Obsessão (The Paperboy, 2012)

The Paperboy

Assistir a adaptações de livros que eu gosto é, em geral, um pouco complicado. Primeiro porque não é sempre que as adaptações são fieis, embora eu reconheça que o tipo de mídia dificulta abordarem alguns aspectos. Segundo porque, geralmente acabo escolhendo mentalmente os atores que seriam legais interpretando os personagens da obra. Mesmo assim, procuro avaliar filmes de forma isolada, mas quase nunca consigo.

Quem leu meu texto sobe Paperboy, de Pete Dexter, sabe que este foi um dos livros que mais mexeram comigo. Agora, imaginem como me senti ao ver esse filme momentos depois de ter fechado a última página? Embora o próprio Pete Dexter tenha ajudado na construção do roteiro, infelizmente muita coisa incrível tomou um rumo completamente diferente do original.

The Paperboy
John Cusack interpretando Hillary Van Wetter

Assim como no livro, a história central gira em torno dos dois filhos de W. W. James (Scott Glenn), editor do jornal Moat County Tribune. O mais novo, Jack James (Zac Efron), deixou a faculdade para entregar jornais na região. Ward (Matthew McConaughey) é jornalista, que precisa retornar para Moat e fazer a cobertura da prisão de Hillary Van Wetter (John Cusack), acusado e condenado à morte pelo assassinato do xerife local. Mas uma série de problemas se inicia quando Jack começa a se envolver com Charlotte Bless (Nicole Kidman), mulher misteriosa e mais velha, que mantinha contato com o prisioneiro.

No livro, toda a história é narrada do ponto de vista de Jack James, o próprio “paperboy”. No entanto, o diretor (Lee Daniels) achou mais conveniente substituir a narração feita por Jack. Assim, toda a história é contada do ponto de vista da empregada negra (Macy Gray). É nesse ponto que inicio meus comentários a cerca das alterações que não me pareceram tão positivas. Esta, em especial, porque é inverossímil aceitar uma história como verdadeira, quando ela é contada por alguém que não presenciou todos os fatos. Ou seja, embora ela tenha convivido com os jovens desde criança, mas quando todo o envolvimento entre Jack e Charlotte começa, ela não trabalha mais para os James.

2012-10-02-thepaperboy2

Para essa mudança, eu tenho uma teoria. Não me julguem por isso, mas para mim, Zac Efron sempre será Troy Bolton, da trilogia High School Musical. Embora eu reconheça que ele tenha amadurecido como ator e tenha ganhado um corpo escultural (que, para algumas pessoas, acaba chamando mais atenção que a própria atuação), mas ainda assim, ele não foi competente na interpretação do problemático Jack James. O personagem possui uma grande carga emocional, mas na atuação do Zac, ele pareceu apenas um adolescente bobo, um rebelde sem causa.

Na escolha dos outros personagens, me desagradou bastante terem escolhido um ator nego para interpretar Yardley (David Oyelowo). Não tomem essa fala como preconceituosa. É que no livro há uma crítica em cima de um “branco” que se considera superior a outros, apenas por vir da cidade grande. E, ao colocarem um negro nesse papel, ficou sugerido que os negros da década de 1950, quando bem sucedidos, eram pedantes e arrogantes. Isso é reafirmado também quando aparece um grupo de marinheiros (negros) num bar, tirando sarro com os protagonistas.

Outra alteração que não me agradou, coisa que sempre acontece comigo, são as adaptações de título. O filme não tem nada de “obsessivo”. Ele é apenas um romance psicológico (e ainda assim nem tanto). Mas para não falar apenas dos pontos negativos, preciso deixar claro que a fotografia é incrível. A escolha dos atores, mesmo destoante da proposta inicial do livro, foi um ganho para o filme. Só por colocar numa mesma cena Matthew McConaughey, Nicole Kidman e John Cusack, o filme já merece ser visto.

zac-efron-biografia-8O filme propõe um final alternativo, diferente do livro. Isso é até interessante em alguns casos, mas nesse especificamente não me convenceu. Desconsiderando o fato de ser adaptado de um livro maravilhoso, o filme é um excelente passa tempo. E para as fãs do Zac Efron, o filme é uma excelente propaganda do corpo dele. Assim como todos os seus novos papeis.

