| Resenha | Lugares Escuros, de Gillian Flynn

Lugares Escuros, de Gillian Flynn

[…] Não posso alimentar esses pensamentos. Classifiquei essas lembranças como se fossem um lugar particularmente perigoso: um lugar escuro. […]
Gillian Flynn, Lugares Escuros, pág.16

Depois do meu primeiro contato com Gillian Flynn, em Objetos Cortantes, estava sinceramente muito ansioso por uma nova oportunidade, que felizmente não demorou tanto. Como era minha pretensão, estou lendo os livros na ordem em que foram escritos e aqui estou para apresentar minhas impressões sobre o segundo romance da autora — Lugares Escuros. Fiquei mais atento a este romance após o sucesso de Garota Exemplar (Ed. Intrínseca), uma vez que me interessei por tudo que ela escreve, e em seguida após saber da publicação aqui no Brasil por conta da adaptação cinematográfica homônima, em 2015, protagonizada pela Charlize Theron.

Nessa nova história, a protagonista Libby Day é uma sobrevivente do massacre onde toda a sua família foi exterminada pelo irmão mais velho Ben Day, que atualmente está preso. Após vinte e quatro anos da tragédia, Libby ainda não consegue seguir em frente, sobrevivendo apenas de doações de pessoas comovidas com sua história. Mas, como já era de se esperar, esse dinheiro começa a acabar fazendo com que ela pense em trabalho como uma das possibilidades. Ainda sem saber o que fazer, Libby recebe uma carta convidando-a para fazer presença num evento, pela qual será bem paga. Pensando apenas no pagamento, ela decide se encontrar com o remetente e, posteriormente, aceita a proposta. Tudo estaria tranquilo se (1) não fosse escrito pela Gillian Flynn e (2) esse evento não se tratasse de um clube especializado em desvendar crimes (ou apenas admirá-los), denominado Kill Club.

Lugares Escuros (Filme)
Adaptação da arte da capa da primeira edição publicada pela Ed. Intrínseca.

Esse clube, cujos frequentadores adoram investigar crimes mal resolvidos, defende a ideia de que Ben Day é inocente. Esse pensamento assusta Libby, especialmente porque eles afirmam que o testemunho dela foi influenciado para incriminar o irmão. Como aceitar que os últimos vinte e quatro anos foram uma farsa? Pensando nisso, a protagonista decide se unir ao grupo, apesar de se mostrar confusa e, por vezes, irredutível, na tentativa de conhecer sua própria história. Além disso, outro fator fala tão alto quanto o segredo: os membros do Kill Club decidem pagá-la para que ela se encontre com alguns “fantasmas do passado”. Entre esses fantasmas, estão: sei pai, que abandonou a família quando ela ainda era criança, e o irmão, que ainda está preso e, também por isso, não tem contato desde “aquela noite”.

Escrito a partir de duas linhas temporais, seguimos num desses momentos (no presente) a influência desse grupo na busca de Libby por uma verdade que, aparentemente, ela não estava interessada até então; no outro, acompanhamos a vida da família Day a partir da véspera do fatídico dia, sob as perspectivas de Patty (mãe das crianças) e Ben (irmão mais velho). Como podem perceber, a mesma história acaba sendo contada de várias formas e o leitor consegue ir montando o próprio quebra-cabeça. Mas não se engane, a peça-chave foi bem escondida pela autora, que só entregará no final, modificando tudo que você tinha visto e construído até ali. E é aí que mora a genialidade de Gillian: ela consegue amarrar uma história inteira, cheia de pontas soltas, apenas com um único fato.

Lugares Escuros (Cena do Filme)
Cena do filme “Dark Places” (2015)

Sobre este fato, devo acrescentar que a autora consegue surpreender o leitor de forma incrível. Como já havia lido seu primeiro romance, fiquei bem atento às pistas, mas ainda assim a autora consegue inovar e provocar o espanto. Sobre a construção dos personagens, não tive nenhuma surpresa. A autora consegue trazer dramas bem complexos e personalidades bem dúbias, fazendo com que não consigamos confiar nos personagens, apesar da empatia criada. E, para os leitores desatentos, tenham algo em mente: para Gillian Flynn, tudo pode acontecer, tudo mesmo.

A edição está muito caprichada, sem muitos detalhes ou diagramações diferenciadas, mas ainda assim, muito linda. A editora está fazendo um trabalho bem bacana ao fazer capas bem semelhantes entre si. E, para finalizar, queria deixar uma sugestão. Caso você já conheça e ame Gillian Flynn, dê uma chance para Elizabeth Haynes, autora de No Escuro, Restos Humanos e Vingança da Maré, também publicados pela Instrínseca. Aproveitando a dica, deixo meu pedido a editora para que publique mais livros da Haynes. No mais, espero que gostem desta(s) leitura(s). Comentem se já leram ou o que estão lendo. Boas leituras!

Nota: 💚💚💚💚💚

Ficha Técnica

Lugares Escuros, de Gillian FlynnTítulo: Lugares Escuros
Título Original: Dark Places
Autor(a): Gillian Flynn
Tradução: Alexandre Martins
Editora: Íntrinseca
Edição: 2015 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2009
Páginas: 352
Skoob: Adicione
Leia um trecho: AQUI
Compare e compre: Buscapé | Amazon

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s