| Resenha | Simon vs. A Agenda Homo Sapiens, de Becky Albertalli

Simon vs. A Agenda Homo Sapiens, de Becky Albertalli.jpg

“[…] Eu também me sinto seguro quanto à minha masculinidade. Sentir-se seguro quanto à masculinidade não é a mesma coisa que ser hétero.”
Becky Albertalli, Simon vs. A Agenda Homo Sapiens, pág. 62.

É muito complicado falar de algo que você ama, simplesmente pelo fato de não saber por onde começar. E é assim que estou me sentindo sobre Simon vs. A Agenda Homo Sapiens, de Becky Albertalli. Finalizei a leitura há alguns dias e sinto a necessidade de falar para todo mundo sobre a beleza e sensibilidade desse livro, mas simplesmente não encontro as palavras adequadas para começar. Assim, como involuntariamente já comecei, quero dizer que este já entrou para a lista das melhores leituras do ano.

Nesse romance, conhecemos a história de Simon, um adolescente de dezessete anos que se descobre gay e acaba imerso no dilema: Sair ou não do armário? No entanto, esse é o tipo de drama que ele prefere procrastinar o máximo que conseguir, não por medo, mas por acreditar que as pessoas não precisam desse tipo de coisa. Como ele se questiona certa vez: “Porque só gays precisam sair do armário?”. Porém, como algumas decisões fogem do nosso controle, Simon acaba esbarrando num contratempo chamado Martin. Este último descobriu que Simon troca e-mails com um garoto misterioso conhecido virtualmente como Blue e, em consequência disso, descobre também sobre a sexualidade deles. Aproveitando-se disso, Martin decide chantageá-lo.

oreo-snack3Apesar do constrangimento que seria toda a escola ficar sabendo que ele é gay, da noite para o dia, Simon não se preocupa com isso. A sua única preocupação no momento é preservar a relação com Blue, que ele ainda nem teve a oportunidade de descobrir quem é. Enquanto sede às chantagens de Martin, ou é isso que ele pensa, Simon continua se correspondendo com Blue, fazendo com que a relação se torne cada vez mais intensa. A partir daí, somos levados a questionar: Seria possível se apaixonar por alguém que não se sabe quem é? Vale a pena arriscar a zona de conforto para defender alguém que nunca viu e que, a qualquer momento poderá lhe abandonar, sem que você possa fazer nada para evitar? Simon vs. A Agenda Homo Sapiens traz algumas respostas sobre isso, cabendo ao leitor concordar ou não.

Alternando a narrativa entre o cotidiano de Simon, narrado em primeira pessoa, e os e-mails entre ele (assinando como Jacques) e Blue, a autora vai mostrando como é complicado o amadurecimento, em especial quando a vida mostra apenas um caminho a seguir. No entanto, mesmo com dramas mencionados, o romance possui uma narrativa bem divertida. Apesar dos conflitos que está sendo obrigado a enfrentar, Simon leva tudo de forma bem prática, o que fez com que eu me identificasse bastante com ele. Isto é, se não podemos enfrentar os problemas, abraçamo-nos com eles e deixamos que eles nos conduzam até que uma solução se apresente. Talvez essa seja a solução, afinal.

“[…] Mas é engraçado. Parte de mim sente que atravessei algum tipo de fronteira, e agora que estou do outro lado não posso mais voltar. Acho que é uma sensação boa, ou pelo menos empolgante. Mas não tenho certeza. O que estou dizendo faz algum sentido?” (pág. 115).

Além de ser um livro sobre dramas adolescentes, descobertas e superações, Simon vs. A Agenda Homo Sapiens também consegue se tornar um óptimo material sobre referências à cultura pop e demais assuntos relacionados ao público adolescente. Só para não deixar passar, gostaria de sugerir a playlist criada pela Editora Intrínseca no Spotify com as principais músicas e cantores citados no livro. Deixarei no final do post, para quem quiser conferir. Outra curiosidade sobre o protagonista: ele AMA Oreo. Mesmo eu não gostando tanto desse biscoito (tenho outras preferências), acabei tentado a comê-lo enquanto lia, apenas para compartilhar um pouco dos prazeres do Simon.

