido. Só resta aguardar!

E vocês leram algum dos livros do autor? O que acharam? Comentem!

Postagens relacionadas:

– Resenha: Eu Sei o Que Você Está Pensando, de John Verdon
– Entrevista: John Verdon

Ficha Técnica

Feche Bem os OlhosTítulo: Feche Bem os Olhos
Título original:
 Shut Your Eyes Tight
Autor(a): John Verdon
Editora: Arqueiro
Tradução: Alves Calado
Edição: 2012 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2011
Páginas: 432
Sinopse: David Gurney sempre foi viciado em resolver enigmas. Mesmo dois anos depois de ter trocado a carreira policial pela pacata vida no campo, sua mente investigativa não consegue resistir a uma boa charada. Foi assim com o caso do Assassino dos Números, um ano antes. Agora, a história se repete quando ele é convidado para trabalhar como consultor e ajudar a polícia a desvendar um instigante homicídio. Jillian Perry, uma jovem de 19 anos, foi morta de maneira brutal no dia do próprio casamento. Todas as pistas apontam para um misterioso jardineiro, só que nada mais na história se encaixa: o motivo, o lugar onde a arma do crime foi deixada e, principalmente, o modus operandi. A princípio, David reluta em aceitar o convite, preocupado em preservar seu casamento, já que sua esposa, Madeleine, é totalmente avessa ao seu envolvimento em qualquer assunto policial. Porém, recusar-se a participar da investigação seria ir contra sua essência e David acaba se convencendo de que não conseguirá dormir em paz enquanto o criminoso estiver à solta. Quando começa a entrevistar parentes e conhecidos de Jillian e a avançar no caso, fica claro que o assassino é não só mais inteligente e implacável do que ele esperava, como também destemido o suficiente para atacar seu ponto fraco. David terá que pensar além das evidências para desvendar o quebra-cabeça mais sinistro com que já se deparou.

Onde comprar:
SubmarinoEstante Virtual | Saraiva | Cultura

14 comentários

    • Oi Júnior,
      Realmente as listas de leitura só aumentam, hahahaha…
      A minha está quilométrica já!
      Mas leia esse sim, é muito bom.
      Abraços

      Curtir

  1. Oi Ademar!
    Como você, eu também gostei mais de Feche Bem Os Olhos do que do primeiro por também notar essa evolução do autor.
    Concordo com você sobre a construção de Gurney fazer dele um dos detetives mais verossímeis que já li, mas, diferentemente de você, eu adoro os momentos entre ele e a esposa exatamente por achar que isso torna tudo ainda mais real. Talvez pelo fato de eu ser mulher, eu consigo entender muito bem os sentimentos dela – ainda que eu também compreenda os dele e nem sempre concorde com ela -, e eu gosto de como o autor aborda tanto a parte dos casos policiais quanto se aprofunda nesses relacionamentos pessoais.
    Talvez seja meio sádico da minha parte, mas um dos principais motivos de eu ter gostado mais desse livro foi o próprio caso em si e seu caráter psicológico e sexual.
    Beijão!

    Curtir

    • Oi Aione,
      Então, eu gosto muito da Madeleine e achei o gesto dela muito nobre no final do livro. Só achei que eles discutiram demais nesse, rsrsrs… Mas eu também gosto do fato do Verdon aprofundar os personagens e nesse ele resolveu incluir mais a esposa de Gurney, isso foi bom, porque assim o personagem principal não sustenta a história inteira sozinho.
      Não vou mentir, eu também gostei muito do tema abordado no caso. Muito bom para discussão.
      Obrigado pela visita querida!
      Beijos

      Curtir

  2. Pelo que vejo esse promete superar,adoro a abordagem dada pelo autor e você soube aproveitar isso ao falar dos personagens secundários,que estão mais destacados neste livro.É bom ter mais acréscimo e não ficar só num personagem e espero que com isso a história fique mais emocionante e intensa.

    Curtir

    • Oi Elizabeth,
      Bom, nesse livro o autor de supera mesmo. Acho que você vai se identificar bastante com os personagens, como a Madeleine, mulher do detetive Gurney, ela é muito bem construída.
      Um abração para você!

      Curtir

  3. Eu não sabia que era tipo uma continuação de Eu sei o que voce está pensado, adorei saber disso! Adoro livros policiais, daqueles que nos deixam vidrados até a ultima pagina…adoro quando o autor constroi muito bem seus personagens, não deixando espaço pra falhas na leitura, adorei a resenha, bjão!

    Curtir

    • Então Adriana,
      Como eu já tinha dito, esse é bem melhor que o primeiro, tanto pela temática quanto pela escrita do autor que melhorou bastante.
      Esse você vai gostar com certeza.
      Beijão!

      Curtir

    • Oi Milena,
      Como eu sempre digo, esse é ainda muito melhor que o primeiro. Você vai adorar.
      O terceiro livro sai ainda esse ano, fique ligada.
      Beijos

      Curtir

  4. Puxa… depois de ler a resenha do livro anterior a este, de Verdon, fiquei impressionada com esta nova história.
    Bom saber que ele melhorou a importância de outros personagens da história, acho essa habilidade necessária para um bom ritmo e pra manter o interesse na leitura tb, não ficar presa só ao personagem principal.
    Fiquei com medo, confesso, ao ler ‘comércio sexual’ e ‘abuso sexual de menores e incesto’. Não consigo lidar bem com histórias tão fortes assim. Espero que o autor não seja tão detalhista nesses requintes de crueldade aqui.
    Parece uma ótima trama!

    Curtir

    • Oi Manu,
      Então, esse segundo livro do Verdon é muito melhor que o primeiro, tanto pela temática quando pelo desenvolvimento.
      Sobre os temas obscuros que ele aborda é mais como ambientação do caso, ele não adentra muito em tudo isso, mas no dar um panorama geral de como tudo funciona. Há algumas cenas grotescas sim e algumas situações bem tensas, mas dá para tolerar a leitura, e acho que vale a pena.
      Se você ler, volte para nos dar sua opinião.
      Beijão e obrigado pela visita.

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s