Dançando Sobre Cacos de Vidro, de Ka Hancock

Dançando sobre Cacos de Vidro

– Lucy, todo casamento é uma dança: complicada às vezes, maravilhosa em outras. Na maior parte do tempo não acontece nada de extraordinário. Com Mickey, porém, haverá momentos em que vocês dançarão sobre cacos de vidro. Haverá sofrimento. Nesse caso, ou você fugirá ou aguentará firme até o pior passar.
Ka Hancock, Dançando Sobre Cacos de Vidro, pág. 99

Não posso negar que o meu interesse por esse livro nasceu logo no seu lançamento em Setembro do ano passado, causado inicialmente pelo título extremamente curioso. Outro fato que me despertou muito interesse foi a capa, que é linda e delicada, além de não ser um spoiller da história. A sinopse pode até entregar algumas coisas, mas o livro é muito rico e ela acaba por não influenciar tanto, exceto no seu real objetivo que é causar curiosidade e interesse.

A temática do livro – Transtorno Bipolar de Humor – me agradou ainda mais quando comecei a leitura. Sou fascinado por problemas/transtornos psicológicos e suas ramificações. Posso provar isso citando alguns dos meus livros favoritos: No Escuro, de Elizabeth Haynes (Transtorno Obsessivo Compulsivo – TOC); Garotas de Vidro, de Laurie Halse Anderson (Transtornos Alimentares); Helena Gold, de Walter Moreira Santos (Depressão); Perdão, Leonard Peacock, de Matthew Quick (Depressão, associada a pensamento suicida); além de uma lista imensa de livros protagonizados por psicopatas e sociopatas.

Capas pelo mundo.
Capas pelo mundo.

Para quem desconhece, ou conhece pouco, o Transtorno Bipolar de Humor é um problema onde as pessoas alternam entre períodos de muito bom humor ou irritação e depressão. As causas não são inteiramente conhecidas, no entanto, já se sabe que ele está ligado a alguns fatores específicos, como: biológicos (relativos a neurotransmissores cerebrais), genéticos, sociais e/ou psicológicos. Embora seja um problema sério, algumas pessoas não acreditam na sua gravidade, uma vez que as mudanças de humor acontecem, teoricamente, “sem motivo aparente”. Dentre essas mudanças estão: oscilações normais, como nos estados de alegria e tristeza, mas podem evoluir para mudanças patológicas acentuadas e diferentes do normal, como episódios de mania, hipomania, depressão e/ou todas estas associadas, mista, nos casos mais graves – como é o caso do personagem.

Assim, o livro narra o relacionamento entre Lucy Houston e Mickey Chandler. Ela vem de uma família com histórico de câncer de mama muito agressivo, e ele sofre de transtorno bipolar. Eles têm tudo para não conseguirem ficar juntos, mas o amor de ambos faz com que eles permaneçam casados por 11 anos. E é basicamente nesse ponto que a história começa, onde durante uma consulta de rotina Lucy descobre que está gravida.

Esta notícia é incrível, mas não para um casal com tantos problemas e que já havia decidido há anos que isso não poderia acontecer – Lucy chegou a fazer laqueadura de trompas. Mas para um casal que enfrentou e ainda enfrenta tantos problemas, aceitar esse filho seria apenas mais um desafio. E com isso o casal pode provar que eles são mais fortes que tudo e que o amor que um sentia pelo outro só se tornou mais forte, agora unido ao amor (ma)paternal.

Ka Hancock (Autora)
Ka Hancock (Autora)

Ka Hancock foi extremamente competente na construção das personagens. Lucy é uma protagonista muito carismática e amorosa, chega a ser contagiante. Mickey, apesar de seus problemas, também é muito carismático, e a autora fez um trabalho magnífico na descrição da doença, tornando tudo muito crível, além de nos ajudar na percepção da forma de pensar/agir das pessoas com Transtorno Bipolar. Outros personagens também vão surgindo no decorrer da trama e se tornando importantes para o entendimento da mesma, quero destacar as irmãs de Lucy – Lily e Priscilla, que apesar de serem extremamente diferentes estão sempre prontas para se ajudar e apoiar; o psiquiatra Dr. Gleason, que acompanha Mickey desde criança, e que antes disso já acompanhava sua mãe, portadora do mesmo problema.

