O Sorriso do Homem Mau e Outros Contos Policiais, de Raphael Montes

As horas transcorrem mais depressa quando não tem esperanças. Naquele porão, o tempo é um conceito ilusório: segundos e dias se confundem de modo que uma linha cronológica – se fosse possível desenhar uma – seria feita de instantes recortados e reutilizados à exaustão, num corte e colagem infinitos. O prisioneiro nem sequer chama aquilo de rotina, pois – ainda lembra – a rotina é capaz de oferecer rescaldos e epifanias sutis.
Raphael Montes, O Sorriso do Homem Mau e Outros Contos Policiais

Recentemente, em entrevista ao também escritor de romances policiais e apresentador Jô Soares, Raphael Montes disse não ser contista, ainda que tenha iniciado assim sua carreira. Segundo o próprio autor, foi ao distribuir alguns pequenos contos entre os colegas de sala que seu talento para a escrita foi evidenciado e incentivado, já que os colegas pediam mais dessas histórias macabras – vindo dele, sempre são.

Conheci Raphael Montes pouco depois do lançamento do seu primeiro livro, Suicidas. Até então, éramos meros contatos em nossas listas de amigos do Facebook, eis que no primeiro papo surgiu a afinidade: eu era fascinado por romances policiais, enquanto Raphael, além de fascinado, também escrevia romances policiais, ou pelo menos tinha acabado de lançar um, no qual ele já vinha trabalhando há algum tempo. Fiquei no mínimo curioso. Entre as muitas conversas que se seguiram li Suicidas, gostei muito e dei meus pitacos, o que me promoveu ao patamar de um certo leitor-beta irresponsável de Dias Perfeitos (recentemente resenhado aqui, não por mim). Dessa relação de confiança e amizade entre escritor-leitor, tive a oportunidade de ler alguns contos de Raphael Montes (alguns deles presentes nesse título), outra faceta, sobre a qual venho lhes falar.

Raphael Montes
Raphael Montes

Embora a modéstia do autor não reconheça tal faceta – o mesmo se diz apenas romancista –, Raphael logrou êxito em pelo menos dois trabalhos como contista. Um deles e talvez o mais importante, foi a publicação do conto Statement nº 060.719-67 na revista americana Ellery Queen Mystery Magazine. O outro foi o lançamento especial do livro digital O Sorriso do Homem Mau e Outros Contos Policiais pela editora Benvirá, selo de ficção da Editora Saraiva, primeira casa editorial de Raphael. A edição surgiu como uma ação promocional durante a Bienal do Livro do Rio de Janeiro no ano passado, mas não teve tanta atenção, tampouco êxito, talvez porque os holofotes em torno de Raphael estivessem começando naquele período.

O Sorriso do Homem Mau e Outros Contos Policiais é a reunião de cinco contos de Raphael Montes. Como eu disse, foi lançado exclusivamente em formato digital e distribuído gratuitamente durante a Bienal de 2013. O problema é que a dificuldade burocrática para fazer o download do e-book na SaraivaDigital fazia qualquer um desistir de ter acesso ao livro, exceção dos amigos e dos já fãs do autor, que persistiram. Exemplo disso é que até agora, menos de cinco pessoas marcaram o título como lido no Skoob, muitos nem sabem sobre o mesmo. Mas, vamos falar da obra.

O primeiro conto, Depoimento nº 220.919.90, já havia sido lançado anteriormente na antologia Clube da Leitura, Vol. 2. No texto, uma criança faz um relato apressado sobre a morte do seu avô, ela foi a única testemunha e vai nos contando sob um ponto de vista inocente e infantil seu depoimento, chocante e revelador. Apesar de uma escrita caprichada, Raphael se apressa (talvez pelo formato de depoimento) e não convence com a narrativa em primeira pessoa do garoto. Entre os cinco é o menos interessante, mas de forma alguma ruim.

Em seguida temos Banquete, entre todos o melhor. Também já havia sido publicado, na antologia VII Demônios – Gula. Com uma linguagem quase poética, Raphael constrói uma trama que vai transformado o singelo de uma mazela social em um quadro macabro sobre os instintos animais e a loucura do ser humano. Em uma pequena vila assolada por um inverno rigoroso que cobre tudo de neve, uma família tenta sobreviver à fome se alimentado de restos de raízes e animais (ratos), ao mesmo tempo em que foge de um regime quase distópico dos líderes da vila. Muito bem escrito, o conto termina com um banquete onde todo mistério é revelado, como pede o gênero.

Café é o conto central. Assim como o primeiro, também é narrado em primeira pessoa, foi publicado anteriormente na mesma antologia e não surpreende. Nesse, acompanhamos o monólogo de um empresário que vê sua vida à beira da ruína, sufocado pela relação falsa e invejosa dos seus colegas de trabalho, ele senta para tomar um café e nos contar um pouco da sua história.