Divirtam-se! E comentem…

Ficha Técnica

The PaperboyTítulo: Obsessão
Título Original: The Paperboy
Direção: Lee Daniels
Roteiro: Pete Dexter
Gênero: Policial, Thriller
País: Estados Unidos
Ano: 2012
Duração: 107 min.
Sinopse: Ward (Matthew McConaughey) é jornalista de um grande jornal e precisa retornar para sua pequena cidade para fazer a cobertura da prisão de Hillary Van Wetter (John Cusack), acusado e condenado à morte pelo assassinato do xerife local. Os problemas começam quando Jack (Zac Efron), seu irmão mais novo, começa a se envolver com Charlotte (Nicole Kidman), mulher misteriosa e mais velha, que mantinha contato com o prisioneiro.

Trailer

14 comentários

  1. Oi, José!
    Acho você tão competente para criticar filmes/livros, muito mesmo. Essa critica ao filme Obsessão está perfeita. Eu não li o livro, mas tenho vontade, porque a história parece muito atraente. O que me deixa irado é realmente tanta mudança, mas é assim, só usam os direitos de adaptação, não criam tudo igual a história original. Sobre o Zac, pra mim ele não é nada demais, porque como você disse, ele ainda é o garoto do colegial. E, ai, Nicole Kidman, sou fã dessa atriz *o* Eu verei com certeza pra acompanhar a performance dela em mais um papel.
    Uma dica: ano que vem vai sair o filme Antes de Dormir, baseado no livro de SJ Watson que leva o mesmo nome. A Nicole irá protagonizar, então já fica a dica de uma leitura que tenho certeza que você vai gostar bastante *espero* hehe
    Abraços e mais uma vez, ótima critica.
    Lucas ~ Descobrindo Livros

    Curtir

    • Olá, Lucas!
      Obrigado pelos elogios e comentário.
      O livro é maravilhoso, dê uma chance a ele!
      Quando a sua dica, está anotada, a história do “Antes de Dormir” me chamou muita atenção… Irei providenciá-lo assim que puder.
      E a Nicole Kidman é maravilhosa *-*
      Abraços!

      Curtir

  2. Oi, José!
    Eu não li o livro e também não vi o filme, mas gostei muito da sua crítica!
    É óbvio que um filme nunca será igual ao livro, já que são duas propostas completamente distintas! Mas achei bacana os pontos que você apontou! É muito fácil falar: o filme não é bom porque não é igual ao livro! Só que isso é bobagem! Pelo menos você soube apontar o que não é bom no filme por ele mesmo! hehe
    Parabéns
    Beijos
    Camis

    Curtir

    • Pois é, Camila.
      As adaptações nunca serão iguais (quase sempre prefiro os livros, rs). Mas acredito que o(s) roteirista(s) deveriam tomar um pouco mais de cuidado.
      Eu procuro sempre explicar os porquês de eu gostar ou não das coisas…
      Que bom que gostou!
      Obrigado pelo carinho! 😀
      Beijos!

      Curtir

  3. Olá! Também amei ler Paperboy, assim como você, o livro mexeu comigo, ficou impregnado na minha mente. Ainda não assisti o filme, mas pela sua crítica, não sei se ficarei feliz em vê-lo.
    Concordo e assino embaixo em relação ao Yardley. E também reforço: não é preconceito, mas simplesmente acho que o personagem tinha outra característica.
    E ser contado pela voz de Macy não sei se me agrada.
    Agora fico num misto de querer ver para tirar as minhas conclusões e o receio do que esse filme pode fazer com minha ideia de Pete Dexter rs
    Beijos

    http://www.meumeiodevaneio.com.br

    Curtir

    • Olá, Soraya.
      É isso ai, Paperboy mexe mesmo conosco. E eu sempre estimulo as pessoas assistirem. Críticas são excelentes, mas nada como tirarmos nossas próprias conclusões…
      Como roteirista, eu descostei, mas não podemos negar que Pete Dexter é um excelente romancista. *-*
      Beijos

