A Costureira, de Kate Alcott

A Costureira

 Ela fechou o jornal. Era para lá que deveria ir. Ela renderia homenagem a alguém que não conhecia, cujo destino tinha sido amarrado ao dela. Mortos ou vivos, ele e ela existiam em uma fraternidade comum agora, uma fraternidade a que nenhuma das pessoas a bordo do Titanic escolhera pertencer, mas que agora compartilhavam. Aquilo lhe dava uma sensação de pertencer a alguma coisa. Que ideia mais estranha.
Kate Alcott, A Costureira, pág. 289.

A madrugada do dia 15 de abril de 1912 entrou para a História como marco de uma das maiores tragédias, o naufrágio do Titanic, o maior navio do mundo. Esse fato histórico ganhou diversas versões e releituras, sendo mais conhecido pela versão cinematográfica criada e dirigida por James Cameron (Avatar), em que Kate Winslet e Leonardo DiCaprio interpretam o par romântico, Rose DeWitt e Jack Dawson. Assim, o naufrágio serviu de pano de fundo para diversas narrativas ficcionais criadas entorno de algo real e extremamente dramático. Dado o fato de que sobreviver, ou não, a ele seja um motivo para arrancar lágrimas de qualquer espectador, independente do meio que se use para narrar – filmes, livros, seriados, animações.

Para os amantes dessa história trágica, eis que ano passado foi lançado o livro A Costureira, de Kate Alcott, que por sua vez também se passa em torno do naufrágio do Titanic. No entanto, numa óptica um pouco diferente daquela mostrada pelo filme de Cameron. Embora o título não seja tão comercial e nem remeta ao navio, a versão de Alcott foge um pouco do apelo romântico para se apegar a dados mais históricos e sociais que envolviam a tragédia. Partindo da ideia de que a maioria das pessoas já conheça pelo menos o básico da história do Titanic, ainda que muito do que nos foi apresentado não seja real, eu passo essa parte e vou direto para o que o livro traz de diferencial.

Lady Duff Gordon
Lady Duff Gordon

O livro é narrado em terceira pessoa e sob vários pontos de vistas, no entanto, foca principalmente na personagem Tess Collins, uma costureira que deseja subir na vista e se tornar uma estilista famosa. Tess aprendeu a costurar com sua mãe, mas nunca teve grandes oportunidades, sendo obrigada a trabalhar como empregada doméstica, coisa que ela odeia, já que seu talento é outro. Na tentativa de fugir da sua vida atual, ela busca emprego no Titanic, na esperança de tentar uma nova vida na América. É então que ela conhece uma das passageiras do navio, a famosíssima estilista Lady Duff Gordon. Tess ver na estilista tudo o que ela sempre quis ser e por sorte consegue ser contratada como empregada da estilista, com quem ela tem muito a aprender.

Durante a viagem, Tess conhece o marinheiro Jim Bonney e o empresário Jack Bremerton, dois homens muitos distintos, mas que conseguem, cada um à sua maneira, mexer com o coração da jovem costureira. Jim é um minerador revolucionário e sindicalista, que foi líder em diversas revoluções na Inglaterra. Jack, por sua vez, é um milionário que já teve duas esposas e embarca no Titanic rumo à América para dar andamentos aos papéis do seu divórcio com a segunda mulher. Assim, Tess se ver no limiar da divisão das classes sociais, seja no trabalho, por está trabalhando para Lady Duff Gordon, e assim tendo contato com a primeira classe, como também pelos dois homens nos quais está interessada – um nobre e um operário.

Todavia, como já foi dito, o foco do livro não está no romance melodramático e apelativo, como em geral acontece. Alcott se preocupa mais em mostrar situações sociais e críticas que possivelmente tenha permeado a apuração dos fatos. A maior parte da narrativa se passa pós-naufrágio – que acontece já no segundo capítulo. Em primazia está na discussão das divisões sociais, onde há aqueles que querem ascender de alguma forma e aqueles que estão lá em cima por passar por cima dos outros, numa espécie de escada em que os demais são os degraus. E é então que cito outro ponto forte do livro, os personagens, sejam reais ou fictícios, são todos bem construídos. E aqui abro espaço para citar a engenhosa Margaret “Molly” Brown e a jornalista Sarah “Pinky” Wade.

