| Resenha | Os Filhos de Anansi, de Neil Gaiman

Os Filhos de Anansi (Detalhe)

Histórias são como teias, conectadas fio a fio, e cada uma segue até o centro, porque o centro é o fim. Cada pessoa é um fio da história.
Neil Gaiman, Os Filhos de Anansi, pág. 246

Antes de mais nada, devo confessar que nunca fui muito fã do Neil Gaiman. Logicamente, sempre fui visto com olhos tortos pela grande maioria dos seus fãs. Meu receio surgiu especialmente após a leitura do volume de contos Coisas Frágeis, que para mim não foi uma experiência muito positiva, pois a sensação que eu tinha era de que havia muitas referências forçadas que de certo modo me pareceram pedantes demais. No entanto, o apreço que alguns amigos (de muito bom gosto) tinham pelo escritor me fez dar mais uma chance a ele, e então eu li o romance O Oceano no Fim do Caminho e reli o conto Como Falar com as Garotas nas Festas. Ao fim dessa tentativa, fiquei deveras surpreso, especialmente em relação ao romance, que me agradou demais, uma experiência que ainda hoje permanece viva em mim.

Mas estou aqui para falar sobre Os Filhos de Anansi, que não é inédito por aqui, mas que ganhou uma nova edição muito especial pela editora Intrínseca. A leitura desse livro serviu como uma redenção entre mim e Neil Gaiman, assim como me fez ver o quanto eu estava enganado em relação ao autor. A trama é cativante e bem executada, os personagens são bem construídos e vivazes, ainda que sejam essencialmente seres mitológicos e estereótipos da vida real, e tudo funciona muito bem. Este é o quinto romance solo do autor, no qual ele retorna à temática de Deuses Americanos, um dos mais conhecidos.

Fat Charlie (FanArt by Ana Dias)
Fat Charlie (FanArt by Ana Dias)

Em Anansi, o protagonista é Fat Nancy Charlie (ou só Fat Charlie ou Mr. Nancy), filho de um deus africano em forma de aranha, Anansi. Mas o próprio Mr. Nancy não sabe disso até chegar à sua vida adulta, quando a notícia da morte de seu pai quebra a tranquilidade de sua vida pacata e entediante em Londres. Charlie está prestes a se casar com Rosie, enquanto tenta manter seu emprego na empresa do Mr. Grahame Coats. Ao voltar para os Estados Unidos para o funeral do seu pai, Mr. Nancy descobre não só que é filho de um deus como também que tem um irmão de cuja existência ele sequer sabia. Uma senhora idosa, vizinha de infância da família de Mr. Nancy, o orienta a se reaproximar do irmão que havia sumido, para isso ele deve pedir que uma aranha procure o seu irmão, e assim ele faz.

É então que aparece Spider, o irmão desaparecido de Fat Charlie. A princípio, Spider parece querer ajudar o irmão, mas aos poucos Mr. Nancy percebe que ao invés de ajudá-lo, Spider está tomando sua vida. Além disso, Spider consegue complicar ainda mais a vida de Mr. Nancy em seu emprego, trazendo à tona o mau caráter por trás de seu chefe, Mr. Grahame Coats. Isso faz com que a polícia fique atrás de Mr. Nancy, que além de ver o seu casamento indo por água abaixo, precisa provar que é inocente para a polícia e, em última instância, se livrar mais uma vez do seu irmão.

Em meio a tantos conflitos, que só parecem aumentar a cada nova página, a trama se desenvolve numa espécie de ode à complicação dos relacionamentos amorosos e familiares. O que fazer quando sua própria família é o motivo da sua ruína? Como se livrar de alguém que você é praticamente obrigado a amar? Em quem confiar quando você não pode confiar no seu parente mais próximo? Em meio a tantos dilemas vividos por Fat Charlie, vamos sendo apresentados a uma mitologia incrível que toma por base as lendas de deuses africanos. Assim, os conflitos típicos e que estereotipam a vida real, numa crítica bem positiva, são mesclados com os conflitos mágicos de um universo mitológico que se desenrola em paralelo e em consonância com os das personagens meramente humanas.

É difícil descrever a experiência da leitura de Os Filhos de Anansi, pois somos conduzidos por Gaiman para um universo misto de emoções. Ora estamos chateados com o egoísmo e a crueldade de alguns personagens, ora nos sentimos felizes e parte da felicidade deles, mas ao longo de todo o desenrolar da história somos apresentados especialmente a personagens que não carregam apenas um extremo da dicotomia do bem e do mal, mas acima de tudo, vemos como as personagens transitam ora para um lado, ora para o outro, ou para ambos a depender do ponto de vista. A trama apresenta várias reviravoltas e  muitas cenas hilárias capazes de arrancar gargalhadas do leitor. Mas para mim, o ponto mais alto é a capacidade inventiva de Gaiman em criar cenas (mesmo escrevendo) que ficam conosco por um bom tempo.

Os Filhos de Anansi (FanArt by Jessbie)
Os Filhos de Anansi (FanArt by Jessbie)

Gaiman é mais conhecido pelo seu quadrinho Sandman, cuja profundidade, impressa pelo roteiro e traços, encanta pessoas por onde passa. Em Os Filhos de Anansi, a verve do autor é ratificada por descrições tão surreais e ao mesmo tempo tão fortes que são capazes de estimular a imaginação de qualquer um. Lembro bem de uma cena em que Spider está sentado num restaurante em frente a uma mulher-pássaro (uma deusa) e no momento em que ela abre a boca, ele consegue ver muitos pássaros dentro da boca dela, que começam a sair numa revoada em forma de nuvem e o atacam impiedosamente. Aquilo ainda está comigo até agora como um quadro de pintura surrealista.

Como eu disse, esse não é um livro inédito aqui no Brasil, o mesmo já havia sido publicado pela editora Conrad. Mas numa tentativa de reunir a maior parte da obra do autor, em especial as inéditas e aquelas cujos direitos de publicação não estão sendo renovados por suas antigas editoras, a editora Intrínseca lança sua nova edição com um diferencial. Além do romance em si, esta edição traz uma cena deletada da versão final e dois textos onde Gaiman responde a duas perguntas que são comumente feitas a ele em entrevistas. Vale muito a pena conferir. Após a leitura, fiquei com vontade de ler tudo do autor.

Nota: 💚💚💚💚💚

Ficha Técnica

Clique para ampliar
Clique para ampliar

Título: Os Filhos de Anansi
Título Original: Anansi Boys
Autor(a): Neil Gaiman
Tradução: Edmundo Barreiros
Editora: Intrínseca
Edição: 2015 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2005
Páginas: 328
Skoob: Adicione
Leia um trecho: AQUI
Compare e compre: Buscapé | Amazon

4 comentários

    • Oi Júnior,
      Acho que você vai gostar muito, o senso de humor dele e a magia presente na trama torna a leitura uma experiência que vale muito a pena. Dei gargalhadas.
      Como disse no texto, comecei a gostar do Gaiman com O Oceano no Fim do Caminho.
      Quero ver sua opinião sobre Os Filhos de Anansi. 😉
      Abraços

      Curtido por 1 pessoa

    • Oi Raquel,
      Que bom que gostou. Eu estou passando por essa fase de querer ler tudo dele. 😊
      Dei boas gargalhadas com Os Filhos de Anansi. A cena do limão é hilária.

      Beijos

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s