A Casa, de André Vianco

A Casa

Não duvide do poder da casa, pois eu já estive lá, e a força é de impressionar. Ela cura qualquer coração. Não sei se você me entendeu bem, mas eu disse: “qualquer” coração”.
André Vianco, A Casa, pág. 09.

O que você faria se tivesse uma segunda chance? Esta é a pergunta-chave para desvendar os mistérios deste livro. Na capa do livro diz que “Existe um lugar onde todos têm direito a uma segunda chance…”, será? A história gira em torno de quatro personagens completamente diferentes, mas com uma única coisa em comum: a necessidade por essa segunda chance (um perdão). No entanto, apenas com a ajuda de alguém ou alguma coisa poderão conseguir o que tanto desejam.

Na narrativa, André Vianco foge um pouco do seu padrão de escrita. Para aqueles que são acostumados com seus livros sobre vampiros, bruxas e outros seres sobrenaturais perceberão que A Casa é muito mais que só uma história fantástica. Ela é uma história de sentimentos, afetividade e que é praticamente impossível não se identificar. Há quem o considere um livro espírita, no entanto, não convém detalhar, já que é uma opinião bastante pessoal e polêmica. Eu não concordo com esse ponto de vista.

O livro apresenta os personagens em capítulos separados, onde estes não têm relação nenhuma entre si. Todos os personagens têm conhecimento da casa através de um cartão cuja única informação é “O alívio para o coração atormentado está aqui!” e um endereço. Todas as personagens acham esse cartão suspeito, já que ele indica o local que todos eles querem estar, porem têm medo. Esse medo é extremamente aceitável, já que não se sabe quem o mandou e o que irá encontrar por lá.

É notória a fragilidade das personagens. A forma como elas convivem com o “peso na consciência”, com a impotência de modificar o que foi feito e/ou dito chega a causar angustia no leitor. Esta angustia faz o leitor refletir sobre atos pessoais e aparentemente bobos. Das personagens do livro, a Leon foi a que mais me marcou, pois ela é quase que constantemente incompreendida. Mas você encontrará também casos envolvendo relacionamentos familiares entre pais e filhos, casais, ou seja, a convivência na sua mais pura essência. O perdão e o saber escutar e entender as diferenças são os outros fortes do livro.

O livro é pequeno, envolvente e de leitura fácil, daqueles que quando você começa a ler não consegue parar. Li-o em dois dias, pois não era a leitura principal, mas ele pode ser lido em apenas um dia. Emocionante, triste e encorajador são os adjetivos que descrevem a trama. Não é de se espantar que a qualidade e forma que as personagens foram construídas, seus dramas, e, principalmente, seus respectivos desfechos, já que essa é uma característica do próprio Vianco.

O autor comentou a algum tempo que A Casa estaria em pré-produção, na Estação TV, mas ainda não há previsão para a estreia. O André Vianco também começou a escrever para cinema e TV, além de um projeto de minisséries e uma peça de teatro.

Este foi o primeiro livro que li do autor, mesmo sendo o seu quinto romance publicado, o que me motivou a conhecer mais suas obras. Confesso que li apenas mais dois livros dele e são fabulosos. André Vianco é autor de títulos como O Senhor da Chuva, a série O Turno da Noite, Bento, Sétimo, O Caso Laura e, sua última produção, As Crônicas do Fim do Mundo. Para quem tiver interesse em conhecer mais sobre o autor leia a entrevista realizada pelo Ademar Júnior para o Cooltural AQUI.

Quem já leu alguma coisa do Vianco? Quem tem curiosidades? Gostaram da dica? Curtam, comentem! Boas Leituras!

OBS: Texto publicado originalmente no blog Coruja de Café, mas que não está mais disponível no mesmo.

Título / Título original: A Casa
Autor(a): André Vianco
Editora: Novo Século
Edição: 2008 (5ª)
Ano da obra / Copyright: 2002
Páginas: 227

Onde comprar:
Submarino | Estante Virtual | Cultura

—————————
by José Mailson
Twitter | Skoob | Facebook 
| Filmow

8 comentários

  1. ótima resenha! 🙂 Eu nunca me interessei pelo andré vianco, pois eu não curti muito as premissas dos seus livros sobre vampiros, mas esse parece ser bem legal e no estilo A Cabana :D. Adorei a resenha! Sinceramente, um dos melhores blogs que já vi xD.

    Curtir

    • Obrigado, Helena.
      Confesso que ainda não li A Cabana, mas A Casa não segue a linha vampiresca que todos estão acostumados.
      Que bom que gosta do blog, procuramos fazer o nosso melhor! *-*
      Obrigado pelo comentário! 😀

      Curtir

    • Obrigado pelo comentário, Carlos Alberto!
      Que bom que você gosta dos meus textos. Estou sempre procurando aperfeiçoá-los!
      😀

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s