Titanic NáufragoPinky possui uma forte participação na história, pois é a jornalista do time do The New York Times – primeiro jornal a notificar o naufrágio – que está fazendo a cobertura dos inquéritos, que são outro destaque do livro. Segundo a autora, Kate Alcott, que é um pseudônimo da escritora e ex-jornalista política Patricia O’Brien, a maioria dos depoimentos do livro foram retirados da transcrição do inquérito realizado pelo Senado americano. Muitos dos fatos foram baseados nas manchetes da impressa e a maioria dos personagens são sobreviventes reais do naufrágio.

O livro mostra uma sociedade marcada pelo glamour e conflitos sociais que findaram a Belle Époque, em especial a luta das mulheres pelo seu direito de igualdade e direito ao voto. Pinky é a principal representante desse lado mais feminista, cujas ideias influenciam de perto a jovem Tess e a ajudam a construir a vida independente que ela sempre sonhou. Elas se tornam amigas e juntas descobrem que nem sempre é fácil se expandir para fora das nossas zonas de conforto, assim elas aprendem de forma conjunta.

Sufragistas? Mulheres declarando independência? Elas eram estranhas, vindas de algum planeta privilegiado. Mulheres com tempo e energia para fazer alguma coisa além de trocar a roupa de cama e limpar banheiros. (pág. 188)

Eu poderia escrever o dobro do que já escrevi sobre esse livro, mas acho que vale deixar lacunas que possam ser preenchidas por vocês, que por ventura venham a ler este livro. Mas o que eu digo é que A Costureira passa longe de ser um livro superficial, pelo contrário, tão profundo quanto chegou o Titanic, e emocionante demais por isso. Ainda que eu tenha visto comentários de pessoas dizendo que faltou romantismo nos relacionamentos de Tess, eu digo que as vezes precisamos de histórias menos utópicas, afinal não dá pra imaginar esse naufrágio como um conto de fadas. E também acho que mesmo sobrevivendo é difícil dizer que houve um final feliz, já que os sobreviventes levarão consigo a dor da perda de tantas pessoas.

O único ponto negativo do livro está nos erros que passaram pela revisão final, em especial a enumeração dos capítulos, mais um alerta para a editora na escolha dos revisores. Mas nenhum dos erros atrapalha a leitura, que chegam a ser insignificantes frente a qualidade da história contada. É um daqueles livros que a gente sente saudades horas depois que terminamos de ler, e embora eu não tenha o hábito da releitura, dado a quantidade de livros novos esperando para serem lidos, essa será uma exceção. Recomendo!

Titanic Smithsonian

Curiosidades:

  • Millvina Dean, a última sobrevivente do Titanic, morreu aos noventa e sete anos no dia 31 de março de 2009, exatamente noventa e oito anos depois de o Titanic zarpar de Belfast.

Postagens relacionadas:

– Resenha: Avatar (Idem, 2009)

Ficha Técnica

A CostureiraTítulo: A Costureira
Título original: The Dressmaker
Autor(a): Kate Alcott (Patricia O’Brien)
Editora: Geração Editorial
Tradução: Ana Carolina Mesquita
Edição: 2013 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2013
Páginas: 376
Sinopse: Uma jovem ambiciosa e uma estilista célebre sobrevivem ao maior naufrágio da História, mas são arrastadas pelo turbilhão de escândalos que se segue à tragédia. Tess Collins, uma jovem inglesa que sonha ser mais que uma empregada e ver reconhecido o seu talento para a alta costura, consegue emprego com a famosa estilista lady Duff Gordon a bordo do Titanic, que ruma para os Estados Unidos. Porém, a viagem que se iniciou de forma tão auspiciosa acaba se tornando a maior tragédia marítima de todos os tempos. Tess e lady Duff sobrevivem, a primeira para viver as aflições do amor e as chances de ascensão social, a segunda para se ver envolvida nos escândalos do inquérito sobre o terrível desastre naval. Com um pano de fundo histórico, mas sob um ângulo inédito, este soberbo romance acompanha a trajetória dessas duas mulheres apaixonadas pela linha e agulha, tão parecidas e tão diferentes, deleitando-nos com um retrato emocionante de uma época conturbada e de uma sociedade dividida. Tess simboliza a modernidade livre de preconceitos de classe e rica em oportunidades, enquanto lady Duff representa a decadente Belle Époque, um mundo de glamour e privilégio com os dias contados, assaltado pelas contestações sociais, indústria de massa incipiente e pressões da mídia.

