Seis Anos Depois, de Harlan Coben

Lembranças dolorosas nunca chegam suavemente – elas arrombam a porta e entram todas ao mesmo tempo. 
Harlan Coben, Seis Anos Depois, cap. 5

É sempre difícil falar de um livro tempos depois de o ter lido. O lado bom é que só podemos falar daquilo que nos marcou, então vamos lá. Harlan Coben é o queridinho dos leitores no rol de autores contemporâneos de romances policiais/thrillers. É ainda um dos mais produtivos e bem pagos, ficando atrás apenas da fábrica de livros chamada James Patterson, embora este publique em todos os gêneros.

Harlan Coben começou a ser publicado no Brasil pela extinta ARX, um braço da Saraiva. Posteriormente, o autor ganhou uma casa fixa e aconchegante, a Arqueiro, que surgiu para desvincular os títulos de ficção da Sextante. Só pela Aqueiro, o autor já publicou 16 (dezesseis) dos seus mais de 25 (vinte e cinco) títulos. Nada mal. A editora passou a investir mais no gênero após ser alavancada pelas vendas de Dan Brown. A partir deste, fazem parte do time de autores policiais da editora nomes como James Patterson (a máquina), Daniel Silva, John Verdon, John Sandford, Chevy Stevens, Lene Kaaberbøl e Agnete Friis, entre outros.

Harlan Coben
Harlan Coben

Não obstante, seu penúltimo romance publicado no Brasil em Julho desse ano já havia estreado em primeiro lugar na lista de best-sellers do The New York Times, não que esse seja um pódio difícil de se alcançar lá nos EUA hoje em dia, mas o número de vendas e os elogios falam por si, e de fato, é o que importa, principalmente para o autor e as editoras que o publicam mundo afora.

Mas então, de que trata este que é tido pelos tabloides americanos como o melhor e mais ambicioso romance de Harlan Coben? Six Years, que chegou por aqui com a tradução Seis Anos Depois, narra o romance entre Jake Fisher e Natalie Avery. Eles se conheceram no verão, ambos estavam em retiros diferentes e próximos, o dele para escritores; o dela para artistas. Nos passeios pelas vizinhanças eles se apaixonam quase que a primeira vista e repentinamente. O romance intenso e avassalador dura poucos meses, mas o suficiente para Jake achar que não há no universo outra mulher que possa lhe completar.

Pouco depois de ser perder de amor por Natalie, vem o golpe. A moça rompe o namoro e anuncia o casamento imediato com um suporto ex-namorado, Todd. Para endossar o sofrimento, Jake é ainda convidado para o casamento e num momento após a cerimônia Natalie pede que ele a deixe em paz e nunca mais a procure. O protagonista, pego de surpresa com essa punhalada nas costas, resolve seguir sua vida e se dedicar a sua carreira, atendendo com esmero o pedido de sua amada.

No presente da trama, Jake é um professor universitário querido e até bem de vida. Um cara meio politicamente correto que não gosta de se meter em encrencas. Um belo dia, ao executar seu trabalho normalmente, Jake fica sabendo do obituário de Todd, a lembrança do nome daquele que lhe tomou o grande amor de sua vida reacende uma esperança. Como agora Natalie está viúva, ele acredita que pode tentar se reaproximar dela, ainda que bem antecipadamente. Na tentativa de revê-la, ele resolve ir ao funeral de Todd. Lá chegando ele descobre que a viúva não é Natalie, mas outra mulher, com quem Todd era casado há anos. Isso gera confusão na cabeça do herói, pois tudo indica que o casamento de sua amada não passou de uma farsa. Isso traz a tona todos os questionamentos motivacionais que ele havia tentado ignorar durante seis anos.

Bom, transcorridos esses seis anos, o amor de Jake por Natalie é o mesmo. Parece até que ela havia sumido há apenas seis dias. Com uma chama de esperança ainda viva e preocupado, ele vai atrás da sua musa eterna. É então que ele se depara com outro golpe, Natalie não tem registro nenhum nos últimos seis anos, documentos, histórico de atividades, nada. É como se ela praticamente não existisse, o que dificulta a busca e coloca Jake numa aventura de tirar o fôlego. Com muitas reviravoltas, tramas que vão sendo acrescidas, personagens que vão aparecendo e sumindo (mortos ou não), o livro se desenrola num ritmo acelerado, como é típico do autor e às vezes do gênero.

