| Resenha | Orgulho & Paixão (Os MacGregors #03), de Nora Roberts

washington-dc-memorial-960-x-420

Nora Roberts é uma escritora e romancista muito popular, autora de best-sellers românticos. Foi a primeira mulher a figurar no Romance Writers of America Hall of Fame. Autora de maior destaque da lista de best sellers no New York Times e a primeira a ser escolhida para a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos. Suas histórias prendem o leitor com temas explícitos e intensos, descritos de forma clara e objetiva, passando uma mensagem curta e cheia de detalhes. Escritora metódica e insaciável, Nora já publicou mais de 160 romances, a maior parte no gênero suspense romântico, traduzidos para 25 idiomas e editados em todo o mundo.

Orgulho & Paixão trata-se da terceira obra baseada no clã “Os McGregors”. Nora Roberts escreveu dez obras no total. Os McGregors são uma família de alto valor e linhagem escocesa e cada geração da família rendeu um título específico. Orgulho & Paixão faz parte da segunda geração dos McGregors, onde um romance complicado e tentador se desenrola entre Shelby Campbell e Alan McGregor, filho do patriarca Daniel McGregor, que tem uma rixa de gerações com os Campbells.

No primeiro capítulo, a autora descreve, principalmente, a personalidade de Shelby, mostrando seu lado mais extrovertido e peculiar. No mesmo capítulo, é relatado o primeiro encontro de Shelby e Alan. Os dois encontram-se pela primeira vez em uma festa política organizada por Deborah Campbell, mãe de Shelby. A jovem odiava eventos políticos e absurdamente tudo relacionado a política, mas nesse dia foi obrigada a ir. Ironicamente, Alan que era um senador, se atraiu pela garota de cabelos ruivos cacheados. Mal sabia ele o quanto ela desprezava política. Os dois tiveram um primeiro contato descontraído e sem aprofundamentos ou segundas intensões. Alan apaixonou-se definitivamente por ela e seus trejeitos excêntricos. Shelby, no entanto, desconsiderou o resto da noite.

maxresdefault
Washington, D.C.

No decorrer dos capítulos, Roberts foca na relação entre o senador e Shelby, fazendo o leitor compreender melhor as características de cada um. Alan não sabia quase nada sobre ela, apenas queria ama-la. A jovem, por outro lado, carregava um turbilhão de ressentimentos e feridas do passado que influenciou toda sua personalidade. O pai de Shelby, que também era um senador, fora assassinado na frente dela quando esta tinha apenas onze anos. Shelby o viu sendo baleado e aquela imagem marcou a sua vida. Desde então, ela culpara a política pela perda de seu pai e assim cresceu independente e com rancor a esse tipo de trabalho. Mas então, o que faria Alan — um igualmente senador de uma família inimiga — para conquistar Shelby?

Shelby morava sozinha num apartamento em Washington, com apenas dois animais de estimação — um papagaio rancoroso e um gato caolho. Alan era rico, morava em uma mansão e era super envolvido no mundo político. Shelby era oleira e tinha sua própria loja — ela era uma empreendedora nata. Trabalhava até tarde e ao meio-dia nos finais de semana. Em um dos expedientes, Alan a surpreende e entra na loja. Depois de algumas visitas, o senador conquista aos poucos a ruiva, que até então não sabia muito sobre ele. Shelby luta contra seus sentimentos ao saber que Alan era um político. Ela não queria se apaixonar porque achava que o perderia também por causa da política. Ela não se permitia  ter um relacionamento sério, ainda mais com um político.  A jovem oleira achava que todos eles eram corruptos e hipócritas.

noraroberts_1
Serenidade no olhar de quem já publicou mais de 200 livros

Por fim, a autora descreve ao longo dos capítulos, como se deu esse relacionamento tão complicado. Depois de muitas tentativas, encontros e surpresas inusitadas. Roberts apostou em um assunto que atualmente já se tornou “clichê”. Uma garota que luta contra seus sentimentos temendo a dor e sofrimentos do amor. No entanto, a escrita e o desenrolar da obra têm um toque especial de elegância e muita dedicação, provando o porquê de Nora Roberts ser considerada uma das maiores romancistas entre seus pares. Cada personagem é ricamente caracterizado e a descrição dos eventos é altamente convincente e atrai o leitor a uma análise e leitura agradável.

O interessante do livro é que a autora transmite um ar romântico que nos remete aos anos 2000. A leitura permite até que o leitor compare a obra com filmes de comédia romântica estrelados por Sandra Bullock ou Jennifer Aniston. Assim, a principal perspectiva do livro nos mostra o quanto um sentimento ou evento pode mudar nossas vidas e que sempre haverá novas oportunidades no amor, independentemente de fatos e obstáculos. O passado pode ser algo destruidor se você não supera-lo. Orgulho & Paixão nos mostra também o quanto o amor pode ser influenciado e controlado, mas para que possamos amar, temos que aceitar a nós mesmos primeiramente. Através de uma obra, Roberts exemplifica uma situação comum da sociedade: o medo de amar. Geralmente, esse medo pode está relacionado a um fato, trauma ou  acidente, que muitas vezes acaba mudando nossa personalidade.

Com a retratação de um típico romance complicado, que ao longo do tempo vai sendo modelado e reconstruído, leitores mais românticos e sensíveis podem ter uma ótima experiência com o livro, já que o mesmo trata a narrativa de um modo objetivamente romântico. Mulheres em geral, principalmente adultas, ou até mesmo homens, se identificarão com a obra devido ao seu tema específico e a escrita. Afinal, esse é uma das maiores características de Nora Roberts: a capacidade de envolver leitores com uma escrita criativa e bem elaborada.

Nota: 💚💚💚💚💛

Ficha Técnica

Orgulho e Paixão
Clique para ampliar

Título: Orgulho & Paixão
Título Original: All the Possibilities
Série: Os MacGregors
Autor(a): Nora Roberts
Tradução: Gracinda Vasconcelos
Editora: Harlequin
Edição: 2013 (3ª)
Ano da obra / Copyright: 2007
Páginas: 256
Skoob: Adicione
Compare e compre: Buscapé | Amazon


Autor Convidado

Rafael Reis é estudante de Letras – Inglês na Universidade Federal do Piauí (UFPI). Viciado em séries, apaixonado por música e chocolate.

 

One comment

  1. Sempre quis ler Os McGregors, mas nunca consegui os livros, uma pena.
    Amo Nora, mas meu começo de relacionamento com ela foi um pouco complicado, que bom que fizemos as pazes e a coisa andou, hoje foi fã apaixonada por suas séries e livros. Ainda tentarei essa série, quem sabe eu consigo achar.
    Adorei a sua forma de resenhar Rafael, parabéns!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s