| Resenha | Primeiros Contos, de Truman Capote

Autor Truman Capote
Truman Capote

“O que eu escrevi de mais interessante naquela época”, diria Capote, referindo-se aos anos de garoto prodígio, “foram as simples observações cotidianas que registrava no meu diário. Descrições de um vizinho. […] Fofocas locais. […]”
Truman Capote, Primeiros Contos, pág. 08.

Truman Capote sempre fez parte dos escritores cuja obra completa me interessa, apesar deste ser meu segundo contato com sua escrita. O primeiro foi com Súplicas Atendidas, que é sua obra inacabada. Neste, o autor pretendia fazer uma espécie de Em Busca do Tempo Perdido ‘Moderno’, mas esses escritos desapareceram com sua morte, restando apenas três capítulos (que compõem essa obra) onde o leitor acompanha a história de um escritor-massagista e suas aventuras nas grandes festas e eventos sociais, misturando-se com personagens fictícios e reais. Apesar de inacabada, trata-se uma obra incrível.

Contudo, não é dela que vim falar aqui, mas sim dos Primeiros Contos, de Truman Capote, uma coletânea que se propõe a mostrar o início do processo criativo do autor, através de seus primeiros escritos, durante sua infância e juventude. Capote começou a escrever aos oito anos, conforme Hilton Als aborda no Prefácio, apesar desses contos datarem de uma idade um pouco mais avançada. A título de informação, esses escritos foram descobertos em 2013 nos arquivos da Biblioteca Pública de Nova York, ampliando assim a bibliografia do autor. Conhecido pelo seu elevado nível de criticidade e popular por discutir questões sociais, seja de forma mais explícita ou não, Capote já se mostra competente logo nesses primeiros textos.

Truman Capote
Truman Capote

Composto de quatorze contos inéditos no Brasil, Primeiros Contos vem com a proposta de apresentar o processo de formação do autor enquanto escritor. Assim, apesar de ser o autor de obras consagradas como Bonequinha de Luxo e A Sangue Frio, não espere nada muito requintado. Apesar de possuir alguns contos extremamente bem escritos e com temáticas bem densas e que proporcionariam excelentes discussões, por vezes nos deparamos com textos não tão bons assim, ou que não teriam “motivos de ser”. Como são quatorze contos, será complicado falar sobre todos, mas falarei sobre meus dois favoritos: O Estranho Íntimo e Isto é para Jamie.

O Estranho Íntimo: conta a história de Nannie, uma senhora que aparentemente já viveu muito. Com tempo ocioso, ela dedica suas horas do dia a rememorar suas boas lembranças e dar ordens à Beulah, sua criada. Em resumo, o conto traz uma tarde em que Beulah vai buscar os remédios de sua patroa enquanto esta, sozinha, recebe a visita de um homem misterioso. Aqui, Capote aborda sobre a brevidade da vida e a dificuldade de tomar decisões. Por questões bem singulares, esse conto mexeu bastante comigo, mas como ele é bem curto, não poderei falar mais do que isso.

Isto é para Jamie: diferente do anterior, neste o autor coloca uma criança como protagonista. Vivendo em um lar onde os pais estão mais preocupados com os grandes eventos sociais do que com a educação do filho, Teddy passa os dias aos cuidados de sua babá Julie. Esta, por sua vez, criou o hábito de levá-lo para passeios no parque, com o objetivo de flertar com os oficiais. Num desses passeios, o garoto conhece uma senhora que passeia com o cachorro do filho. Enquanto brinca com o cão, Teddy vai conhecendo um pouco mais sobre essa senhora e seu filho, Jamie. De todos os contos, esse é um dos mais tristes, pois o protagonista começa a perceber sua vida como ela realmente é, e isso é muito cruel quando se tem “quase” oito anos.

Philip Seymour Hoffman em Capote (2015)
Philip Seymour Hoffman interpretando o autor no filme “Capote” (2005)

Quanto aos demais contos, suas temáticas centrais (as mais frequentes) são a brevidade da vida e/ou a dificuldade das pessoas em aceitar as consequências dos seus atos. Mas, além disso, ele também traz boas abordagens sobre questões de raça e de como os negros eram tratados nas décadas de 1940-50 nos Estados Unidos (mesmo que essa abordagem seja bem tênue e, para os desatentos, ela possa passar despercebida). As relações sociais e a opressão de gênero também aparecem, mas isso se dá mais pelas características da época do que pela intenção do autor em discuti-las. São contos rápidos e objetivos, às vezes com uma carga a mais de suspense, outros apenas cotidianos, sem reviravoltas, mas todos podem servir como dispositivos para refletirmos sobre a sociedade da época e suas influências para a obra do autor.

Além de contista e romancista, Capote também transitou pelo teatro, pelo jornalismo e, para minha surpresa, pelo cinema. Ele foi um dos responsáveis pelo roteiro de The Innocents (1960), baseado em A Volta do Parafuso, de Henry James. A leitura desses contos me fez querer antecipar a leitura dos demais trabalhos do autor, agora é só me programar. Quanto à essa edição, está lindíssima. Mas sou tendencioso, já que admiro demais o autor e adoro verde. Assim, fica o convite para que todos leiam e conheçam esse autor, cabendo a este livro o título de “melhor forma de começar”.

Leiam! Comentem! Abraços!

Ficha Técnica

Primeiros Contos de Truman Capote
Clique para ampliar

Título: Primeiros Contos, de Truman Capote
Título Original: The Truman Capote Literary Trust
Autor(a): Truman Capote
Tradução: Clóvis Marques
Editora: José Olympio
Edição: 2016 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2015
Páginas: 160
Skoob: Adicione
Compare e compre: Buscapé | Amazon

 

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s