Homens, Mulheres & Filhos, de Chad Kultgen

Homens, Mulheres & Filhos

Brandy Baltmeyer estava de pé atrás da mãe, Patrícia, que fazia o que denominava “verificação semanal” no computador do quarto da filha. Essa verificação consistia em Brandy ser forçada a dar as senhas de todos os sites nos quais tinha conta para a mãe. Patrícia então entrava em cada um deles, incluindo a conta do Gmail da filha, o perfil do Myspace e do Facebook e a conta de usuário do Syfy.com.
Chad Kultgen, Homens, Mulheres & Filhos, pág. 46

Quando eu soube da estreia do filme Homens, Mulheres & Filhos nem sabia se tratar da adaptação de um romance homônimo. Tampouco que esse romance acabara de ser lançado por aqui pela editora Record. Também não sabia de quem se tratava o autor, que na orelha do livro se intitula o maior fotógrafo vivo de esquilos. E sabia menos ainda do que se tratava a história. Podia presumir que fosse em torno da tão comum vida de adolescente, com base no cartaz do filme que traz um quase beijo entre Kaitlyn Dever e Ansel Elgort. No entanto, não imaginava que o livro pudesse trazer isso de modo tão cru, totalmente despudorado e quase visceral.

Antes de mais nada, devo dizer que é preciso ter certo estômago e ser desprovido de qualquer tipo de pudor ou tabu sexual para encarar Homens, Mulheres & Filhos. Isso porque o autor escreve com honestidade em relação àquilo que imagina, ele não se preocupa por exemplo se ao escrever algo vai ofender ou não certos leitores, ele poderia se podar ou manter decoro na sua narrativa, mas estaria sendo desonesto consigo mesmo e até mesmo hipócrita. Então, se por algum motivo seja ele religioso, filosófico e/ou apenas ideológico você tem algum tipo de tabu ou pudor quando o assunto é sexo, provavelmente se sentirá ofendido e não irá aprovar o livro.

Chad Kultgen
Chad Kultgen

O livro como um todo é nada mais que um retrato da vida sexual na contemporaneidade mediada pelo mundo virtual, cada vez mais efervescente. Se fosse para resumi-lo numa frase seria “sexo, fetiches e redes sociais”. Mas o livro não se limita a falar apenas de sexo, o autor usa seus personagens para nos mostrar os vários problemas da vida sexual cada vez mais precoce entre os adolescentes, além de inseri-los de forma contextualizada com outros dramas e distúrbios que podem acontecer durante essa fase. Além da descoberta da sexualidade e da construção da personalidade, vemos no livro personagens que se envolvem com sexting, transtornos alimentares (anorexia e bulimia), gravidez e aborto na adolescência, suicídio, vício em jogos eletrônicos, quase tudo acompanhado de problemas da vida adulta como adultério, divórcio, fracasso profissional, entre outros.

A história é contada sob vários pontos de vista e aos poucos vamos conhecendo o íntimo de cada personagem. Sempre que há interação entre dois ou mais personagens o narrador nos deixa a par do que cada um pensa sobre o outro, mesmo não verbalizando isso. É preciso dizer que há um excesso de pornografia em quase todos os capítulos e páginas, que termina por direcionar o livro para um público acima dos 18 anos, mas talvez a intenção do autor seja dialogar diretamente com os adultos sobre tais temas. Apesar da linguagem obscena, quase sempre o autor faz uma quebra com o humor, ainda que a maior parte dele seja humor negro, muitas das cenas são de dá gargalhadas.

Tim Mooney e Brandy Beltmeyer no filme Homens, Mulheres & Filhos
Tim Mooney e Brandy Beltmeyer no filme Homens, Mulheres & Filhos

Entre os personagens principais estão o grupo de amigos do oitavo ano do ensino fundamental (alunos por volta dos 13 e 14 anos), formado por Tim Mooney, Chris Truby, Danny Vance, Hannah Clint, Brooke Benton, Alisson Doss e Brandy Beltmeyer, além é claro dos pais de alguns deles que tem seus próprios dramas em destaque ao longo da narrativa. Tim é o principal jogador do time de futebol americano da escola, mas decide abandonar o futebol para passar horas jogando World of Warcraft, isso após a separação dos seus pais, pois sua mãe foi embora para morar com outro cara. Chris Truby está descobrindo seus desejos sexuais mais se vê diante do problema de só se excitar com pornografia bizarra e fora do comum. E Danny assume maior parte da responsabilidade do time após a saída de Tim, tem que dividir sua atenção entre os jogos e os pedidos constantes de sua namorada para perder a virgindade.

No time feminino, Hannah Clint é a mais experiente sexualmente e sonha em ser famosa, fazendo de tudo para conseguir seus objetivos, quer ser a primeira da turma a perder a virgindade. Brooke Benton é uma líder de torcida e namorada de Danny, extremamente competitiva, quer iniciar sua vida sexual para não ser ultrapassada pelas colegas. Alisson sofre de transtornos alimentares, após sofrer bullying por ser gordinha, é uma das personagens que experimenta mais problemas e dramas pessoais. E Brandy é uma garota que tem sua vida virtual completamente controlada pela mãe, que monitora remotamente seu celular, assim como vistoria seu computador a cada 15 minutos, o que a leva a tentar burlar as regras da mãe fingindo ser quem não é no meio virtual.

