Vou lhe Mostrar o Medo, de Nikolaj Frobenius

Vou lhe Mostrar o Medo

– Felizmente há pessoas como você – replica Edgar, conciliador. – Que me compreendem. Você me conhece, embora não partilhe necessariamente das minhas opiniões sobre tudo. Sabe que eu me oponho categoricamente à ideia de que exista no universo algum ser superior ao homem. Não podemos deixar a definição da verdade a outrem.
Nikolaj Frobenius, Vou lhe Mostrar o Medo, pág. 224.

A literatura escandinava – Suécia, Noruega e parte da Finlândia – é uma das mais promissoras dos últimos tempos. Quem me conhece sabe da minha paixão por livros originários dessa península, isso porque eu venho dizendo isso a cada resenha de livro que vem desses países. Embora a Suécia seja mais prolífica, já que tem lançado um maior número de escritores internacionalmente, a Noruega também tem suas joias, algumas ainda por serem descobertas. Nikolaj Frobenius estreou aqui no Brasil com seu romance de suspense Vou lhe Mostrar o Medo.

O livro é uma espécie de romance biográfico, ainda que mais voltado para o suspense psicológico, sobre a vida de um dos escritores mais célebres da literatura, Edgar Allan Poe. A trama gira em torno de uma série de assassinatos cometidos como imitação da obra do autor norte-americano. Nikolaj recria toda a vida do escritor e acrescenta alguns fatos fictícios macabros baseados nos diversos mistérios da biografia de Poe.

O romance não tem uma narrativa detalhada de cada fase da vida do autor, mas trás momentos importantes que convergem e casam para a construção do mistério. Não há muito segredo durante a trama e tudo é revelado sem grandes suspenses, semelhantemente a uma biografia, onde quem já conhece a figura central sabe de todos os seus passos em vida. A grande sacada do autor é a densidade do teor psicológico que a obra traz e acrescenta ao que já sabemos sobre Poe.

Dividido em quatro partes, o livro nos conta, a princípio, um pouco da infância difícil de Edgar. Tendo perdido sua família muito cedo, ele foi adotado pela família de John Allan, um homem de negócios muito rígido e pragmático. O pequeno Edgar recebe toda a educação que se dispõe na época, mas ainda assim não é feliz, ele não se sente como membro da família. Em um episódio, ele conhece um garotinho albino, Samuel, filho de escravos. Aos poucos eles vão construindo uma amizade forte, mesmo a contragosto dos pais adotivos de Edgar. Este, por sua vez, ensina Samuel a ler, tornando-o seu primeiro leitor.

Samuel se encanta com os escritos de Poe e acaba por acreditar em tudo que ele escreve, como sendo profecias para o mundo real. Talvez as teorias de Samuel sejam influenciadas por suas crenças, que aparentemente tem origem nos cultos africanos. Poe tem o difícil papel de ensinar Samuel a distinguir a ficção da realidade. Nesse quesito o Albino não se mostra um bom aluno, o que leva Poe a ficar se questionando num futuro próximo:

O que vem primeiro: a literatura ou a realidade? O que vem primeiro: o assassinato ou a descrição do assassinato? O que vem primeiro: o medo ou as frases? (p. 108)

Em um salto temporal, somos levados à vida adulta de Poe, quando ele conhece o jornalista e crítico literário Rufus Griswold, seu maior amigo e rival. Griswold é um pastor que ver na literatura a maior expressão da arte, em especial a poesia. No entanto, seu conceito de beleza é abalado quando ele começa a ler os escritos de Poe, por quem ele não sabe se sente ódio ou admiração. Após seu primeiro encontro o destino de Poe se entrelaça ao de Griswold. Juntos eles vivem uma relação de amor e ódio que beira a homoafetividade, por parte de Griswold, que é constantemente assombrando pelo espectro castigador do pecado.

Edgar Allan Poe, Virginia Poe e Rufus Griswold
Edgar Allan Poe, Virginia Poe e Rufus Griswold

Em 1836, Poe se casa com sua prima Virginia Eliza Clemm, então com treze anos. Até essa data sua carreira como escritor ainda estava engatinhando, é então quando Poe fica sabendo, através de Griswold, que alguém está cometendo assassinados iguais aos descritos nos contos que ele escrevia. Poe se sente abalado, com receio disso arruinar sua carreira e ainda mais por medo de saber quem está por trás disso, embora ele esteja ciente de que está certo. E o Nikolaj Frobenius não usa isso como mistério, já que o assassino é evidenciado desde o início.

