Caso Estranho, de Peter Robinson

Caso Estranho

– Quer dizer que essas coisas acontecem, não é? Gente matando gente sem motivo.
– Sim, mas não é tão frequente quanto você pensa. A maioria das vítimas conhece os matadores. Por isso quero que você pense bem e me diga tudo o que sabe.
Peter Robinson, Caso Estranho, pág. 90.

A Coleção Negra é uma série de romances policiais lançados pela Editora Record, cujo objetivo é trazer aos leitores o melhor do universo noir, mistério e suspense. Dentre os autores publicados está Peter Robinson, um escritor nascido em Yorkshire, criado no Canadá, e famoso por seu Detetive-chefe Inspetor Alan Banks. A primeira vez que entrei em contato com ele foi ao ler Perto de Casa (17º livro da série), há alguns anos. Mesmo sendo uma série com o mesmo detetive, os livros são independentes, não havendo a necessidade de ler o anterior para entender o novo caso.

Alan Banks surgiu na literatura em 1987 no livro Gallows View e ainda está presente na obra mais recente do autor, que é Children Of the Revolution (2013). Como protagonista em mais de 20 títulos, Banks é famoso por desvendar casos relacionados à violência doméstica, abuso sexual e infantil, torturas e assassinatos. Mesmo sendo um homem introspectivo, de pouca conversa e às vezes inseguro, Banks é bem dedicado ao trabalho, fazendo tudo que está ao seu alcance (mesmo que precise desobedecer as leis) para desvendar os mistérios.

Em Caso Estranho (19º livro), tudo começa quando o inspetor Alan Banks ouve um recado inquietante em sua secretária eletrônica, onde seu irmão diz estar em apuros em Londres. Mesmo não sendo próximo dele, Banks parte imediatamente para a capital inglesa. Mas Roy parece ter desaparecido no ar. Neste ínterim, um crime ocorre em Yorkshire, e uma jovem é encontrada em seu carro, vítima de um tiro a queima-roupa. Esse acontecimento muda completamente o objetivo da viagem de Banks. Enquanto o protagonista está investigando o desaparecimento do irmão por conta própria, a investigadora Annie Cabbot tenta descobrir o porquê da vítima ter no bolso o nome e endereço de Alan Banks rabiscado em um pedaço de papel.

Enquanto a investigação vai se desenvolvendo, Banks vai descobrindo tanta coisa nova e sombria sobre seu irmão que Roy parece ser outra pessoa. Nesse livro podemos perceber a fragilidade do relacionamento que Alan tem com seus pais, já que ele sempre foi o filho renegado, por ser policial. O desaparecimento de Roy faz com que ele se reaproxime da família (tanto dos pais como de seus dois filhos). Essa é a parte mais arrastada do livro, já que é desprovida de ação. Mas no geral é bem envolvente, de qualquer forma.

A escrita do Peter Robinson me agrada principalmente em dois aspectos. A primeira é a quantidade de descrições adequada, nada de detalhes irrelevantes. Tudo que é descrito tem importância para desenvolvimento no caso. E segundo é que, mesmo tendo um protagonista famoso, o autor mostra a importância que é o trabalho em equipe. Há momentos que a inspetora Cabbot se sobressai a todos os personagens. Os personagens são muito bem construídos, pois somos sempre apresentados aos seus medos, limitações, o que nos permite compreender algumas das atitudes tomadas.

Os diálogos também são um ponto de diversão garantida. Como Banks ainda está se recuperando psicologicamente e fisicamente de um incêndio (que aconteceu em Brincando com Fogo), ele está afastado dos casos, o que o deixa irritado e intolerante, mais que o normal. Seu caso de amor mal resolvido (ou não resolvido) com a inspetora Cabbot também nos proporciona uma diversãozinha, já que ambos procuram se mostrar forte para o outro.

Peter Robinson é no mínimo genial. Seus romances possuem um ritmo envolvente. Tenho a ambição de ler todos os seus romances, mas acredito que o fato de poucos terem sido publicados no Brasil atrapalhe meus planos. Deste autor, a Editora Record publicou Perto de Casa (2004), Brincando com Fogo (2004), Caso Estranho (2005), Pedaço do meu coração (2006) e Amigo do diabo (2007).

Curiosidade:

  • Em 2010, estreou DCI Banks, que é uma série de drama policial britânica produzida pela Left Bank Pictures para a rede ITV. A série é baseada no Inspetor Alan Banks dos romances de Peter Robinson e estrelado por Stephen Tompkinson (como Alan Banks).

Ficha Técnica

Caso EstranhoTítulo: Caso Estranho
Título original: Strange Affair
Autor(a): Peter Robinson
Tradução: Alexandre Raposo
Editora: Record
Edição: 2007 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2005
Páginas: 386
Sinopse: O inspetor Alan Banks ouve um recado em sua secretária eletrônica, avisando que seu irmão está em apuros em Londres. Ele parte imediatamente para a capital inglesa. Ao mesmo tempo, um crime ocorre em Yorkshire, o que pode mudar o objetivo de sua viagem. Perto de casa e Brincando com fogo tiveram grande repercussão junto à mídia e aos leitores. “Os livros de Peter Robinson são arrepiantes.” Dennis Lehane, autor de Sobre meninos e lobos.

Onde comprar:
Submarino | Cultura

6 comentários

  1. Adorei! Nossa, estou cada vez mais interessada em tensão numa leitura e essa trama é bem envolvente.
    Adorei o conflito familiar encaixado no thriller policial, com o suspense que adoro e uma dose de drama, que tb amo numa leitura.
    QUero ir descobrindo os fatos junto com o policial e espero estar com minhas suspeitas no caminho certo.
    Adorei a dica, não conhecia o autor.

    Curtir

    • Que bom que gostou. ^^
      Se você gostou desse, acho que vai gostar do que estou lendo agora (Sangue na Neve), que resenharei em breve. 😀
      É sempre bom quando conseguimos seguir as suspeitas certas! Mas melhor ainda é quando conseguimos ser surpreendidos de forma positiva!
      Obrigado pela visita! Beijos! 🙂

      Curtir

  2. O livro parece bom demais, só fiquei com uma dúvida: a série é composta por livros de historias independentes, ou se eu ler fora da ordem vai perder o sentido? Porque estou meio que fugindo de séries longas por motivos obvios de falta de dinheiro kkkkkkk! Mas sou fanzoca de livros policiais e gostei demais desse, parabéns pela resenha tão bem escrita, bjão!

    Curtir

    • O livro tem história independente, assim como a maioria das séries policiais com o mesmo protagonista (Hercules Poirot, Sherlock Holmes, etc…). Tem toda a questão cronológica que algumas pessoas metódicas podem se incomodar. Mas não interfere em nada na narrativa!
      Eu andei dando um tempo em séries pelo mesmo motivo! Hahaha
      Beijos!

      Curtir

  3. A Editora Record é dirigida por incompetentes, haja vista que o escritor PETER ROBINSON, tem mais de vinte obras escritas e a aludida Editora somente editou cinco de suas obras. Ignorância total,. de vez que seus leitores estão havidos em obterem novas obras, ou seja, a totalidade das obras escritas por PETER ROBINSON, no idioma portugues. .

    Curtir

    • Olá, Luiz Carlos.
      Essa questão do não lançamento das outras obras do autor é realmente complicado.
      Principalmente para aqueles que gostam de ler as séries na cronologia.
      Mas temos que entender que tudo depende da procura dos fãs.
      Ainda espero ansiosamente por o lançamento dos próximos.

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s