Onde comprar:
Estante Virtual | Saraiva | Travessa | Siciliano

Anúncios

21 comentários

  1. Oi, Ademar!!
    Depois que conversamos sobre esse livro, fiquei doente para ler!
    Já andei namorando ele na livraria, mas só vou ter dinheiro no mês que vem… Espero que até lá o preço diminua um pouco ou quem sabe eu consiga uns pontinhos a mais no Fnac!! rs…
    beijos
    Camis

    Curtir

    • Oi Camis,
      Como eu já disse, eu adorei o livro. Acho que você pode gostar também.
      Espero que você consiga ler em breve, daí me diga o que achou.
      Beijos

      Curtir

  2. Tinha ouvido falar bem por alto do livro e não imaginava que fosse tudo isso. A resenha me surpreendeu principalmente por me fazer perceber que o livro não tem foco nas idealizações de uma história de amor, ao contrário, está mais próximo de uma temática social. Interessante saber que muito do conteúdo foi realmente baseado em notícias e pessoas reais. Também sou a favor de histórias menos utópicas, já que acredito que em muitos casos sempre haverá marcas e sequelas que nunca desaparecem.

    Um beijo! Livro Lab

    Curtir

    • Oi Aline,
      Então, esse lance de abordar mais uma temática social e menos o romance foi o que eu mais gostei no livro. As vezes é bom a gente ter uma leitura assim, que te desperte para reflexões mais sérias.
      O trabalho da autora foi excelente, ela não se deixou influenciar demais pela versão do James Cameron, como jornalista política, ela foi atrás dos fatos.
      Beijos e obrigado pela visitinha!

      Curtir

  3. Ademar, depois que você comentou que estava lendo esse livro, eu o comprei rs
    Fiquei louca para ler e sua resenha me aguçou ainda mais a vontade.
    Vou ler e resenhar e te aviso, para você dar uma olhadinha e ver meu ponto de vista!
    Beijinhos

    Curtir

    • Oi Soraya,
      Que legal que você comprou por influência minha, eu vi sua resenha e vi que não curtiu muito, mas leitura é isso mesmo, cada um tem uma experiência diferente, né?
      Vou aproveitar para comentar sua resenha também!
      Beijos

      Curtir

  4. Este é um dos livros que mais desejo ler nesse momento. Li a resenha e a sinopse do livro e fiquei apaixonada pela história tão envolvente. Adorei e vou adorar mais ainda tê-lo em minha estante. Beijos.

    Curtir

    • Oi Elizabeth,

      O livro é realmente muito interessante e conta uma história muito bacana, além emocionante. Acho que você vai adorar.
      Assim que possível leia-o, depois me conta o que achou.
      Beijos

      Curtir

    • Oi Milena, o livro é bem interessante sim. Como eu disse ele tem um foco diferenciado. Não é aquele melodrama em torno do casal, ele tem um ar mais político e social.
      Se puder, leia-o.
      Beijos

      Curtir

  5. Fiquei com vontade de ler esse livro logo que vi a capa, e mais ainda depois de perceber que a história se passa no titanic. As histórias sobre o naufrágio sempre me emocionaram e gosto muito de ler sobre o assunto.
    Aliás, ótima resenha!!!

    Curtir

    • Oi Karine,
      Confesso que só me interessei em ler este livro quando vi que ele se passava no Titanic. Acho uma história muito legal. E eu gostei muito do livro.
      Beijos

      Curtir

  6. Quando a gente olha pra essa capa , nao tem a mínima idéia do que se trata a historia né, só se ler as letras miúdas,rsrs! Mas gostei muito que a autora mesclou ficção e realidade, talvez pra ser menos tensa a leitura, mas com certeza lendo esse livro vamos saber de fatos historicos importantes e verídicos, gostei também de saber que ela não foca só no romance, com certeza é uma leitura bem diferente do que eu ando lendo ultimamente, é uma pena a revisão do livro mal feita, mas aí já é culpa da editora né, parabéns pela resenha maravilhosa, ficou show! 🙂

    Curtir

  7. Esse livro também me desperta interesse e não é de hoje. Capa e sinopse me encantaram assim eu vi. Sua resenha é exatamente o que eu espero dessa história. O melhor é que ainda há criticas embutidas na trama, o que contribui ainda mais pro livro se torar bom. Infelizmente já vi muita gente falando desses erros de revisão, mas com uma história tão boa a gente tem que relevar em partes rs Titanic já me emociona em filme, imagina em livor? Quero ler pra ontem!!

    Acho que vou comecar por ler online a ver se depois compro, encontrei aqui para quem esteja interessado: http://portugues.free-ebooks.net/ebook/A-Costureira

    Beijos

    Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s