O lance do livro é nos mostrar mais o drama vivido por Poe diante da situação de ver sua carreira ameaçada por um assassino imitador, transformando sua obra em algo perigoso. E, além disso, mostrar possíveis dramas da vida pessoal do escritor, assim como a relação entre ele e Griswold. O autor orquestra muito bem a narrativa, fazendo-a evoluir de acordo com a loucura de Edgar Allan Poe. Há momentos em que a insanidade do personagem se mistura com a narrativa, tornando-a tão complexa quanto. Ainda assim, a leitura flui rapidamente, mesmo com toda essa complexidade que vai se agregando.

Nikolaj Frobenius
Nikolaj Frobenius

Nikolaj Frobenius não é um principiante, e sabe muito bem como conduzir uma história densa como a de Poe. Seus livros já foram premiados e traduzidos para diversos idiomas, não obstante ao sucesso literário ele trabalha também como roteirista, sendo seu principal trabalho o filme sueco Insônia, que ganhou um remake americano estrelado por Al Pacino e Robin Williams.

Poe já é uma figurinha cativa quando se fala em romances biográficos ou inspiração para outros autores. Aqui no Brasil, a escritora Jeanette Rozsas – autora de Kafka e a Marca do Corvo (também pela Geração Editorial), romance que conta o escritor austríaco – publicou seu segundo romance biográfico sobre Poe, o livro intitula-se Edgar Allan Poe: O Mago do Terror (Ed. Melhoramentos) e vale a pena ser conferido. A ideia de Vou lhe Mostrar o Medo, por sua vez, foi plagiada por Hollywood no filme O Corvo (The Raven, 2012), que acabou se tornando um fiasco. Posteriormente a ideia criada por Nikolaj inspirou a série de TV, The Following.

O romance biográfico de Jeanette Rozsas; O filme que plagiou o livro; e a série que se inspirou no livro.
O romance biográfico de Jeanette Rozsas; O filme que plagiou o livro; e a série que se inspirou no livro.

O total aproveitamento de Vou lhe Mostrar o Medo requer certo conhecimento das obras de Poe, contudo não é necessário ter lido toda a obra do escritor, ainda que isso ajude e muito. Como indicação eu recomendo que leiam os livros Assassinatos na Rua Morgue e Histórias Extraordinárias, além do poema O Corvo, que é distribuído gratuitamente em ebook pela editora DarkSide. Este ebook contém tanto a tradução de Machado de Assis quanto a de Fernando Pessoa.

Por fim, gostaria de parabenizar a editora Geração pela excelente edição do livro aqui no Brasil, com fotos, ilustrações, folhas pretas (risos), além da tradução impecável e isenta de erros, pelo menos não evidentes a ponto de se identificar facilmente. Recomendo!

Curiosidades:

  • A Geração Editorial fez uma entrevista com o autor na ocasião do lançamento do livro aqui no Brasil. Na entrevista, o autor fala sobre sua inspiração em Poe, no plágio hollywoodiano e em seu próximo trabalho. Confira na íntegra AQUI.

Postagens relacionadas:

– Resenha: Kafka e a Marca do Corvo, de Jeanette Rozsas

Ficha Técnica

Vou lhe Mostrar o MedoTítulo: Vou lhe Mostrar o Medo
Título original: Jeg Skal Vise Dere Frykten
Autor(a): Nicolaj Frobenius
Editora: Geração Editorial
Tradução: Eliana Sabino
Edição: 2013 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2012
Páginas: 296
Sinopse: Edgar Allan Poe, o célebre poeta e autor de histórias de terror, bem como criador do gênero policial na literatura, é o protagonista deste romance de suspense psicológico, que discute os limites da criação literária e a responsabilidade moral da arte. Nele vemos o jovem escritor norte-americano afligido pela pobreza, angustiado com a enfermidade da sua frágil esposa e assombrado por um maníaco que comete assassinatos inspirados nos seus escritos, além de sabotado em sua carreira pelo crítico literário Griswold, que lhe dedica um misto de admiração e ódio.Publicado em toda a Europa, traduzido em dez idiomas e plagiado por Hollywood, este romance premiado marca a estreia, no Brasil, de Nikolaj Frobenius, um dos grandes expoentes da moderna literatura norueguesa.

Onde comprar:
SubmarinoEstante Virtual | Saraiva | Cultura

4 comentários

    • Oi Soraya,
      Acho que você pode curtir mesmo, tem uns momentos que o livro faz umas digressões e a narrativa se confunde com a loucura do Poe, mas isso não atrapalha de jeito nenhum a leitura, eu li super rápido!

      Depois me diz o que achou!
      Beijos

      Curtir

    • Oi Camis,
      Obrigado pelo elogio.
      Então, esse livro é bem legal, tanto pelo mistério em si quanto pela visão que ele nos dar sobre a vida de Poe. Mas confesso que ele pode agradar bem mais para quem já é fã do autor.
      Beijão! :-*

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s