O penúltimo, Tudo o Que me Falta, foi o primeiro conto do Raphael que eu li, juntamente com outro que não foi publicado aqui, mas que me foram confiados por ele. Nesse, o autor se usa da metalinguagem para fazer uma crítica divertida ao próprio gênero ao qual pertence, o policial, e até mesmo ao mercado editorial não muito acolhedor para os iniciantes. No conto, dois escritores fracassados dividem o pseudônimo de um escritor de banca. Ambos, mecanizados pela escrita barata, se veem com o desejo de escrever um livro “de verdade” e tentar carreira solo. O final pode não surpreender, mas ganha o leitor pelo ar cômico, muito bom.

Por fim, O Sorriso do Homem Mau, que dá título e fecha a edição. Nesse, acompanhamos o desespero e falta de esperanças de um garoto, vítima de sequestro, que vive aprisionado em um porão servindo aos caprichos e fantasias mais esdrúxulas do seu algoz. Não digo que este seja o melhor conto, ainda prefiro o Banquete, acredito que o fato de este nomear a edição seja apenas pelo título curioso e mais chamativo. Muito bem escrito, aqui vemos a técnica narrativa que Raphael usa em seus romances, não obstante, certa vez o autor me disse que este tratava-se de um prólogo para um futuro romance que ele planejava escrever, ainda o aguardo e espero que ele não tenha desistido da ideia, a proposta é bem interessante. Me remete um pouco ao próprio Dias PerfeitosTarântula, do francês Thierry Jonquet.

Livros de Raphael Montes: Suicidas (2ª Edição), Dias Perfeitos e Suicidas (1ª Edição).
Livros de Raphael Montes: Suicidas (2ª Edição), Dias Perfeitos e Suicidas (1ª Edição).

Ademais, digo que Raphael Montes de fato não é contista. Nem domina o gênero tão bem como faz com o romance. Não pelo fato de que o conto seja considerado um gênero difícil, até porque com o tempo a estrutura tradicional do conto foi aos poucos defasando-se pela liberdade criativa de quem o escrevia, tornou-se um gênero de experimentação, que como qualquer experimento pode funcionar ou não. De qualquer forma, mesmo não sendo exímio contista, Raphael escreve sempre boas histórias (sempre macabras também, rs) seja em romance ou em conto. O autor possui outros contos interessantes que poderiam ter sido incluídos, entre eles o ótimo A Professora. Não posso deixar de solicitar a publicação de um futuro livro impresso com todos o contos (os já conhecidos e os inéditos) do autor, os fãs adorariam.

Sugiro ao autor que disponibilize este livro em formatos digitais para download em seu site, em acordo com a editora Benvirá obviamente, que é quem detém os direitos do título. Outra opção seria vendê-lo nas lojas de livros digitais (Kobo, Amazon, Saraiva, etc) por um preço acessível. Além de uma boa divulgação para seu trabalho, seria um prato cheio para os fãs, ou melhor, um prato meio cheio, daqueles que ficam com gostinho de quero mais. Vale conferir, caso tenham a oportunidade, já que o e-book encontra-se indisponível para compra ou download gratuito.

Outras Obras do Autor:

  • Suicidas (Ed. Benvirá)
  • Dias Perfeitos (Ed. Companhia das Letras)

Postagens relacionadas:

Ficha Técnica

Título: O Sorriso do Homem Mau e Outros Contos Policiais
Autor(a): Raphael Montes
Editora: Benvirá
Edição: 2013 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2013
Sinopse: Raphael Montes nasceu no Rio de Janeiro, em 1990. Formou-se em Direito pela UERJ. Publicou contos em diversas antologias de mistério. Suicidas, seu romance de estreia, foi finalista do 1º Prêmio Benvirá de Literatura. Esse e-book exclusivo traz cinco contos do autor: Depoimento nº 220.919.90, Banquete, Café, Tudo o Que me Falta e O Sorriso do Homem Mau.

Onde comprar:
E-book indisponível para venda ou download gratuito.

4 comments

    • Oi André,
      Então, eu acredito que o Raphael não tenha falado mais a respeito desse gênero com o Jô pela questão do tempo e até mesmo porque o foco era o novo romance dele, Dias Perfeitos. Não vejo como falta de personalidade, talvez o autor prefira ser visto principalmente como romancista, embora já tenha escrito alguns contos.
      Obrigado pela visita e pelo cometário.

      Curtir

  1. Gostaria de saber mais novidades sobre esse livro. Já disponibilizaram algum link ou a editora pretende publicá-lo? Já entrei em contato tanto com a Benvirá quanto com o autor, mas não obtive resposta.

    Curtir

    • Oi Angel,
      Esse livro foi lançado em uma campanha especial da editora Saraiva para a Bienal.
      É possível encontrá-lo em formato e-book na internet, na verdade ele foi lançado exclusivamente em formato e-book.

      Abraços

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s