| Resenha | Uma história incomum sobre Livros e Magia, de Lisa Papademetriou

Uma História Incomum sobre Livros e Magia (detalhe)

Kai passou a mão pelas letras douradas da capa. Sentiu uma onda de tristeza, embora não soubesse por quê. Não sabia que, às vezes, encontrar um amigo de verdade pode nos fazer perceber melhor a solidão que há na nossa vida até aquele momento.
Lisa Papademetriou, Uma História Incomum sobre Livros e Magia, pág, 106.

Uma das melhores sensações enquanto leitor é pegar um livro sem a menor expectativa, apesar de muito curioso, e se deparar com uma história muito bem construída e criativa. Foi mais ou menos assim que me senti ao pegar Uma História Incomum sobre Livros e Magia, de Lisa Papademetriou. Apesar do título, que a meu ver já é bem audacioso, as únicas coisas que tinham me chamado atenção nesse romance eram o fato de uma parte da história se passar no Paquistão e de que o romance foi inspirado num jogo chamado Cadáver Excêntrico. Outro detalhe é que a única informação sobre o enredo que eu tinha era que o mesmo girava em torno de duas garotas em diferentes partes do mundo que têm suas histórias ligadas por um livro mágico.

Kai é uma jovem de doze anos, órfã de pai, que vai passar o verão com sua tia-avó Lavinia, no Texas. Introspectiva e assustada, por conta do excesso de proteção por parte da mãe, a jovem se encontra às portas de uma grande aventura ao conhecer uma garota apelidada de Doodle. Esta última é apaixonada por mariposas e está a procura de uma espécie extinta há alguns anos. Paralelo a esse encontro, Kai encontra na biblioteca de Lavinia um livro de capa preta e letras douradas que lhe é muito atraente, intitulado O Cadáver Excêntrico. Exceto por uma breve apresentação, esse exemplar não possui história nenhuma, o que de certa forma deixa Kai frustrada fazendo com que ela escreva algo e guarde-o de volta.

Uma História Incomum sobre Livros e Magia (detalhe 2)

Enquanto isso, no Paquistão, somos apresentados à Leila, uma jovem um pouco mais velha que Kai. Leila é norte-americana, tímida e secundarizada pelos pais e está passando férias com os tios paternos. Como conhece pouco da cultura e hábitos desse novo grupo, a garota acaba dizendo sim para os passeios que não decidiu fazer, gastando seu tempo extra apenas tentando decidir o que fazer para provar para a irmã mais nova (que está em um intercâmbio na África) que também é capaz de viver aventuras interessantes. Mas, ao que tudo indica, a única coisa que conseguiria fazer era passear no mercado, comprar bugigangas e ler alguns livros da imensa biblioteca dos tios. Até que ela encontra um encadernado de O Cadáver Excêntrico.

Enquanto Kai e Leila estão vivendo suas aventuras e descobertas em separado, uma terceira história é acrescentada, onde acabamos por conhecer Ralph e, mais tardiamente, Edwina. Como mencionei acima, Kai escreve algo no livro e essa frase acaba por dar início a uma nova cena da vida de Ralph. Além dos textos acrescentados pelas garotas, suas experiências e questões cotidianas acabam por aparecer de forma direta ou não no livro, como se o autor misterioso tentasse responder as dúvidas de cada uma. Mas quem acreditaria num livro mágico que vai construindo sua própria história e, indiretamente, molda o futuro das outras pessoas? Nesse romance tudo se encaixa bem e as justificativas usadas pela autora são bem críveis.

Lisa Papademetriou
A autora

Apesar de Kai e Leila serem as protagonistas, a história de Ralph foi a que mais me chamou atenção. Ele era um garoto de família pobre e que, enquanto criança, teve seu primeiro contato com a magia (apesar de ter sido realizada de forma desonesta). Nesse dia, o tal charlatão que lhe mostrou como a mágica acontece lhe deu um vidro contendo três poderes, orientando-o que os guardasse para a melhor hora. E é o máximo que posso falar dessa história que é linda e emocionante na mesma medida. A história de Edwina também é muito emocionante, mas para falar dela teria que estragar sua experiência enquanto leitor, o que não acontecerá aqui.

“Há pessoas que anseiam por conhecer os segredos da mágica.” (p.104)

Sobre outros aspectos do livro, a autora fez um ótimo trabalho ao desenvolver os detalhes nele contidos. Além da existência de um livro dentro do livro, a autora também faz outras referências (algumas ficcionais) onde autores e/ou personagens interferem na vida das pessoas. A própria Leila tem suas motivações e ideias baseadas numa personagem de uma série de romances de aventura, Elizabeth Amada. Esses personagens extras funcionam muito bem para a construção das personagens principais e suas histórias. A alternância entre as histórias das protagonistas também faz com que esta se torne uma leitura rápida. O desfecho me incomodou em um único detalhe, que para ser explicado exige um spoiler, que novamente não darei.

Recheada de aventura, um quebra-cabeça bem desenvolvido, amizade e um pouco de amor, Uma História Incomum sobre Livros e Magia é uma ótima dica para quem busca uma leitura leve e muito divertida. Boas Leituras!

Nota: 💚💚💚💛💛

Vídeo da autora falando da obra

Ficha Técnica

CapaHistoriaIncomum_13mm.indd
Clique para ampliar

Título: Uma História Incomum sobre Livros e Magia
Título Original: A Tale of Highly Unusual Magic
Autor(a): Lisa Papademetriou
Tradução: Carolina Alfaro
Editora: Arqueiro
Edição: 2016 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2015
Páginas: 192
Skoob: Adicione
Leia um trecho: AQUI
Compare e compre: Buscapé | Amazon

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s