Capa original
Capa original

Mas o que eu achei disso tudo? Bom, conheci o autor com o romance Quando Ela se Foi, o 9º (nono) da série do detetive Myron Bolytar. Na época fiquei encantado com a forma que Harlan Coben consegue fisgar o leitor numa leitura ininterrupta e de tirar o fôlego. Tempos depois, retorno com este título à escrita do autor, e confesso que não me surpreendeu. Talvez tenha sido as expectativas que criei ou os elogios acalorados dos jornais, mas continuei gostando mais de Quando Ela se Foi. E eu explico.

Seis Anos Depois é um livro independente do autor, ou seja, não faz parte de uma das séries de livros protagonizadas pelos mesmos personagens. Ponto positivo para quem não gosta de séries longas e negativo para quem se apegou aos personagens. Mas, o que fez eu me envolver menos do que gostaria foi o caráter mirabolante demais de toda a trama. O autor desenvolve bem seus protagonistas, fecha as pontas soltas e cumpre toda a sua tabelinha. O problema, na minha opinião, é que os meios e artifícios usados para justificar o desenvolvimento e levar a trama até onde ela chegou são pouco críveis. A liberdade inventiva do autor deve ser respeitada, claro, mas nesse gênero em especial, que fisga o leitor pela verossimilhança não é nenhum exagero pedir um pouco de cuidado nesse ponto.

Ainda assim, é uma leitura que vale ser feita. Quem já é fã, vai gostar de adicionar mais esse título do autor à lista de livros lidos. Os que gostam da mescla entre muita ação, tiros e pancadaria com romances avassaladores que nem o tempo é capaz de suprimir, esse é o livro de escolha. No mais, até os que não gostarem não terão do que se arrepender, já que Seis Anos Depois é leitura para não mais que algumas horas. E perder tempo lendo é ganhar, quase sempre, nesse caso é.

Curiosidades:

Hugh Jackman

  • O livro Seis Anos Depois está sendo adaptado para o cinema e trará Hugh Jackman (Wolverine) no papel de Jake Fisher. O filme está sendo produzido por Tom Rothman and Mark Gordon, pela Paramount.

Melhores Quotes:

Eu não estava me sentindo bem, mas eles não notavam. Em geral não conseguem imaginar que os professores têm suas próprias vidas, da mesma forma que não podem conceber os pais fazendo sexo. (cap. 2)

A morte é a grande uniformizadora, de forma que todas as cerimônias fúnebres, exceto as dos filmes, acabam sendo iguais. São sempre sem cor, pasteurizadas, e oferecem mais fórmula e ritual do que consolo e conforto. (cap. 25)

Nenhum de nós é realmente isolado. A morte reverbera. (cap. 25)

O Facebook adora torturar as pessoas mantendo os ex bem na sua frente. (cap. 26)

Postagens relacionadas:

Ficha Técnica

Título: Seis Anos Depois
Título original: Six Years
Autor(a): Harlan Coben
Editora: Arqueiro
Tradução: Ricardo Quintana
Edição: 2014 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2013
Páginas: 272
Sinopse: Jake Fisher e Natalie Avery se conheceram no verão. Eles estavam em retiros diferentes, porém próximos um do outro. O dele era para escritores; o dela, para artistas. Eles se apaixonaram e, juntos, viveram os melhores meses de suas vidas. E foi por isso que Jake não entendeu quando Natalie decidiu romper com ele e se casar com Todd, um ex-namorado. No dia do casamento, ela pediu a Jake que os deixasse em paz e nunca mais voltasse a procurá-la. Jake tentou esconder seu coração partido dedicando-se integralmente à carreira de professor universitário e assim manteve sua promessa… durante seis anos. Ao ver o obituário de Todd, Jake não resiste e resolve se reaproximar de Natalie. No enterro, em vez de sua amada, encontra uma viúva diferente e logo descobre que o casamento de Natalie e Todd não passou de uma farsa. Agora ele está decidido a ir atrás dela, esteja onde estiver, mas não imagina os perigos que envolvem procurar uma pessoa que não quer ser encontrada. Em Seis anos depois Harlan Coben usa todo o seu talento para criar uma trama sensacional sobre um amor perdido e os segredos que ele esconde.

Onde comprar:
Cultura Estante Virtual | Saraiva | Submarino

2 comentários

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s