Algumas (muitas) lágrimas fluíram, principalmente nos momentos em que a autora mostrou a intensa luta de Mickey em se manter no limite entre a depressão e a psicose, uma luta que sabemos (ou imaginamos) o quanto pode ser dolorosa tanto para que vive quanto para quem convive com ela. O esforço do protagonista em ficar bem para não ferir os sentimentos de Lucy é muito desolador, principalmente quando ele não consegue. E o mais incrível e emocionante de tudo é que Lucy reconhece isso e consegue perceber o quando seu marido é incrível, gentil, doce, apaixonado e alegre.

Apesar de ser seu romance de estreia, Ka Hancock foi muito competente e conseguiu comover. Envolvi-me tanto com as personagens que não consegui perceber nenhuma ponta solta ou falha. A Editora Arqueiro também caprichou na diagramação. O livro é tão lindo quanto a história que ele conta. Não é só um livro que fala de pessoas doentes que se apaixonam, mas um livro que fala de relacionamentos, envolvimentos afetivos de todas as formas e superação. Ele prova que na vida, estamos sempre “Dançando Sobre Cacos de Vidro”. Recomendo muito!

Melhores Quotes:

Esta é a minha vida: o tempo todo me aproximando e me afastando da beira de um buraco que ora me fascina, ora me apavora – um buraco cheio de qualquer coisa que a minha imaginação dite no momento. (pág. 18)

Para muita gente, esse abismo não existe, mas ele é uma ameaça real para quem sofre de transtorno bipolar. Sei que pareço um dependente químico, mas nenhuma droga causa a mesma sensação que a loucura quando está prestes a nos dominar, nem o desespero que vem imediatamente após você ter cedido a ela. (pág. 19)

Em tese, deve ser difícil enlouquecer um louco… Mas, ao que tudo indica, não é impossível. Digo isso porque eu não sabia o que acontecia comigo quando estava com Lucy. Eu já conhecera um monte de mulheres, mas não entendia o poder que essa garota passou a exercer sobre mim quase no mesmo instante em que a vi. (pág. 87)

Curiosidades:

  • Ka Hancock é enfermeira e decidiu colocar no papel toda a sua experiência vivida na ala psiquiátrica.

Postagens relacionadas:

Ficha Técnica

Dançando sobre Cacos de VidroTítulo: Dançando Sobre Cacos de Vidro
Título Original: Dancing on Broken Glass
Autor(a): Ka Hancock
Editora: Arqueiro
Tradução: Regina Lyra
Edição: 2013 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2012
Páginas: 336
Baixe um Trecho: AQUI
Sinopse: Lucy Houston e Mickey Chandler não deveriam se apaixonar. Os dois sofrem de doenças genéticas: Lucy tem um histórico familiar de câncer de mama muito agressivo e Mickey, um grave transtorno bipolar. No entanto, quando seus caminhos se cruzam, é impossível negar a atração entre eles. Contrariando toda a lógica que indicava que sua história não teria futuro, eles se casam e firmam – por escrito – um compromisso para fazer o relacionamento dar certo. Mickey promete tomar os remédios. Lucy promete não culpá-lo pelas coisas que ele não pode controlar. Mickey será sempre honesto. Lucy será paciente. Como em qualquer relação, eles têm dias bons e dias ruins – alguns terríveis. Depois que Lucy quase perde uma batalha contra o câncer, eles criam mais uma regra: nunca terão filhos, para não passar adiante sua herança genética. Porém, em seu 11° aniversário de casamento, durante uma consulta de rotina, Lucy é surpreendida com uma notícia extraordinária, quase um milagre, que vai mudar tudo o que ela e Mickey haviam planejado. De uma hora para outra todas as regras são jogadas pela janela e eles terão que redescobrir o verdadeiro significado do amor.

Onde comprar:
Cultura | Saraiva | Estante Virtual | Submarino

Anúncios

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s