Nosferatu, de Joe Hill

Nosferatu, de Joe Hill

Um carro antigo se afastava no final do quarteirão, um Rolls-Royce preto com estribos e detalhes cromados. Os faróis traseiros reluziam vermelhos na noite e iluminavam a placa: NOS4A2. O veículo dobrou a esquina e desapareceu, levando consigo o som alegre do Natal.
Joe Hill, Nosferatu, pág. 56

Quando falamos de romances de terror/horror, é quase instantâneo pensarmos em Stephen King. Mas outros nomes também são importantes para a popularização desse gênero, como: H. P. Lovecraft (O Caso de Charles Dexter Ward), David Seltzer (A Profecia), Ira Levin (O Bebê de Rosemary), William Peter Blatty (O Exorcismo), Guilhermo Del Toro (Noturno), Lily Blake (A Última Casa da Rua), Andrew Neiderman (Advogado do Diabo), e o protagonista desse texto, Joe Hill (A Estrada da Noite / O Pacto).

Apesar de Joe Hill ser filho de Stephen King, sua popularidade veio principalmente pela qualidade do seu trabalho. Logo ao escrever A Estrada da Noite, Joe Hill passou a ser do suspense e do terror. Após isso, ele escreveu uma coletânea de contos, Fantasmas do Século XX, que por sinal já está esgotado. Seu terceiro trabalho, O Pacto, que vem sendo falado bastante atualmente por causa da adaptação para o cinema – protagonizado pelo eterno Harry Potter, Daniel Radcliffe. A Tribo, lançado apenas em e-book em parceria com Stephen King. Gosto de ver a forma como a Editora Arqueira vem investindo nele. Seu trabalho todo vem sendo traduzido em tempo hábil, e, nesse ritmo que eles lançaram Nosferatu, meu mais novo livro favorito.

Capas NOS4A2
Capas NOS4A2

A história tem como protagonista Victoria McQueen, a Pirralha, e como vilão Charles Talent Manx. A primeira tem o dom de chegar a qualquer lugar, desde que esteja montada na sua bicicleta – através de uma ponte existente num bosque próximo a sua casa. O segundo possui o mesmo dom, embora seu espectro (objeto que lhe permite tal façanha) seja um Rolls-Royce, o qual lhe permite levar crianças para passear por vias ocultas que conduzem a um dos mais assustadores parques de diversões que já vi/li: a Terra do Natal.

O livro faz uma breve introdução sobre quem são esses personagens e o que cada um deles pode fazer. Na primeira parte temos Vic, a Pirralha, utilizando seu espectro para encontrar objetos perdidos e tentar se aproximar dos seus pais; enquanto isso, Manx tenta conseguir um aliado que lhe ajude a “salvar” crianças de pais “malvados”. Um tempo se passa, Vic se torna uma adolescente típica – cheia de revoltas e dúvidas, e decidida a descobrir se suas viagens no tempo eram reais ou se não passavam de imaginação infantil. E é durante uma dessas voltas que ela encontra Charles e toda a aventura começa. Mais detalhes que isso, só lendo, porque a cada página Hill nos traz mais detalhes e reviravoltas.

Apesar de ser uma história incrível e de possuir um desenvolvimento assustador, acredito que eu teria gostado mais se a protagonista tivesse continuado criança. Não estou querendo dizer que a história ficou ruim, ou perdeu seu encanto, nem tão pouco que Joe Hill não soube juntar “as pontas soltas” dessa transição… Apenas uma questão de gosto, uma vez que ficaria mais interessante, a meu ver.

Escritor, Joe Hill
Escritor, Joe Hill

A prova de que Joe Hill tem consciência do que estava fazendo ao escrever Nosferatu, é que, apesar de estarmos cientes de ler um livro de mais de 600 páginas, ao final, temos duas impressões: a primeira é de termos lido um livro de no máximo 200 páginas, de tão intenso que é; e a segunda, te termos lido uma saga imensa, de tão rica e cheia de referências. Não é à toa que Hill possui um número tão grande de fãs.

Quanto à diagramação, achei impecável: as ilustrações belíssimas, fonte confortável, qualidade gráfica da capa. Apenas um detalhe me incomodou, e acredito que isso aconteceu com mais algumas pessoas: a tradução do título. Não entendo de marketing nem nada disso, mas acredito que NOS4A2 chamaria mais atenção, bem como aguçaria ainda mais a curiosidade do leitor. Acredito também que os leitores veriam a obra do Hill como “seu livro” e não “uma releitura do clássico personagem, Nosferatu, a qual o livro faz referência”.

Curiosidades:

  • Nosferatu foi transformado em Graphic Movel intitulado Wraith: Welcome to Christmasland, ilustrado por C. P. Wilson III e publicado pela IDW Publishing.
    [Clique para aumentar] Ilustração da Graphic Movel "Wraith: Welcome to Christmasland"
    Ilustração da Graphic Movel “Wraith: Welcome to Christmasland”

Postagens relacionadas:

Booktrailer (By Joe Hill)

Ficha Técnica

Nosferatu, de Joe HillTítulo: Nosferatu
Título Original: NOS4A2
Autor(a): Joe Hill
Editora: Arqueiro
Tradução: Fernanda Abreu
Edição: 2014 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2013
Páginas: 624
Sinopse: Victoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa sua estranha capacidade, pois sabe que ninguém acreditaria. Ela própria não entende muito bem. Charles Talent Manx também tem um dom especial. Seu Rolls-Royce lhe permite levar crianças para passear por vias ocultas que conduzem a um tenebroso parque de diversões: a Terra do Natal. A viagem pela autoestrada da perversa imaginação de Charlie transforma seus preciosos passageiros, deixando-os tão aterrorizantes quanto seu aparente benfeitor. E chega então o dia em que Vic sai atrás de encrenca… e acaba encontrando Charlie.

Onde comprar:
Cultura | Saraiva | Estante Virtual | Submarino

Anúncios

2 comentários

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s