Seis Coisas Impossíveis, de Fiona Wood

Seis Coisas Impossíveis

Estou começando a pensar que me acostumar com esse lance de o meu pai ser gay é tipo entrar no mar. A água fica insuportavelmente gelada por um tempo, mas, quando a temperatura fica gostosa, você fica pensando qual era o problema. Infelizmente, até agora a água não passou das minhas canelas, e estou dando passinhos de formiga.
Fiona Wood, Seis Coisas Impossíveis, pág. 79-80.

Não li muitos escritores australianos, mas os poucos que li – Markus Zusak, Graeme Simsion e Garth Nix – me agradaram muito. Fiona Wood, autora de Seis Coisas Impossíveis (Ed. Novo Conceito) e Wildlife, ainda inédito por aqui, entrou para essa lista com o pé direito. Trata-se de um romance Young-Adult sobre vivências, nesse caso nada comuns, da adolescência.

O protagonista da história é Dan Cereill, um garoto de 14 anos que tem sua vida completamente mudada por causa de alguns acontecimentos inesperados. Seu pai foi à falência, levando toda a família junto, assumiu que é gay aos 39 anos e se separou de sua mãe, tudo tão de repente. Sua casa já não pertencia mais a eles, por conta de todas as dívidas com o banco. A única coisa que lhes resta é uma casa que a mãe de Dan recebeu de herança, mas nem isso pertence a eles de fato, pois a mansão foi tombada pelo patrimônio histórico e eles só podem habitá-la até a mãe de Dan falecer.

Além disso, a mudança e a falência fazem com que Dan mude de escola, saindo de uma particular para uma pública, e de certo modo se afaste dos seus antigos colegas. A ansiedade e insegurança frente ao novo ambiente escolar e a pessoas que ele nunca viu, põem Dan diante de um dilema tipicamente adolescente. Tantos problemas incitam a aprendizagem e o amadurecimento, afinal ele está deixando realmente de ser criança, surgindo assim outras questões comuns a essa fase da vida. O sentimento amoroso é uma delas.

Mas nem tudo é sofrimento. Apesar de tanto contratempo, a mãe de Dan herda juntamente com a casa de sua tia-avó Adelaide, um cachorro chamado Howard. O cachorro, que parece mais humano do que qualquer pessoa, passa a ser a principal companhia de Dan. Howard é tão carismático que se torna um dos melhores personagens da trama. Além do mais, Dan se apaixona pela sua nova vizinha, Estelle. Isso passa a ser também um dos principais conflitos para o amadurecimento do garoto.

Fiona Wood. Photo by David Johns
Fiona Wood. Photo by David Johns.

Dan tem uma boa personalidade, é inteligente e se preocupa com os outros, o tipo de amigo com quem se pode contar. No entanto, há momentos em que ele sucumbe à raiva e libera sua fúria, o que pode ser facilmente confundido com egoísmo. Todavia, quem nunca passou por isso? Autocontrole não é algo fácil para todos, muito menos para um garoto de 14 anos que se vê diante de situações que exigem muito além do que estamos acostumados a suportar. Seu crescimento se faz nítido no decorrer da trama, e com ele aprendemos, tardiamente ou não, muitas lições como a do quote que inicia esse texto. Além disso, uma característica interessante de Dan é o seu vício por listas, outro ponto muito legal do livro.

O livro esbanja clichês: o garoto franzino que se apaixona por uma das garotas mais bonitas da escola; um grandão mal encarado que insiste em encher o saco do protagonista com pinta de nerd; o melhor amigo nerd; sem falar, no típico baile de escola. Mas isso não torna o livro ruim, afinal clichê tem em todo lugar. No entanto, devo alertar: o livro é sobre todos esses clichês da adolescência, se você não gosta passe longe, mas isso é o que faz o livro ser legal, leve e envolvente.

Dan não vive uma história isolada. Muitos já tiveram ou têm problemas financeiros. Alguns possuem, tendo descoberto ou não, um dos pais que seja homossexual não assumido. A maioria já sofreu o dilema do primeiro amor. E todos já foram adolescentes, todos já viram os problemas escolares como os maiores de sua vida na época em que os viveram, e todos têm ou já tiveram um melhor amigo. Vendo dessa forma, a nossa vida (real) também é cheia de clichês e dá para ser feliz com eles.

Seis Coisas Impossíveis é narrado em primeira pessoa por Dan, com uma linguagem muito simples, que flui rapidamente, sendo possível ler o livro em poucas horas. É quase impossível parar de lê-lo, Fiona Wood consegue nos envolver e nos torna cúmplices da história, uma artimanha que ela deve ter adquirido com sua experiência como roteirista de TV. Antes de se tornar escritora, Fiona foi responsável pelas séries The Secret Life of Us, Silversun, Home and Away, Neighbours e outras.

Wildlife
Wildlife

Além do cachorro Howard, há outros personagens marcantes na trama, entre eles estão Fred, seu melhor amigo, e Lou, a primeira amiga que Dan faz na nova escola. Talvez por ser uma das melhores personagens do seu romance de estreia, a autora recorre a ela em seu segundo livro, Wildlife, lançado em Junho desse ano na Austrália. Este, por sua vez, não se trata de uma sequência do primeiro, mas conta com a participação de alguns de seus personagens, em especial Lou.

