NÓS – Dream Sequence Revisited, de Mario Cau

NÓS - Dream Sequence Revisited

Desde criança sou fascinado por histórias em quadrinhos. Comecei lendo gibis como os da Disney, tirinhas, depois descobri as HQ’s de super-heróis, os mangás e bem depois os quadrinhos adultos, como os publicados pelo selo Vertigo da DC Comics. De lá para cá tive acesso a obras fantásticas, que se utilizaram dos mais diversos recursos visuais para contar uma história. Certa vez li um artigo que discutia se as histórias em quadrinhos podiam ser consideradas literatura, já que não se utilizam apenas do recurso textual, mas primariamente do visual. Lembro que concordei com os argumentos que defendiam a classificação das HQ’s como sendo um tipo específico de literatura. E não só, mas bem mais do que isso, concordo com aqueles que veem as narrativas em quadrinhos como uma das formas mais singelas de arte.

Mario CauDito isso, posso falar de uma obra que exemplifica muito bem esse posicionamento, NÓS – Dream Sequence Revisited, de Mario Cau, publicada em 2010 pela Balão Editorial. Mario Cau não é novato, já conta com vários trabalhos publicados nos mais diversos formatos, sempre cotados nos mais importantes prêmios de HQ’s pelo Brasil. Seu trabalho mais conhecido é a série Pieces, em três edições até o momento, que são álbuns com várias pequenas histórias. Mario Cau também adaptou para os quadrinhos, em parceira com Felipe Greco, a obra Dom Casmurro (Ed. Devir), um dos títulos mais importantes de Machado de Assis.

NÓS começa com o protagonista numa espécie de céu, um ambiente desolador e vazio. Tão logo temos a consciência de que ele está numa espécie de sonho, dada a expressão e elementos dos quadros. Em seguida o mesmo está numa ponte rodeada de nuvens, e eis que ele vê uma luz no fim do caminho. De repente ele está num vazio e então aparece uma mulher envolta em fitas. Atraído por ela, os dois se envolvem e no instante seguinte a garota desaparece deixando apenas as fitas que começam a prendê-lo. Movido pelo desespero, o personagem se sobressalta e acorda.

O que difere esta das histórias em quadrinhos mais comuns é o fato de que não há texto, tudo é contado em silêncio, apenas pelas imagens. Embora não haja nenhuma verbalização, é possível sentir os sons pelo movimento dos quadrinhos, assim como o grito desesperado do personagem. Todo o mundo onírico criado pelo quadrinista é análogo a situações cotidianas e pode suscitar inúmeras interpretações, afinal, em contato com a arte, cada espectador tem uma experiência única.

Sob uma óptica bem pessoal vejo como quando nos envolvemos com as pessoas. A cada relação construída criamos laços (fitas) que com o tempo se entrelaçam e criam nós, muitas vezes tão resistentes que não conseguimos nos desvencilhar. No caso do personagem trata-se dos nós do relacionamento amoroso, que entre todos tende a ser o mais sufocante, não sintam que estou generalizando, cada um vive algo muito particular. Mesmo assim, muitas pessoas se veem nessa situação, onde os laços se tornam correntes e surge a sensação de prisão. Segundo o próprio autor, a história surgiu em uma  ocasião em que ele precisava expressar um momento que estava vivendo. Assim, não é possível precisar o sentido real do autor, mas imaginá-lo através da interpretação; ou criar uma nova teoria através da identificação.

Nós - Dream Sequence Revisited

Além da história impressa, o álbum vem acompanhado de um DVD com um motion comic – tipo de animação que utiliza os desenhos da própria HQ – e informações sobre o autor. No final do álbum temos também um making off, onde Mario Cau fala sobre todo o processo criativo desde a idealização até o momento da exposição. Um fato interessante é que a primeira versão de NÓS chegou a ser apresentada no trabalho de conclusão de curso (TCC) do autor.

Vale a pena conhecer, seja você apreciador de quadrinhos ou não.

Curiosidades:

  • A primeira versão da história foi lançada no formato digital e disponibilizada gratuitamente para download no site da editora. Sob o título de NÓS 1.0, a história em quadrinhos difere muito da versão atual, cuidadosamente melhorada, mas preserva toda sua essência. Caso queira conhecer melhor, baixe o e-book disponibilizado pela editora AQUI.
  • Para conhecer outros trabalhos do Mario, vale conferir tanto o SITE quanto o BLOG dele, ou acompanhá-lo pelas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e DevianART.

Nota:

13afeirahqteresina001Essa semana começa a 13ª Feira HQ de Teresina-PI, que vai do dia 13 ao dia 15 de Setembro. Mario Cau é um dos principais convidados, ele estará presente no evento durante os três dias interagindo com o público, autografando, tirando dúvidas e proferindo as palestras: Adaptação de lendas, literatura e História para HQs (dia 13), Crowdfunding: quadrinhos independentes e produção coletiva (dia 14) e Conversando sobre quadrinhos e cinema (dia 15). Além do Mario, também estarão no evento o dublador Francisco Brêtas (Cavaleiro Hyoga de Cisne em Cavaleiros do Zodíaco), o jornalista Sidney Gusman, o publicitário Daniel HDR, o editor Zé Wellington e os desenhistas Joe Bennet e Iramir Araújo.

Ficha Técnica

NÓS - Dream Sequence RevisitedTítulo: NÓS – Dream Sequence Revisited
Autor(a): Mario Cau
Editora: Balão Editorial
Edição: 2010 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2010
Páginas: 28
Sinopse: NÓS – Dream sequence revisited é o quarto lançamento da Balão Editorial, um livro com uma HQ e um DVD com um motion comic baseado na história impressa, do autor Mario Cau. Trata-se do trabalho mais maduro de Cau (PiecesNanquim DescartávelMSP+50), uma HQ no formato horizontal que se propõe a retratar o universo de um sonho. Ou seria um pesadelo? Em uma diagramação ousada de páginas, Cau mostra que é possível subverter a estrutura convencional de uma história em quadrinhos com qualidade, uma arte revolucionária e sem nenhum texto. O resultado é impressionante. Tanto que originou o motion comic produzido por André Pádua, que será parte integrante do livro. Até onde apuramos, esse é o primeiro trabalho do gênero, baseado em uma HQ completa, no Brasil.

Onde comprar:
Balão EditorialEstante Virtual | Comix Book Shop

Anúncios

5 comentários

  1. NÓS é excelente!

    Pieces também é bem único, além do quadrinho de Dom Casmurro suscitar novamente a dúvida sobre a fidelidade de Capitu.
    Entre os artistas brasileiros considero Mário Cau um dos melhores atualmente, com um toque especial para expressar sentimentos.
    Só uma correção chata e uma curiosidade xD
    Correção: Vertigo é da DC.
    Quanto as fitas vermelhas serem a ligação entre as pessoas, gostei bastante dessa perspectiva, nunca tinha tentado analisar muito NÓS, vivenciando mais com uma experiência artística. Contudo apesar do vermelho ter a clássica ligação com a temática de amor, isso me lembrou da cultura japonesa, onde uma linha vermelha que conecta as pessoas.
    PS: mais resenhas de quadrinhos, aí fujo do ostracismo e comento aqui 😛

    Curtir

    • Oi Camis,
      Não sabia que você era fã de HQ’s, não conhecia esse seu lado. Bom saber.
      Os traços do Mario Cau são excelentes. Essa HQ em especial não tem diálogo nenhum, é só visual. Baixa a versão gratuita que a editora disponibilizou (o link tá nas curiosidades) pra você vê se gosta.
      Beijos

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s