| Resenha | O Vilarejo, de Raphael Montes

O Vilarejo de Raphael Montes 2

O velho estava certo. O vilarejo vem sendo dizimado a cada dia. As mortes são frequentes e o luto se sentou à mesa. Ninguém chora os mortos. Não podem desperdiçar energia lamentando a partida dos que não suportaram o frio e a fome. (Banquete para Anatole)
Raphael Montes, O Vilarejo, pág. 15

Ler os textos do Raphael Montes é sempre um prazer para mim. Desta forma, não é de se espantar quão ansioso eu fiquei ao ser anunciado que mais um livro dele seria lançado, e pela Suma de Letras 😍. No entanto, livros de contos não são meu forte. Mas na equação Raphael + Terror/Horror + Suma, a variável “Conto” foi ignorada. Partindo para a análise, tentarei não ser tendencioso quanto à qualidade, mas desde já fica registrado que eu adorei tudo que li e vi.

O Vilarejo de Raphael Montes
Imagem do autor. Fonte: Instagram

A compilação dos contos tem como ponto de partida o estudo realizado pelo padre e demonologista Peter Binsfeld, em 1589, que fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, responsável por invocar o mal nas pessoas. Como já se pode imaginar, O Vilarejo é uma coletânea formada por sete histórias de sete pessoas diferentes, porém, todas ligadas pelo fato de habitarem o mesmo vilarejo —  sucumbido pelo frio, terror e fome.

Segundo informações contidas na edição, as histórias podem ser lidas de forma independente — e eu não vejo problemas. Mas preferi seguir a ordem de publicação, pela conveniência na hora da leitura e por imaginar que esta foi a ordem que o autor escolheu para que conhecêssemos O Vilarejo. Inicialmente, pensei em falar sobre cada conto separadamente, mas como eles possuem certa ligação entre si, imaginei que acabaria soltando algum spoiller e desisti da ideia. Mas para deixar um pouco de curiosidade, apresentarei apenas o primeiro deles.

Belzebu: Banquete para Anatole — Publicado inicialmente na antologia VII Demônios – Gula e posteriormente na coletânea O Sorriso do Homem Mau e Outros Contos Policiais, publicado pela Benvirá exclusivamente em formato digital, este é um dos meus contos favoritos do Raphael. Neste temos uma família tentando sobreviver à fome e ao frio, enquanto tenta fugir de um regime quase distópico. Escrito de forma suave, é neste que somos apresentados aos protagonistas dos próximos contos.

Os outros demônios e contos, na ordem, são: Leviathan: As irmãs Vália, Velma e Vonda; Lúcifer: O negro caolho; Asmodeus: A doce Jekaterina; Belphegor: A verdadeira história de Ivan, o ferreiro; Mammon: O porquinho de porcelana da Sra Branka; Satan: Um homem de muitos nomes.

O mundo não se resume a esse vilarejo incrustado no meio do nada, Sr. Ivan. Existem outras línguas. E outros tons de pele. O fato de sermos todos brancos, de olhos claros, não nos torna melhores ou piores. (p. 34)

Esta foi uma leitura muito rápida e divertida (sendo meio mórbido agora, rs). Não preciso mencionar que adoro tudo que o Raphael escreve, apesar de preferir alguns textos específicos, como no caso de Suicidas, que ainda permanece como sendo meu favorito, seguido de Dias Perfeitos. A edição está incrível, cada detalhe colocado no momento e local adequados. As ilustrações do Marcelo Damm só vieram a enriquecer ainda mais a obra.

Só posso recomendar e muito!
Nota: 💚💚💚💚💛

Ficha Técnica

Clique para ampliar
Clique para ampliar

Título: O Vilarjo
Autor(a): Raphael Montes
Editora: Suma de Letras
Edição: 2015 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2015
Páginas: 96
Skoob: Adicione
Leia um trecho: AQUI
Compare e compre: Buscapé | Amazon

2 comments

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s