Uma das leituras mais fofas do ano? Sim. Ansioso por mais? Com certeza. Resenha em breve!!

A photo posted by Cooltural (@cooltural) on

Sobre a construção dos personagens, já devem ter percebido que Simon é um daqueles bem apaixonantes. Mas ele não é o único. Apesar de conhecermos os demais sob a ótica do protagonista, e também por isso, acabamos nos identificando com os personagens secundários. Antes de apresentá-los, vale dizer que, apesar de termos consciência de possuírem uma visibilidade menor na trama, esses personagens são marcantes e possuem histórias próprias tão atraentes e emocionantes quanto a de Simon. Assim, entre eles estão: Leah e Nick, seus dois melhores amigos; Abby, uma amiga recente por conta de trabalhos e demais atividades da escola; Martin, o “vilão” que não conseguimos odiar, apesar de tudo; e Blue, que encanta pela perfeição, inteligência e mistério.

O romance é outro detalhe a parte, mas como já é de se esperar, ele só vem acontecer nas últimas páginas. É uma das cenas mais lindas que já li. Devo confessar que toda a construção do romance é linda e ela me fez ficar a leitura inteira com um sorriso bobo no rosto. A autora acertou ao usar a troca de e-mails para construção desses personagens, o que me fez pensar como as pessoas conseguem ser mais verdadeiras quando estão ocultas atrás das telas dos seus celulares e computadores. A formação do casal “Simon❤ Blue” gera outra discussão ainda mais linda e polêmica, ou não, mas que não poderei mencionar aqui. Assim, quem já leu venha conversar comigo, por favor! Preciso muito conversar com alguém sobre isso.

Outra coisa me deixou bem feliz com esse livro: A Intrínseca caprichou na diagramação e no projeto gráfico, que está bem parecido com a edição americana. Não posso reclamar dessa vez nem da fonte nem do espaçamento, que estão finalmente confortáveis. Com isso, só me resta indicar várias e várias e várias vezes. Leiam, se emocionem e compartilhem conosco sua opinião. Abraços!

Nota: 💚💚💚💚💚+❤️

Ouça a playlist no Spotify

Ficha Técnica

Simon vs. A Agenda Homo Sapiens, de Becky Albertalli
Clique para ampliar

Título: Simon vs. A Agenda Homo Sapiens
Título Original: Simon vs. the Homo Sapiens Agenda
Autor(a): Becky Albertalli
Tradução: Regiane Winarski
Editora: Intrínseca
Edição: 2016 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2015
Páginas: 270
Skoob: Adicione
Compare e compre: Buscapé | Amazon

 

3 comments

  1. Esse é um daqueles livros que nos tira da zona de conforto. Adoro dramas adolescentes, mas com conteúdo faz tempo que não vejo o povo comentar. Esse parece ser bom, vi May delirando por ele, acredito que leria sem pestanejar. Só não curto essa capa, sei lá, gosto de algo mais chamativo. Essa sou eu, rsrsrs
    Ótima resenha Mailson!

    Curtir

  2. Olá

    Lembro de ter visto esse livro em algum canal e falando algo especificamente sobre ele (acho que era o fato de ter um mistério em quem é o correspondente) que acabei ficando curioso pra descobrir como a história fora feita. Baixei pro kindle (aliás, pro app do kindle no celular) e li bem rapidinho. Tem uma narrativa envolvente, ágil e que te deixa com vontade de descobrir o que vai acontecer em seguida, sobretudo descobrir quem era Blue. Achei bem legal e está na minha lista de YAs acime da média haha

    Abraço!

    Curtir

    • Olá, Matheus.
      Você resumiu bem a sensação de ler Simon.
      Para mim ele foi um pouco mais além, mas fico feliz que ele tenha te tocado de alguma forma.
      Abraços!

      Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s