| Resenha | The Ghost Patrol, de Sinclair Lewis

forest-park-wallpaper-494976-h900

Sinclair Lewis é um dos grandes nomes da literatura americana. Pouco traduzido para o Brasil — infelizmente —, Lewis foi o primeiro estadunidense a ganhar um prêmio Nobel em literatura. Sua obra, composta por diversos romances, contos, poemas e peças teatrais, abarca uma variedade de temas que vão desde relatos da vida cotidiana à críticas políticas e religiosas, perpassando ainda por outras discussões de cunho social.

No conto The Ghost Patrol, publicado originalmente em 1917, Lewis narra um período na vida do protagonista Patrick Donald Dorgan. Este é um veterano, que por muitos anos serviu à comunidade em que vive, ajudando pessoas e atuando na Força Policial como patrulheiro do parque florestal local. Ao contrário das narrativas de formação, em que vemos personagens em processo de entrada na vida adulta, a história de Dorgan é narrada na perspectiva do ponto de transição seguinte, o momento em que ele precisa se aposentar, o sinal mais claro do seu envelhecimento.

old-man-hd-wallpaper-in-a-park

Se de um lado acompanhamos o velho Dorgan, uma alma bondosa que só quer ser útil, do outro acompanhamos a trama paralela do casal Polo e Effie. Dorgan vê a Polo como um filho e só quer ver sua felicidade, por isso tenta ajudá-lo em seu relacionamento, a contragosto do pai de Effie. Após uma série de acontecimentos, que tiveram início com a morte de sua esposa, a iminência de sua aposentadoria e ainda a prisão repentina de Polo, Dorgan se vê sozinho no mundo. Ele precisa encarar o envelhecimento sozinho, é quando toda sua experiência é sobrepujada pela nostalgia e pelo desejo de ser útil, de pertencer.

O desejo de regressar ao passado é o que leva Dorgan a tomar uma atitude impulsiva e apaixonada. Certo dia, já em sua aposentadoria, Dorgan decide vestir seu velho uniforme e patrulhar sua vizinhança por conta própria. Ele se torna uma espécie de vigilante noturno, a quem os traços de velhice e o uniforme datado lhe atribuem um aspecto fantasmagórico. Não demora para que se espalhe entre os vizinhos um boato sobre um patrulheiro fantasma. Medidas são tomadas e Dorgan se vê encarando outro dilema dessa nova fase: a acusação de insanidade, que faz com que ele seja enviado a um asilo.

sinclair-lewis_-1024x651
Sinclair Lewis, ganhador do prêmio Nobel de Literatura em 1930

Com uma narrativa simples, Lewis surpreende pela densidade do tema. Dorgan é a personificação da experiência, qualidade de quem já viveu muito e vivenciou muita coisa, em contraste com a vivacidade de dois jovens que têm muito a aprender, precisam de disciplina e só querem ser felizes. Envelhecer não é fácil, para Dorgan é menos ainda. A passagem do tempo e a brevidade da vida são as principais angústias dos personagens. Enquanto os jovens buscam a felicidade, Dorgan encara um período de saudade e solidão. A nostalgia de Dorgan atinge o leitor. The Ghost Patrol é um convite para a reflexão sobre o desenrolar da vida, uma pausa necessária e que, para muitos, pode valer a pena.

Nota: 💚💚💚💚💛

Notas

O conto não está disponível em português, infelizmente. Conheço apenas dois títulos de Sinclair Lewis traduzidos para o português, Babbitt e Main Street, ambos esgotados. Estranho que Lewis, ganhador do prêmio Nobel de Literatura em 1930, não tenha seu reconhecimento por aqui, pelo menos fora do ambiente acadêmico.

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s