      Curtir

  4. Ah, adorei sua crítica! Tenho muita vontade em ler Paperboy mas até agora não surgiu oportunidade, e saber que existe um filme me anima mais ainda para adquirir, o chato mesmo foi a tradução do título, porque achei meio nada a ver colocarem Obsessão ‘-‘
    Mesmo assim, o filme parece ser um bom entretenimento, mas só verei quando concluir a leitura 😀

    Curtir

    • Olá, Joshua. Você deveria ler Paperboy, ele é um livro incrível. E sugiro que faça como você pensou, assista após a leitura.
      A tradução é algo que geralmente me incomoda…
      Obrigado pelo elogio e comentário! 😀
      Abraço!

      Curtir

  5. Oi José!
    Menino, comigo aconteceu uma coisa meio estranha quando eu li esse livro.
    Na verdade é porque Paperboy é um livro que você pode ler em épocas diferentes da sua vida e de acordo com a sua vivência, você enxergará de uma maneira ou de outra.
    Eu, quando li o livro, fiquei com a sensação de estar conseguindo captar a mensagem que o livro queria passar.
    Como se alguma coisa me escapasse o tempo inteiro durante a leitura, então eu acabei lendo e interpretando tudo muito superficialmente. Preciso ler de novo.
    O filme eu ainda não vi, mas pretendo ver logo!
    Parabéns pelo blog!

    Curtir

    • Olá, Juliana.
      Isso é verdade. Paperboy pode ser interpretado de várias formas, assim como boa parte dos livros. Mas com você mesmo mencionou, ele nos deixa com uma sensação estranha. Um incômodo indescritível…
      Eu pretendo muito reler ele. Tenho certeza que irei amá-lo ainda mais!
      Veja o filme, mesmo diferente vale muito a pena conhecer…
      Obrigado pelo elogio!
      Beijos

      Curtir

  6. Nossa!!! Se já estava com medo de assistir ao filme, agora então…
    Eu amei Paperboy, e como você, também não sei do porque o título ter ficado “Obsessão”. Quanto a escolha dos atores, gostei muito, até mesmo porque são extremamente talentosos, mas, concordo plenamente sobre Zac Efron, para mim, ele sempre será o Troy de HSM. Assisti a outros filmes dele e só posso dizer uma coisa: Não vejo diferença nenhuma entre as interpretações dele, parece um pouco mecânico.
    Eu certamente irei comprar meu exemplar, pois, li o livro numa comunidade Livro Viajante, gostei tanto que não pude deixar de colocá-lo na minha lista de compra. Quanto ao filme ter uma adaptação diferente ao do livro, Aff, já está me dando nos nervos isso. Para nós bookaholic´s, é muito difícil quando seu livro favorito é adaptado de uma outra forma, eu mesma saio xingando e decepcionadíssima do cinema, nem durmo a noite de tanta raiva!!!
    Parabéns pela resenha!
    Bjus

    Curtir

    • Olá Eliane
      É mais ou menos assim mesmo. O nome meio de desestimula a pessoa a assistir. A presença do Zac Efron também. Mas por todas as coisas boas que Paperboy nos proporcionou, acho que ainda assim vale a pena.
      Obrigado pelo comentário e elogio.
      Beijos

      Curtir

  7. Terminei de ler o livro nesse sábado e vi o filme no domingo. Com a história fresca na cabeça, me decepcionei muito com o filme. Concordo com você sobre mudar a raça do Yardley, pois não fez sentido algum. O fato de mudar também o narrador, de Jack para Anitta, também não tem coerência, até pq Anitta é pouco citada ao longo do livro e não vivenciou o que aconteceu naqueles meses. Muitas histórias paralelas foram omitidas no filme e o deixaram com pontas soltas. Infelizmente, a adaptação estragou (e muito) um livro excelente. E tem outra coisa, o final alternativo não tem absolutamente nada a ver com a história toda. Muito decepcionante. Só recomendo a leitura do livro, o filme é bem ruim.

    Curtir

    • Livia, que bom que entendes toda minha frustração com esta adaptação!
      Ainda hoje me pergunto como eles conseguiram estragar algo tao grandioso.

      Obrigado pelo comentário!
      Abraços!

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s