Manuscritos do Mar Morto, de Adam Blake

Manuscritos do Mar Morto

Eu hesitei em matá-lo porque queria ter certeza, além de qualquer dúvida, de que você precisava ser morto: que não havia possibilidade de meu julgamento estar corrompido. Não foi covardia, mas escrúpulo. E isso não me rebaixa.
Adam Blake, Manuscritos do Mar Morto, pág 89.

Thriller conspiratório, independente de quem seja o autor, sempre lembrará os livros do Dan Brown. E minha reação não foi diferente quando comecei a leitura. Mas, gostei muito mais deste livro sobre o qual vos falo, do que d’O Código da Vinci – único livro do Dan Brown que li. Isso se deu basicamente por dois motivos: inicialmente por que os fatos em Manuscritos do Mar Morto são mais críveis, já que envolve uma investigação policial “mais eficiente” ou “menos amadora”; e segundo porque os personagens são bem mais carismáticos e humanos.

Embora a história lembre outras já publicadas, já que fugir do clichê é algo quase impossível atualmente, o livro é muito cheio de reviravoltas. Desde o começo o leitor já sabe que a trama trará mais teorias sobre o surgimento do cristianismo, como o próprio nome já sugere – ou, para quem desconhece o que seriam os manuscritos, basta uma rápida busca no Google para ter uma ideia do que se trata.

Manuscritos do Mar Morto (Exemplo)
Manuscritos do Mar Morto (Exemplo)

A trama se inicia quando a policial Heather Kennedy recebe a missão de investigar a morte de um professor de história. Tudo parece estar resolvido, já que os fatos levam a crer que foi apenas um acidente. Porém, seu novo assistente Harper descobre que existiram outras pessoas que foram mortas no mesmo período e que, coincidência ou não, todas elas tinham algum tipo de ligação com a primeira vítima. Com o decorrer das investigações, descobre-se que este grupo de historiadores trabalha em documentos antigos; que todos eles faziam parte de um fórum on line onde compartilhavam suas pesquisas; e ainda que eles “atualmente” trabalhavam numa nova versão de um documento sobre gnosticismo e um suposto Evangelho de Judas. O que esses pesquisadores não desconfiavam era que pagariam com suas vidas por descobrirem esse segredo milenar.

Paralela a essa história, somos apresentados a Leo Tillman, um ex-mercenário que acabará por ajudar Kennedy em sua missão. Tillman está numa busca pessoal por um homem, Michael Brand, que ele acredita ser o responsável pelo desaparecimento de sua mulher e os três filhos pequenos. Durante sua busca, ele acaba acumulando uma série de informações importantes para o desenrolar da trama. Brand, que até então ninguém sabe se ele realmente existe, também parece estar misteriosamente envolvido nas mortes dos pesquisadores.

Além dessas duas histórias, que são as principais, o autor ainda encontra espaço para colocar uma terceira, mas não menos importante. Nesta, acompanhamos o xerife Webster Gayle e sua investigação sobre a queda de um avião. No decorrer da história, uma série de outros personagens vai aparecendo e ganhando importância.

Como falei logo no início, os personagens são muito bem construídos. E, mesmo a trama sendo rica em detalhes, o autor ainda explora os conflitos familiares (e pessoais/íntimos) de seus personagens. Tillman é um bom exemplo, ele está numa busca por sua família. Já Kennedy tem um pai doente (abandonado pelo resto da família) que está sob seus cuidados; tem o trabalho que ela leva com a competência que lhe cabe; e ainda tem que conviver com provocações dos colegas de trabalho por ser competente e assumidamente lésbica.

Este maravilhoso thriller policial/conspiratório não foge a regra que diz que ingleses tem o dom para o mistério. Agatha Christie e Arthur Conan Doyle, estão ai para não me deixar mentir. A quantidade de páginas poderá assustar um pouco, mas a leitura é muito rápida e dinâmica. Os capítulos vão intercalando as histórias, deixando a necessidade de ler o capítulo seguinte para chegar ao próximo e descobrir o que acontecerá. Não posso deixar de comentar que o livro é lindo e a diagramação é extremamente confortável.

Estou ansioso para ler O Código do Apocalipse, segundo livro protagonizado por Kennedy e Tillman.

Curiosidades:

Mike Carey
Escritor Make Carey
  • Adam Blake é o pseudônimo de Mike Carey (nascido em 1959), que é escritor de romances gráficos, histórias em quadrinhos, romances e filmes britânico;
  • Carey ainda é roteirista, e trabalha para o selo Vertigo, da DC Comics;
  • Escreveu algumas histórias para as séries Quarteto Fantástico e X-Men e para as aventuras do mago John Constantine, de Hellblazer.
  • Em 2011, ele escreveu um crossover entre X-Men Legado e Novos Mutantes intitulado “Age of X”Ainda nesse ano, a Marvel anunciou último arco de X-Men – O Legado, assinado por de Mike Carey.

Sequência de publicação/Cronologia da série:

  1. Manuscritos do Mar Morto (The Dead Sea Deception, 2013)
  2. O Código do Apocalispe (The Demon Code, 2014)

Postagens relacionadas:

Ficha Técnica

Manuscritos do Mar MortoTítulo: Manuscritos do Mar Morto
Título original: The Dead Sea Deception
Série: Leo Tillman & Heather (Vol.1)
Autor(a): Adam Blake
Editora: Novo Conceito
Tradução: Camila Fernandes
Edição: 2013 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2011
Páginas: 480
Sinopse: A ambiciosa policial Heather Kennedy está em seu trabalho mais difícil: seus métodos de investigação são criticados e ela está sendo assediada por colegas rancorosos porque não lhes dá atenção. Até que lhe é atribuída o que parece ser uma investigação de rotina, sobre a morte acidental de um professor da Faculdade Prince Regent, mas a autópsia deste caso volta com algumas descobertas incomuns: o inquérito vincula a morte deste professor às de outros historiadores que trabalharam juntos em um obscuro projeto sobre um manuscrito do início da Era Cristã. Em seu escritório, Kennedy segue com sua investigação e logo se preocupa com o rumo para onde está sendo levada. Mas ela não está sozinha em sua apreensão. O ex-mercenário Leo Tillman — seu futuro parceiro — também tem angustiantes informações sobre estes crimes. E sobre a misteriosa organização mundial a que os crimes se relacionam… Escondido entre os pergaminhos do Mar Morto, um códice mortal pretende desvendar os segredos que envolvem a morte de Jesus Cristo. Entre um terrível acidente de avião no deserto americano, um brutal assassinato na Universidade de Londres e uma cidade-fantasma no México, Manuscritos do Mar Morto é o mais emocionante thriller desde O código Da Vinci.

Onde comprar:
Saraiva | Submarino | Cultura

Anúncios

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s