| Crítica | A Casa dos Espíritos (The House of the Spirits, 1993)

Nossa memória é frágil. Uma vida é um tempo muito breve. Tudo acontece tão rápido que não dá tempo de entender a relação entre os acontecimentos. Minha mãe escreveu isso em seus diários para registrar o passar do tempo… (Blanca Trueba)

A Casa dos Espíritos (1993) é um filme que narra a saga da família Trueba durante o século XX, apresentando as mudanças sociais e os desdobramentos políticos no Chile da década de 1920 até a explosão do golpe militar em 1973 e suas consequências para a população.

Essa obra cinematográfica é baseada no romance A Casa dos Espíritos (La casa de los espíritus -1982), de Isabel Allende, uma das principais referências do realismo mágico no contexto do boom latino-americano. A adaptação para o cinema apresenta algumas diferenças com relação ao enredo do livro, como a fusão de personagens e a omissão de alguns fatos. Essas modificações, no entanto, em nada diminuem a qualidade da versão fílmica, pelo contrário, essa lapidação do romance para a telona só evidencia o talento do diretor Bille August e sua preocupação de fazer um trabalho à altura da obra literária.

E o resultado dessa produção, que contou ainda com um elenco de peso, não poderia ter sido mais positivo, agradando até a própria autora. Mas vamos logo ao filme!

clara a vidente

A história começa em São Lucas, no Chile, 1973, com a visita de Esteban, sua filha Blanca e sua neta Alba, à fazenda Três Marias, agora abandonada. Logo em seguida, é utilizada a técnica do flashback e a história é transportada para 50 anos antes, na mansão da família del Valle.

Clara é a filha mais nova de Severo e Nívea del Valle, uma criança muito especial, pois desde a infância começou a demonstrar possuir uma presciência das coisas, como um sexto sentido, e habilidades sobrenaturais, como mover e levitar objetos com a mente, além de estar conectada com o mundo dos espíritos. Seus pais tentavam protegê-la da exploração dos adultos, que sempre queriam aproveitar-se de suas previsões e capacidade de se comunicar com os mortos.

Uma premonição fatal, entretanto, sela o destino da pequena clarividente. Clara prevê uma morte por acidente na família, e pouco tempo depois, sua irmã mais velha, Rosa, é envenenada por uma bebida destinada ao pai de ambas, o qual havia acabado de adentrar no mundo da política.

Com a morte precoce de Rosa, que partiu antes de se casar com seu pretendente, o jovem Esteban, Clara decide parar de falar, e passa anos sem proferir uma única palavra. (Garota esperta, como diria Isabel Allende).

esteban e clara

Muitos anos depois, ™Esteban Trueba (Jeremy Irons) retorna, agora como um grande fazendeiro, enriquecido à custa de muito trabalho escravo dos nativos daquela região. Esteban pede Clara em casamento, que prontamente  volta a falar e aceita a proposta, pois ele sempre fora seu grande amor.

O casal parte para começar uma nova vida no campo, acompanhados pela irmã de Esteban, Férula. Esta é uma das personagens mais interessantes do filme. Com uma interpretação magistral de Glenn Close, Férula é a irmã de meia-idade que nunca se casou e dedicou a vida para cuidar da própria mãe. Criada sob uma moral religiosa e severa, Férula é uma personagem icônica da literatura latino-americana, que sustenta o peso de ser mulher numa sociedade repressora e machista, abdicando de si mesma para viver em eterno luto pela morte da mãe.

O que ameniza um pouco a frustração de Férula e a falta de liberdade para desfrutar da própria vida é o laço afetivo com Clara, que vai além de amizade e chega a tornar-se irmandade. E quem dá vida à adulta Clara é Meryl Streep, fazendo jus a toda a consagração da crítica sobre sua atuação. Ela consegue conferir uma essência de anjo à protagonista do filme.

A família cresce, e mais uma mulher nasce no seio daquela fazenda, Blanca Trueba (Winona Ryder), filha de Clara e Esteban. Esta, por sua vez, apaixona-se por um revolucionário, Pedro Segundo (o latin lover Antonio Banderas❤ ), para o orgulho discreto da mãe, e desespero escancarado do pai. Enquanto Clara aprova a coragem da filha de enfrentar a truculência e a intolerância do pai àquele romance, Esteban nutre um ódio mortal pelo jovem peão que luta por melhores condições de vida e pelos direitos dos trabalhadores do campo.

a casa dos espíritos filme blanca e pedro

O amor dos dois jovens perdura por anos, enfrentando o tempo, a distância, a separação, a crueldade e a grande crise política fomentada pelo golpe militar que atingiu em cheio o país.

E a tomada do poder pelos militares causa uma reviravolta na história, quando o filme atinge o seu ápice de tensão e Blanca chega a ser vítima dos horrores da tortura praticada no regime ditatorial chileno. Assim, cabe a seu pai, Esteban, lutar contra os próprios rancores para salvar a filha das garras da repressão militar.

Enfim, esse filme é um clássico que vale a pena ser visto, pois retrata com sensibilidade um dos períodos mais sangrentos da história da América Latina, além de ser o testemunho da vida, dos costumes e da cultura de um povo  por meio de uma apaixonante saga familiar. Uma história repleta de personagens marcantes e fortes, que possivelmente irão vaguear pela mente do telespectador por dias a fio, talvez nos mostrando que não somente Clara está conectada ao mundo transcendental, mas quem sabe, não se estende a nós também?

blanca e clara

Ela sempre falava do amor como um milagre. Após parar de falar, minha mãe viveu num mundo só dela envolta em suas fantasias. Um mundo onde nem sempre a lógica e a física podiam ser aplicadas, rodeadas por espíritos do ar, da água e da terra, tornando desnecessário para ela falar, por vários anos! (Blanca)

Trailer

Ficha Técnica

Título: A Casa dos Espíritos
Título original: The House of Spirits
Direção: Bille August
Roteiro: Bille August e Isabel Allende
Elenco: Meryl Streep, Glenn Close, Winona Ryder, Jeremy Irons e Antonio Banderas
Gênero: Drama, romance
Origem: Alemanha, Dinamarca, Portugal, EUA
Duração: 140 minutos
Classificação: 16 anos

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s