| Resenha | All Star Azul, de Ricardo Mesquita

All Star
Imagem do Google.

[…] Estranho, mas já me sinto como um velho amigo seu
Seu All Star azul combina com o meu preto de cano alto […].
Nando Reis, All Star.

Romances homoafetivos sempre me atraem, seja pelo relacionamento em si ou pelas possibilidades de discussões que podem ser levantadas acerca da temática. Então, sempre que tenho a oportunidade leio novas histórias e novos escritores, como é o caso de Ricardo Mesquita — que eu desconhecia até o momento. E acredito que teria ficado assim se não fosse a Maratona Literária de Inverno 2015, onde uma das categorias era “ler um livro escolhido por outra pessoa“. Foi uma leitura bem rápida e prazerosa. Assim, gostaria de compartilhar um pouco desta experiência com vocês.

A ideia da história é bem simples: temos dois garotos que são muito amigos, mas que um certo dia — após um acontecimento “x” — um deles se descobre apaixonado pelo outro. O primeiro, Diego, é um adolescente que mora com o pai, a madrasta e o filho dela. A família possui um padrão de vida mediano, o que faz com que o protagonista e narrador da história não tenha tantos conflitos assim. Apesar de ser assumidamente gay desde os 14 anos, a família prefere ignorar este fato. O segundo, Thiago, é o melhor amigo de Diego. Ele, aparentemente, também é um garoto sem conflitos familiares ou pessoais.

Imagem do Google
Imagem do Google

E essa é a história. O autor traz alguns flashes de como a amizade dos dois começou, afim de justificar toda a união deles. Concomitantemente, acompanhamos essa amizade fragilizada após o tal fato [que está impresso no verso, como quote, trazendo o maior dos spoilers]. Além disso, podemos acompanhar a relação dos garotos com os outros amigos de escola — Mah (Maria) e Juliano —; a relação de ambos com suas famílias, em especial aquela entre Diego e seu pai, que está abrindo um restaurante; o envolvimento sexual e afetivo entre Diego e Felipe — um homem bonitão e sexy, com o qual ele supre suas carências e, involuntariamente, tenta fazer ciúme ao Thiago.

Ricardo Mesquita consegue desenvolver muito bem seus personagens, tornando todos os acontecimentos e justificativas críveis. Apresentando muito bem como funciona o processo de transformação do corpo e da mente durante a adolescência. É interessante também como cada personagem secundário tem sua importância para a trama, tendo sua parte na história bem desenvolvida. Pois isto é uma das coisas que mais me incomoda em alguns livros, uma vez que alguns autores enchem suas histórias de personagens que, no final das contas, não contribuíram com nada.

Ricardo Mesquita

Como não conhecia nada sobre o autor, gostei de saber (pela orelha do livro) que ele é uma pessoa ‘capacitada’ para abordar a temática. Conforme as informações mencionadas, ele é “licenciado em Ciências Biológicas, […] Orientador Sexual […]. Trabalha desde sua graduação com a temática LGBT, principalmente na instância educacional com crianças e adolescentes no combate ao Bullying Homofóbico. Autor de artigos e outras publicações no meio Acadêmico com foco no estudo sobre a Homossexualidade e seus desdobramentos dentro do ambiente escolar. […]” E, para mim, a informação/declaração de amor mais linda de todas: “auto declarado marido feliz do melhor homem do mundo (André Alves de Andrade Mesquita)“.

Em relação à edição, a Metanoia tem um capricho muito grande com os detalhes das páginas, diagramação, tipo de papel e fonte. Mas algumas falhas na revisão do texto me deixaram bastante incomodado. Encontrei alguns muitos erros não só ortográficos, mas também de formatação, em especial dos diálogos, que apesar de serem marcados com travessão, às vezes três falas seguidas (mesmo com Enter) eram da mesma pessoa. E isso confundiu um pouco. Acredito que essas falhas se deem pela falta de atenção do revisor. Atualmente, estou lendo outro livro da editora, e este parece ter sido revisado com mais atenção.

Mas, superando isto, temos uma ótima história, que eu recomendo!

Sugestão de Música

Ficha Técnica

All Star Azul, de Rodrigo Mesquita
Clique para ampliar

Título: All Star Azul
Autor(a): Ricardo Mesquita
Editora: Metanoia
Edição: 2012 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2012
Páginas: 242
Skoob: Adicione
Compare e compre: BuscapéMetanoia

4 comments

  1. Olá, Mailson.

    Gosto muito de livros (e filmes) com essa temática também e confesso que ainda não conhecia All Star Azul (A primeira coisa que pensei ao ler o título do post foi a música do Nando Reis) Apesar de aparentar uma história simples e dos erros encontrados, fiquei interessado, principalmente pelo currículo do autor e o bom trabalho feito nos personagens. Ficou a pergunta: qual o acontecimento? Aí fui conferir a sinopse, trágico.:/

    Até mais.
    decaranasletras.blogspot.com

    Curtir

    • Olá, Pedro!!
      Pensar na música do Nando Reis é quase inevitável, rs. O livro é realmente muito bom, apesar de terem colocado esse acontecimento na sinopse não ter me agradado.
      Mas gostei muito. Em breve sairá outra resenha da mesma editora, fique atento!

      Abraços!

      Curtir

  2. Sou psicóloga e fui professora, achei o livro interessante principalmente pelos poucos personagens. Houveram umas pequenas confusões, mas nada que prejudicasse o conteúdo.
    Achei bem atual. Gostaria de participar deste grupo, pois adoro leitura e música.

    Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s