Brandy e Patricia Baltmeyer no filme Homens, Mulheres & Filhos
Brandy e Patricia Baltmeyer no filme Homens, Mulheres & Filhos

Alguns pais tem papel de destaque e suas próprias histórias para contar. No entanto, o livro não possui um desfecho como muitos esperam. À medida que vamos lendo criamos expectativas para que o autor dê um desfecho para cada personagem, mas ao final todas as histórias permanecem em aberto, pois na vida real a vida continua, não há um ponto final, principalmente em uma fase como a adolescência. Assim, é preciso encarar a leitura como um recorte no espaço-tempo da vida dos personagens, acompanhamos eles por algum período e depois nos despedimos, ficando a cargo das nossas imaginações desenvolver novos conflitos e cenas.

Homens, Mulheres & Filhos (Poster do filme)O filme baseado no livro estreou dia 04 de Dezembro aqui no Brasil, mas ainda não o assisti. Em breve quero poder compartilhar com vocês minhas impressões sobre a película. Todavia, para concluir eu preciso bater na mesma tecla e dizer que o livro é extremamente pornográfico, com cenas cruas e diálogos obscenos, como uma forma de retratar o mais honestamente possível o que o autor pensou que fosse a vida sexual secreta de cada personagem. Se você tem algum pudor ou tabu sexual, pode não curtir muito o livro. Particularmente, eu gostei muito, ao colocar tudo de forma tão crua e nos fazer entrar na mente de cada personagem simultaneamente, o autor nos faz pensar se realmente conhecemos as pessoas ao nosso redor, ou pelo menos se há parte obscuras (leia-se fetiches) delas que não podemos adivinhar. Vale a pena ler, uma das leituras mais divertidas e curiosas do ano.

Curiosidades:

  • Homens, Mulheres & Filhos foi adaptado para o cinema e o filme homônimo estreou no Brasil em 4 de Dezembro. O filme foi dirigido pelo aclamado Jason Reitman e estrelado por Adam Sandler, Jennifer Garner, Emma Thompson, Judy Greer e Ansel Elgort (o jovem ator que interpretou o personagem Gus no filme A Culpa é das Estrelas).
  • Embora no filme os personagens pareçam possuir idade entre 15 e 17 anos, no livro nenhum dos adolescentes protagonistas têm mais de 14 anos.
  • A notar pelo trailer, o filme parece ser bem fiel ao livro em relação ao desenrolar dos dramas e dos fatos, só que sem as muitas cenas de sexo e diálogos obscenos.
  • Acesse o Instagram do autor e veja inúmeras fotos e vídeos de esquilos, algumas com participação do autor: @chadkultgen.
  • O personagem Don Truby é fissurado pela atriz pornô Stoya, cujo comentário sobre o livro de Chad estampa a contracapa: “Homens, Mulheres & Filhos aborda todos os assuntos sobre os quais os americanos não falam, e, ao mostrar o que acontece quando não nos comunicamos, revela como podemos ser ao mesmo tempo afetuosos e ameaçadores, sensíveis e bizarros, de uma das formas mais bonitas que já vi.
Stoya lendo para o projeto Hysterical Literature
Stoya lendo para o projeto Hysterical Literature

Trailer do Filme

Postagens relacionadas:

Ficha Técnica

Homens, Mulheres & FilhosTítulo: Homens, Mulheres & Filhos
Título original: Men, Women & Children
Autor(a): Chad Kultgen
Editora: Record
Tradução: Fabiana Colasanti
Edição: 2014 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2011
Páginas: 351
Skoob: Adicione
Leia um trecho: AQUI
Sinopse: Homens, Mulheres & Filhos é a melhor obra de ficção já escrita sobre a sexualidade de adolescentes e adultos em tempos de Internet. O autor cria uma rede de personagens que levam vidas comuns e aparentemente normais, mas, no fundo, repletas de neuroses, fraquezas, pudores, perversões, inseguranças, ingenuidades, e cujo comportamento é influenciado diretamente pela mídia e pelo mundo virtual. O filho obcecado por videogames, a adolescente com mania de magreza, a mãe superprotetora, a filha rebelde, o jovem deprimido, a esposa que não se sente mais desejada, o marido que foi abandonado pela mulher, o pai viciado em pornografia on-line  – neste livro fantástico existe um personagem para cada um de nós. Homens, Mulheres & Filhos abre uma janela para mostrar, de um jeito direto, honesto, às vezes trágico, algumas vezes cômico, como funciona a cultura emocionalmente traiçoeira em que vivemos. Um livro extremamente bem escrito que vai entreter o leitor e, ao mesmo tempo, fazê-lo pensar.

Compare e compre: Buscapé | Amazon

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s