Se você procura um livro leve para quebrar a tensão de leituras mais densas, este é um bom livro. Se você adora histórias de adolescentes, possivelmente irá se apaixonar por esta. Se você acha que não vai gostar do livro, leia e confirme. Se possível, comentem abaixo.

Curiosidades:

  • Segundo a autora, o título surgiu de um diálogo entre Alice e a Rainha Branca no livro Alice Através do Espelho e o que Ela Encontrou por Lá, de Lewis Carroll. No livro de Carroll, Alice protesta “ninguém pode acreditar em coisas impossíveis”, ao passo que a Rainha Branca lhe responde “Eu diria que você nunca praticou bastante. Quando eu tinha a sua idade praticava sempre meia hora por dia. Às vezes me acontecia de acreditar em mais de seis coisas impossíveis antes do café da manhã”.
  • Ainda em relação ao título, a autora diz que o usou de forma literal pois assim como Alice, Dan entra em um  mundo diferente do ele estava acostumado a viver. Ela revelou também que gosta muito de títulos que contenham números e que expressem algum tipo de mistério ou segredo.

Postagens relacionadas:

Ficha Técnica

Seis Coisas ImpossíveisTítulo: Seis Coisas Impossíveis
Título original: Six Impossible Things
Autor(a): Fiona Wood
Editora: Novo Conceito
Tradução: Ana Paula Corradini
Edição: 2013 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2010
Páginas: 272
Sinopse: Dan Cereill levou um encontrão da vida: seu pai faliu, assumiu que é gay e separou-se de sua mãe, tudo de uma vez só. Enquanto isso, sua mãe recebeu de herança uma casa tombada pelo patrimônio histórico que cheira a xixi de cachorro, mas que não pode ser reformada… E, agora, Dan está vivendo em uma casa-relíquia que parece um chiqueiro, com uma mãe supertriste e sem conseguir falar com o pai — que ele ama muito. Suas únicas distrações são sua vizinha perfeita, Estelle, e uma lista de coisas impossíveis de fazer, como: 1. Beijar a garota; 2. Arrumar um emprego; 3. Dar uma animada na mãe; 4. Tentar não ser um nerd completo; 5. Falar com o pai quando ele liga; 6. Descobrir como ser bom e não sair abandonando os outros por aí…

Onde comprar:
Saraiva | Travessa | Estante Virtual | Cultura

6 comentários

  1. Amei a resenha. Eu tinha um preconceito com livros contando histórias adolescentes, mas desde que cheguei à conclusão que podem nos ensinar muito, além de nos fazer entender o porquê algumas coisas nos acontecem depois de adultos, me fez olhar com outros olhos esse tipo de literatura.
    Além de ser, como você falou, leve e gostoso de ler.
    Vai para a wishlist, como todos os livros que vocês colocam aqui!
    Beijos

    http://www.meumeiodevaneio.com.br

    Curtir

    • Oi querida,

      Fico feliz que tenha gostado. Eu sempre fui fã de livros infantis (O Pequeno Príncipe, Matilda, etc), mas os livros com histórias mais adolescentes eu tinha um pouco o pé atrás também.
      A gente acaba aprendendo muito sim, ou pelo menos somos levados a reflexão!
      Beijão!

      Curtir

  2. Que resenha bela de se ler! Estou admirada… Muito completa, tudo bem explicado, estruturado, argumentado… Estou babando aqui. Meus sinceros parabéns. Se um dia eu escreve metade bem do que você escreve estarei feliz. ^^

    E quanto ao livro… Você disse tudo, só me resta dizer que eu li e adorei. =)

    Curtir

    • Oi Nita,
      Muito obrigado mesmo, primeiro por comentar e segundo pelo carinho e pelos elogios. Fico muito feliz que tenha gostado.
      Você escreve muito bem também.
      Eu também adorei o livro.
      Beijos!

      Curtir

  3. Ai, não tinha ideia deste outro livro da autora… Agora fiquei super animada para que a Novo Conceito compre os direitos e publique aqui no Brasil. 😀 Amei “Seis coisas impossíveis” então provavelmente ame este também…hahaha

    Sua resenha ficou maravilhosa, Ademar! Queria escrever assim também… Mas ainda não consegui. 😦 Um dia chego lá, ou perto…kkk
    Parabéns você disse tudo que precisava sobre o livro e se eu já não tivesse lido e amado, agora estaria igual desesperada atrás dele por causa da sua resenha!

    Bjs, Yara.
    Blog Ilusões Escritas

    Curtir

    • Oi Yara,
      Então, eu também fiquei curioso para ler esse outro livro, Wildlife. Estou na torcida também para que a Novo Conceito compre os direitos de publicação.
      Fico muito feliz que tenha gostado da minha resenha. Obrigado mesmo pelos elogios.
      Vou passar no seu blog para conferir.
      Beijos

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s