| Resenha | Star Wars: A Arma de um Jedi, de Jason Fry

A Arma de um Jedi (detalhe)

Recentemente li uma postagem na internet sobre o que aprendemos com os livros de Star Wars lançados sob o selo “Jornada para O Despertar da Força”. Ao todo, somam-se pelo menos dezoito títulos entre romances, contos, histórias em quadrinhos e livros interativos. Logicamente, alguns são essenciais como Marcas da Guerra e Estrelas Perdidas, outros são completamente dispensáveis. Ouvir também, nos últimos meses, fãs de longa data e fãs novatos com receio de que SW se tornasse cada vez mais apenas um produto vendável. Essa discussão tem muito pano pra manga. Mas se você quer aproveitar ao máximo o Universo Expandido de SW, sem perder tempo com títulos que não acrescentam muita coisa, você só precisa aprender a filtrar aquilo que lê.

Mas por que essa introdução? Porque mês passado foi lançado três livros pela editora Seguinte que acompanham os protagonistas em aventuras entre os filmes da trilogia clássica e que, segundo a sinopse, trazem pistas sobre o novo filme. A Arma de um Jedi, de Jason Fry, é o primeiro dessa trilogia e conta uma aventura de Luke Skywalker entre Uma Nova Esperança e O Império Contra-Ataca. Trata-se de um young-adult, mas é uma história inédita que faz parte do Novo Cânone. Então, mesmo que não seja uma daquelas aventuras tão empolgantes como esperamos que seja (e não é) vale a pena para conhecer um pouco mais sobre o cenário em que a trilogia clássica se firmou. Ser fã de Star Wars é estar em constante aprendizado sobre a galáxia muito, muito distante que George Lucas criou.

Por falar em aprendizado, é sobre isso que trata o livro. Mais especificamente sobre o episódio em que Luke aprende um pouco mais a usar a Força, entre a última lição de Obi-Wan Kenobi e o início do seu treinamento com o Mestre Yoda. Após a destruição da primeira Estrela da Morte, Luke é designado para uma missão junto com C-3PO e R2-D2. No entanto, ele é atraído pela Força para um antigo templo Jedi no planeta Devaron. Os templos Jedi, apesar de terem sido destruídos com o surgimento do Império, ainda guardam segredos milenares sobre a antiga Ordem Jedi, da qual Luke acredita ser o último membro remanescente.

Luke aproveita o fato de precisar fazer reparos na nave Y-Wing em que está viajando e entra na floresta de Devaron para investigar o templo. O local é proibido, obviamente. Nenhum guia local se atreve a conduzir o jovem padawan em sua aventura. Nenhum exceto Sarco Plank, também conhecido como o Abutre. Este é um alienígena misterioso e nada confiável, uma criatura cuja espécie Luke desconhece. Antes de partir para o templo, Luke havia recebido uma oferta de uma devaroniana adolescente chamada Farnay, filha do mecânico contratado pra consertar a Y-Wing. Como Luke não aceita seus serviços, por achar perigoso para uma garotinha ir a um lugar proibido pelo Império, Farnay segue o jovem padawan às escondidas.

Jpeg

Até aí a trama não surpreende, o clímax tampouco. Mas como eu disse, vale pelo aprendizado e esta é uma leitura rápida, de uma sentada, ótima para intercalar com leituras mais densas. Mas e aí, o que aprendemos com A Arma de um Jedi? A história é narrada por C-3PO e se inicia num período pós-O Retorno de Jedi. Assim, como os outros dois livros da trilogia, este começa com um prólogo e termina com um epílogo que parecem ser onde estão as tais pistas, assim como os nomes novos que aparecem, em especial os adolescentes que serão adultos durante o episódio VII. C-3PO está usando um braço vermelho, cuja origem é desconhecida por enquanto. Por onde o droide de protocolo se meteu após a destruição da segunda Estrela da Morte? Enquanto C-3PO narra, sua ouvinte é a piloto do esquadrão Azul Jessika Pava.

Durante sua visita ao templo, Luke promete voltar ao lugar futuramente, o que pode indicar que o templo veio a se tornar um lugar de meditação para ele. Mas veja, estou apenas especulando. Além disso, acredito que um nome para ficar de olho é o da devaroniana Farnay, que embora talvez não apareça nos próximos filmes, talvez tome papel importante em alguma aventura do universo expandido em outros livros. A edição da Seguinte é impecável (assim como dos outros dois), especialmente pelo cuidado especial no tratamento das ilustrações incríveis assinadas por Phil Noto. Como todos os livros de SW da Seguinte, esses vêm com marcadores de páginas recortáveis. Se você não leu, ainda dá tempo de ler antes de O Despertar da Força.

Que a Força esteja com todos vocês!

Nota: 💚💚💚💚💛

Trailer Star Wars: O Despertar da Força

Ficha Técnica

A Arma de um JediTítulo: Star Wars: A Arma de um Jedi
Título Original: Star Wars: The Weapon of a Jedi
Autor(a): Jason Fry
Ilustrações: Phil Noto
Tradução: Álvaro Hattnher
Editora: Seguinte
Edição: 2015 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2015
Páginas: 200
Skoob: Adicione
Leia um trecho: AQUI
Compare e compre: Buscapé | Amazon

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s